quarta-feira, 26 de setembro de 2012

ASSEMBLÉIA APROVA A CONTRAPROPOSTA E ENCERRA A GREVE NO BANPARÁ

Após 23 dias de uma grande greve, os bancários e bancárias do Banpará conseguiram arrancar uma boa proposta do Banco (que, até o último momento, se manteve endurecido na mesa de negociação) e, com isso, aprovaram hoje, 26, em assembléia, o fim da greve no Banpará.

Sabemos que a responsabilidade direta desse endurecimento é do governo do Estado que resolveu colocar a mão na negociação do Banpará.

É bom lembrar, sempre, que o Banpará não recebe nenhum aporte do governo estadual, diferente dos Bancos públicos federais, que recebem aporte do governo federal. Ao contrário, o Banpará repassa, em dividendos, parte do lucro para o Estado, aliás, grande parte do lucro. Mais precisamente, a metade do lucro desde 2011: R$ 66 milhões ano passado e R$ 10 milhões no primeiro trimestre de 2012.

Muito bom também lembrar que esse lucro é construído pelo trabalho e a dedicação dos mesmos bancários que o governo prejudica com sua indevida e desastrosa intervenção na negociação salarial do Banpará. Por esse motivo, a assembléia aprovou, por unanimidade, uma moção de repúdio ao governo estadual.

A CORRETA ANTECIPAÇÃO DA GREVE
Antes da greve, iniciada no dia 4 de setembro, não tínhamos nada. O Banco se negava a negociar nossa Minuta e não havia ratificado nosso ACT. Entramos na data base sem Acordo específico vigente. Com a antecipação da greve conseguimos duas conquistas importantes: 

1) a abertura da mesa de negociação, e 

2) a ratificação do nosso ACT.

Vale reafirmar que sem nosso ACT teríamos somente as verbas da Convenção da Fenaban que são, em tudo, menores que as nossas, específicas.

NOSSA LUTA JAMAIS SE ENCERRA!
Somos guerreiros e guerreiras. Não nos rebaixamos, não fomos vencidos pelo medo, pelas ameaças, pelas chantagens, pelo assédio! E, por isso, o Banco teve que nos escutar, recuar, em grande medida o seu endurecimento, e vir para a negociação, de fato, no dia de hoje. Os bancários e bancárias do Banpará mostraram que são de luta e que, a qualquer momento, estão prontos para defender, novamente, seus direitos, interesses e conquistas.

A greve 2012 está encerrada, mas jamais se encerra nossa luta! Houve importantes conquistas, sim, mas o que não veio agora não está perdido para sempre, de jeito nenhum, porque não somos de desistir! Todo bom estrategista sabe que há momentos em que se recua um passo para avançar dois ou três lá na frente. Em nosso caso, avançamos alguns passos importantes e vamos avançar mais, com a força da nossa luta e da nossa união!

A proposta aprovada na assembléia, por ampla maioria, protegeu importantes conquistas do nosso ACT, garantiu a continuidade da nossa luta em momentos futuros e mostrou que a estratégia de antecipação da greve estava absolutamente correta, porque conseguimos foco no que era necessário.

A SÍNTESE DA CONTRAPROPOSTA APROVADA HOJE NA ASSEMBLÉIA

Reajuste do Piso - 8,5% para os cargos de nível médio e fundamental;

Reajuste de 8,5% - auxílio refeição, auxílio cesta alimentação, 13ª cesta alimentação;

Reajuste salarial - 7,5% para os cargos de nível superior e em todas as demais verbas salariais;

Reajuste de 7,5% - auxílio creche babá (filhos até 83 meses, auxílio creche/ auxílio babá (portadores de necessidades especiais), anuênio, abono atividade física;

Quebra de Caixa - R$ 300,00;

Comissão de Caixa - estudo para revisão em janeiro de 2013;

PLR - regra da Fenaban;

PLR adicional - mantida a regra dos anos anteriores (ACT 2011/2012);

Antecipação da PLR - regra da Fenaban;

PCS - manutenção do GT/PCS, aplicação do índice previsto entre os níveis a partir de 01/09/12, e análise para o desatrelamento das metas do PCS;

Licença prêmio - acréscimo de cinco dias, com possibilidade de conversão em pecúnia;

Descomissionamento - análise, no CRT, para definição de critérios para descomissionamentos;

Não demissão sem PAD - compromisso de discutir com as entidades a não demissão sem processo administrativo disciplinar - PAD;

Plano de Saúde - intermediação, sem custo para o Banco, para inclusão de ascendentes e filhos maiores de 24 anos no plano Unimed;

TODAS as demais cláusulas do ACT estão mantidas conforme a redação do ACT anterior.

