quarta-feira, 21 de outubro de 2020

AFBEPA PEDE QUE SINDICATO SOLICITE DA JUSTIÇA TRABALHISTA O CUMPRIMENTO DA DECISÃO DE SEGUNDO GRAU EM PROL DO GRUPO DE RISCO E A EFETIVAÇÃO DAS TESTAGENS QUE SÃO DEVERES DO BANPARÁ

Para a Afbepa, o momento exige PRIORIDADE na PROTEÇÃO DA VIDA, dever que o Banpará vem renegando.

Colegas estão se infectando e, infelizmente, o grupo de risco por ter comorbidades que comprometem a sua resistência estão com a Vida em grande risco.

Temos notícias de vários casos, agora de um colega em Maracanã, e apenas hoje a agência foi desinfectada, sem testagem de prováveis outras contaminações. Além disso, uma colega do grupo de risco foi infectada e contaminou a família, inclusive com familiar internado em hospital.

A irresponsabilidade, descaso e insensibilidade da Administração do Banco tem feito muitos colegas perderem a Saúde por causa do vírus (Covid-19), com sequelas graves e atingimento emocional.

A nossa Associação reitera que já passou da hora do Sindicato requerer o cumprimento do que foi determinado pelo Tribunal do Trabalho. Não há por que dar mais tempo ao Banco, pois o acordo e decisão de segundo grau estão sendo descumpridos e não efetivados.

A Afbepa já encaminhou ofício solicitando posição do Banpará acerca do que se desincumbiu do que ficou acordado, porém o Banco até o momento não respondeu.


Assim, a Afbepa pede ao Sindicato que faça o seu papel de PROTEGER O DIREITO E INTERESSES DE QUEM REPRESENTA, OS TRABALHADORES DO BANPARÁ, E PETICIONE URGENTE NO PROCESSO PELO CUMPRIMENTO DO DIREITO VIOLADO DO GRUPO DE RISCO, O AFASTAMENTO IMEDIATO DE TODO ESSE PESSOAL, COM A RESSALVA DE OPÇÃO DE QUEM TEVE O VÍRUS E TENHA ANTICORPOS. MAIS A EFETIVAÇÃO DAS TESTAGENS NOS FUNCIONÁRIOS SINTOMÁTICOS E QUEM TEVE CONTATO COM ESSES.


DEFENDEMOS QUE O SINDICATO NÃO PARTICIPE MAIS DESSA AUDIÊNCIA. APENAS PEÇA QUE A JUSTIÇA ORDENE O CUMPRIMENTO DOS DIREITOS.

 

LEIA AQUI O OFÍCIO N° 013/2020 - 07/10/20

 


UNIDOS SOMOS FORTES
A DIREÇÃO DA AFBEPA

terça-feira, 20 de outubro de 2020

DIREITO À VIDA VIOLADO NOVAMENTE É DEIXADO EM ÚLTIMO PLANO

No mínimo há um grande desinteresse e insensibilidade por parte do Banpará de resolver o que criou, o retorno do grupo de risco ao trabalho presencial, pois pela terceira vez foi remarcada a audiência por decisão da Juíza do Trabalho, entre Banpará e Sindicato que irá definir a situação do grupo de risco.

Desta vez o pedido partiu do Banco, motivado pela participação do diretor administrativo, que está na qualidade de preposto nesse processo, na Cerimônia de Posse do Conselho de Administração e da Diretoria do Banpará.

Agora, a audiência vai acontecer somente dia 23. 

O Banco protela a audiência, com isso despreza o direito à proteção que o pessoal do grupo de risco necessita, em vista de suas Saúdes fragilizadas para combater esse vírus. 

Para a Afbepa o Banpará age com irresponsabilidade. O que é  um absurdo! O Direito à Vida tem de vir em primeiro lugar e não a festa de posse. Nesse ínterim o pessoal continua se infectando nos Locais de Trabalho. Ontem, 19, soubemos que mais uma colega da Sucri, do grupo de risco, foi infectada após o retorno indevido desse funcionalismo.

O comunicado 020, para a nossa Associação, é Ilegal e o Banpará deveria revogá- lo imediatamente, pois o Decreto do Governo Estadual estabelece condições para esse retorno que não estão preenchidas.

Neste exato momento, muitos colegas do grupo de risco foram infectados com o Vírus da Covid-19, e alguns estão em UTI’s de hospitais com os pulmões muito comprometidos, de 30 a 50%.

O Banco poderia seguir pelo caminho de resguardar e proteger os seus funcionários, revogando imediatamente o comunicado 020, visto ser ilegal.

Não proteger e evitar o comprometimento das Saúdes dos Trabalhadores (as) é uma atitude negligente, insensível e totalmente irresponsável.

O adiamento da audiência é um ACINTE aos empregados e suas representações, principalmente considerando o motivo, uma vez que o Dirad poderia se fazer representar por outro preposto, uma vez que há muitos colegas preparados para tal. Isso  coloca em grande perigo os trabalhadores, pois há  o crescimento dos casos de infectados. 

A Justiça do Trabalho que deveria decidir pelo cumprimento do Direito, o vem renegando, pois está deixando que pedidos irrelevantes sejam maiores que o Direito à Vida íntegra, com Saúde. 

Esperamos que o Banpará faça logo o MÍNIMO, o afastamento imediato do grupo de risco do trabalho presencial; realizar testagem em todos os trabalhadores nas unidades de trabalho com casos confirmados e a desinfecção dos espaços com o consequente afastamento dos funcionários, sempre que vier à tona casos suspeitos. 

A Vida, para o nosso empregador, precisa ser valorizada, cuidada e tratada como PRIORIDADE. 

É, também, CRUCIAL a contratação de mais empregados para ajudar os colegas nos locais de trabalho, pois esses estão exaustos e sendo cobrados por seus regionais para o atingimento de metas, sem a mínima estrutura de pessoal. 

A Afbepa espera que o Sindicato nem compareça mais a essa audiência, que somente interessa ao Banco, já que o Direito violado é dos Trabalhadores, e peticione nos autos do processo requerendo o cumprimento da liminar que o Banco violou ao convocar o grupo de risco de volta ao trabalho presencial, uma vez que a Decisão Judicial e o Decreto do Governo Estadual nos amparam.


DECISÃO DA JUÍZA: 

DESPACHO PJe - JT

Vistos, etc.

I. Considerando a petição do Banco do Estado do Pará S.A., tendo em vista que o Diretor Administrativo, que está representando o Banco nas audiências e conduzindo as reuniões com o Sindicato, participará no dia 20.10.2020 (terça-feira) às 10h da cerimônia de posse do Conselho de Administração e da Diretoria do Banpará, conforme convite em anexo, transfere-se a audiência anteriormente designada para o dia 20/10/2020, às 10:45 horas, para o dia 23/10/2020, às 09:00 horas. 


II. Dar ciência às partes.

BELEM/PA, 19 de outubro de 2020.

NAGILA DE JESUS DE OLIVEIRA QUARESMA

Juíza do Trabalho Substituta


UNIDOS SOMOS FORTES

A Direção da Afbepa

Assessoria de Imprensa

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

AUDIÊNCIA NA JUSTIÇA DO TRABALHO SOBRE GRUPO DE RISCO OCORRERÁ NESTA TERÇA-FEIRA

Após duas audiências serem remarcadas para decidir o futuro do grupo de risco do Banpará, nesta terça-feira, 20, na 8ª Vara do Trabalho, deve ocorrer a decisão sobre o necessário afastamento do trabalho presencial desse grupo, infelizmente, mais frágil em resistência contra o Corona Vírus.

Em setembro, a Diretoria do Banpará emitiu o comunicado 020, convocando, de imediato, o retorno do grupo de risco ao trabalho presencial, mesmo diante de uma pandemia que ainda não teve fim. Nossos colegas foram colocados sob risco iminente, já que a saúde dos mesmos é mais fragilizada.

A Afbepa espera que na negociação entre Sindicato e Banpará prevaleça o BOM SENSO, pois NÃO HÁ COMO AFERIR A GRAVIDADE OU RESISTÊNCIA DE CADA INTEGRANTE DESSE GRUPO. Que a negociação seja em prol da Vida do funcionalismo e que a decisão seja PELO AFASTAMENTO DO TRABALHO PRESENCIAL DO GRUPO DE RISCO, principalmente agora em que há um aumento nos casos de Covid-19 no estado, com hospitais públicos e privados lotados novamente. A Europa está vivendo um caos com a segunda onda do Vírus, e os governantes estão priorizando e resguardando a Vida da população.