Como podemos observar, com atenção, nosso acordo representa uma vitória no que é fundamental, principalmente se levarmos em conta o que tínhamos antes dessa greve ou o que poderia vir com um possível dissídio.

DAQUI PRA FRENTE
Este foi o acúmulo possível nesse momento, após 23 dias de greve e cinco mesas de negociação; quando a Contraf e a Fenaban fecharam os índices em mesa e todos os Bancos públicos, exceto o Banco da Amazônia, também estão saindo da greve amanhã. Nesse cenário, a aprovação da proposta pela assembléia, foi uma decisão inteligente, estrategicamente correta, que nos protegeu contra um possível dissídio, o que nos restringiria apenas à Convenção da Fenaban, com perdas muito maiores em todas as verbas, que são melhores em nosso Acordo Coletivo de Trabalho - ACT.

Agora é reorganizarmos nossa luta e nossa estratégia para conquistarmos o que ainda não veio. Como diz o poema que virou canção, "se muito vale o já feito, mais vale o que será!" Independência, coragem e firmeza de propósitos não nos faltam, muito menos vontade de lutar mais e sempre, por tudo o que nos é devido. Outros agostos e setembros virão! E, antes disso, muitas lutas e conquistas mais!

Parabenizamos, de todo o nosso coração, a cada bancário e bancária que lutou ombro a ombro nessa greve! A cada um que, como nós, acordou de madrugada para estar no piquete de convencimento, vibrou e ficou nervoso com o andamento das negociações, esperando as últimas notícias, conversando com os colegas, convencendo da justeza e necessidade da nossa luta! Como afirmamos sempre, é uma HONRA representá-los, bancários e bancárias do Banpará! Guerreiros da coragem!


Firmes na luta, ontem, hoje e sempre!


UNIDOS SOMOS FORTES!




*

12 comentários:

Anônimo disse...

Que vergonha! O patrão "faz e acontece", humilha, esnoba, achincalha e, as migalhas sempre aceitas em assembléias, que mais parecem frequência comprada pelos patrões. E tanto barulho pra nada. Kd nosso ticket extra?? Piso humilhante de 1.519,00. R$ 50,00 para caixa. Senhor Jatene, espere a nossa resposta nas urnas, tanto agora, como em 2014. Hj o senhor tem o poder, mas, nós temos a arma que lhe dá ou não esse poder. Gente, vamos dar resposta nas urnas AGORA no dia 07. Quem não nos deu o ticket foi o GOVERNADOR.

Anônimo disse...

O GOVERNO DO PSDB NUNCA FOI BOM PARA FUNCIONARIO PUBLICO...NEM PRA NINGUÉM...

Anônimo disse...

PARA MUITOS A PROPOSTA FOI BOA, PARA OUTROS FOI RUIM, MAS NA INTEGRA A UNICA DIFERENÇA DO ACT DO ANO PASSADO PARA ESSE FOI O TICKET EXTRA QUE NÃO TIVEMOS, TALVEZ FECHAMOS NOVAMENTE O MELHOR ACORDO DO BRASIL EM TODOS OS SENTIDOS, PARTINDO DO PRINCIPIO DE QUE A DIRETORIA DO BANPARA SE RECUSAVA A NEGOCIAR, OU MELHOR DIZENDO... O GOVERNO...APESAR DAS DIFICULDADES ENCONTRADAS E BOM RESULTADO OBTIDO DEVO ESTA HONRA A AFBEPA, COM LUTA, GARRA, DETERMINAÇÃO VENCEU MAIS UMA BATALHA E A GUERRA SEMPRE EXISTIRA, POIS, INFELIZMENTE VIVEMOS EM UM MUNDO CAPITALISTA ONDE AS EMPRESAS SO QUEREM LUCRAR...

Anônimo disse...

Nossa 23 dias de luta para esse mísero reajuste! E o nosso ticket extra?! É lamentável mais voltaremos a trabalhar desmotivados... E os dias parados como ficarão?

Anônimo disse...

Muito bem, senhor governador, conseguiu tirar o nosso ticket extra para aplicar TUDO na frustrada campanha do seu candidato à PMB. Mas, bancários e bancárias no geral, vamos mostrar a nossa força nessa eleição municipal e DETONAR com as pretensões desse "barba de bode" sanguessuga por dinheiro em eleger o seu candidato e vazar com ele tb em 2014, pois, assim, nos livramos dessa administração do Banpará tb. PAU NELES!! A HORA É ESSA de darmos uma resposta à altura pela maldade desse que enganou a muito eleitor.

Anônimo disse...

Já viram os acordos feitos pela Caixa e pelo BB? Existem algumas coisas interessantes que precisamos reivindicar também!

Anônimo disse...

Seguem abaixo sugestões para a próxima negociação (2013/2014):

1) Aumento do Abono Atividade Física para o valor mínimo de R$ 100;
2) Plano Odontológico;
3) Redução das taxas de Juros de empréstimos para funcionários;
4) Medicamentos de uso contínuo
Custeio de despesas de 50 medicamentos de uso contínuo não custeados pelo SUS, cujos percentuais de reembolso serão de 50%, 80% e 100%, de acordo com a patologia indicada no relatório médico.
5) Formação Ampliada
O Banco se compromete a ampliar em 3.230 bolsas de incentivos a formação do empregado, por meio de edital único centralizado na Matriz, para todos os empregados acima de 91 dias de trabalho, a saber:
a) 800 bolsas para idiomas;
b) 1.380 bolsas para graduação;
c) 950 bolsas para pós-graduação;
d) 100 bolsas para mestrado.
6) Licença-adoção
No caso de adoção ou guarda judicial a CAIXA concederá licença remunerada à empregada adotante, pelo período de 180 (cento e oitenta) dias, com exclusão do limite de idade de 12 anos do adotado.
7) Login Único
Implantar o acesso à rede de computadores em estação única em cinco unidades da Matriz, em fase piloto, no 4º trimestre de 2013 e concluir a implantação em 31 de dezembro de 2014.

Anônimo disse...

Gente, à primeira vista, foi ruim, mas não pelo acordo, mas pela frenética situação quase de pânico imposta por este governo tucano, que resolveu tomar as rédeas do Banpará contra nós neste ano. Afora o ticket, que não será definitivo, as propostas foram boas e aluta foi insana. Se tivéssemos ficado mais um dia em greve, perderíamos tudo na atitude nazista tomada pelo governador em ajuizar o nosso dissídio. Parabéns mesmo à nossa sempre guerreira incansável Kátia e sua diretoria, que não mede nenhum esforço para estar SEMPRE ao nosso lado. Poderíamos agradecer a ela, em abril de 2013, elegendo-a presidente do Sindicato dos Bancários. Agradeçamos a Deus por tudo o que ELE nos destinou.

Anônimo disse...

Funcionária Indignada

Em um momento em que o Banco prega o crescimento das receitas, a busca por novos clientes, um momento onde tanto se fala em metas, metas e mais metas ou cortes, cortes de horas extras, cortes de almoço (que mesquinho)e sempre fazendo-nos acreditar que nosso sacrificio seria revertido em prol dos funcionários. Fechamos um acordo sem avanços, ao contrario com perdas. Nada conquistamos e de nada valeu a pena tanta dedicação a esta Instituição e cobra nosso sangue e nada nos oferece em troca...
Realmente me sinto frustrada e desanimada.

Guerreira disse...

Governo de tiranos, ditadores e farsantes!

Anônimo disse...

Também sinto-me desanimado, meus colegas do mesmo jeito. Realmente damos tempo, dedicação e nossa saúde para esse banco e somos recompensados com esse verdadeiro chute. Nao acreditamos em hipótese alguma que a culpa desse ACT seja somente do Jatene, essa diretoria colegiada também tem culpa, nao se esforçou em avançar nas negociações. Ficou claro no primeiro semestre desse ano que sabiam que o governador ia barrar as negociações, tanto que aumentaram secreta e exorbitantemente suas comissões e publicamente a de seus assessores, uma vergonha que me enoja! E para amenizar esse clima de derrota, anteciparam PLR, mas nao adianta essa afronta aos nossos direitos esta gravada a ferro quente na nossa memória.

Anônimo disse...

Como é que pode ainda, algum funcionário do banco votar no candidato desse desgoverno? A eleição está na porta e o nosso voto faz a diferença!