Nossa associação aguarda que o Banco opte pela proteção do grupo de risco, mantendo-o afastado do trabalho presencial, ressalvando a opção de pessoas que já tiveram Covid-19 e possuem anticorpos. 

TRATAR FUNCIONARIOS SINTOMÁTICOS E QUEM TENHA CONTATO COM ELES NO MESMO LOCAL DE TRABALHO.

Também testar e tratar quem tenha sintomas e quem trabalha no mesmo Local, fato que o Banco desleixa e não cuida. Os colegas estão na linha de frente, ajudando a empresa, e quando alguém sente sintomas, providências urgentes têm de ser tomadas, no sentido de resguardar a integridade de todos. Os funcionários em geral que estão no dia a dia ajudando a empresa necessitam desse cuidado e atenção, na prevenção e remediação. Entendemos que é ESSENCIAL que o Banpará afaste os sintomáticos e que forneça testes para todos que tiveram contato com quem possivelmente está infectado, resguardando a categoria e o público em geral, o que ajuda a diminuir os casos de contaminação.

Percebemos que o nosso empregador está tratando com negligência e desleixo o funcionalismo, renegando o direito à saúde que cada um de nós tem.

A Afbepa Reitera que amanhã prevaleça o bom senso e que o Sindicato lute pela manutenção dos direitos conquistados, fazendo com que o Banco proteja os colegas do grupo de risco determinando o afastamento do Trabalho presencial. 

 

UNIDOS SOMOS FORTES

A Direção da Afbepa

Assessoria de Imprensa

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

DESCASO DO BANPARÁ COM A VIDA ATORMENTA FUNCIONÁRIOS


Seguimos recebendo diversas denúncias de funcionários infectados com o Covid-19 nas unidades de trabalho do Banpará. No Complexo da Senador Lemos – Ponte do Galo, no Setor SUENG, há cinco casos de Corona Vírus e um colega com 50% do pulmão comprometido, correndo sérios riscos em sua saúde, além de outro entubado, desde que voltaram para o trabalho presencial, já que a maioria dos casos são de funcionários do grupo de risco. E em outros setores do Complexo, também há casos de Covid-19.

O Banco, como resposta, fechou o Complexo para desinfecção, mas direcionou os funcionários para a Suloc, na Senador Lemos. Ou seja, o Banpará encaminha pessoas que estavam em um ambiente infectado, para outro Local de Trabalho, com grandes riscos de colegas infectados contaminarem mais pessoas neste outro local. Em outros termos, o Banco não resolve nada. Na verdade, piora a situação colocando mais funcionários em risco. Um ato de desproteção com a categoria!

FALTA LUCIDEZ!

A situação é desesperadora e alarmante, nossos colegas estão com medo, pois são Vidas que estão em risco. Por conta de um ambiente muito contaminado, inclusive, no complexo Senador Lemos Ponte do Galo, liberaram um funcionário do grupo de risco para preservar a saúde do mesmo, o que deveria acontecer com todos que pertencem ao grupo de risco e possuem saúde fragilizada.

Em meio a esse caos ocorrido nos Locais citados, colegas do grupo de risco que trabalham nesses lugares relatam que quando buscam ajuda da Gerência de Saúde, o médico do trabalho manda cumprir o Comunicado 020 (que convoca os funcionários do grupo de risco a voltarem ao trabalho presencial), o que demonstra o desinteresse e a falta de responsabilidade com a situação de risco nos Locais Contaminados pelo Corona Vírus.

Infelizmente, o cumprimento do aviso é mais importante que a Vida das pessoas. Vemos que a prioridade maior do Banco é o lucro. A Vida não importa, é secundária. UM ATO DE TREMENDO DESRESPEITO E FALTA DE EMPATIA! Quando será que o Banpará vai tomar providências? Quando Vidas começarem a ser perdidas? Precisamos de um empregador que aja com PROTEÇÃO e RESPONSABILIDADE!!!

A Afbepa EXIGE a IMEDIATA testagem de todos os colegas que foram expostos nos ambientes de trabalho contaminados pelo Corona Vírus, como forma de observância das medidas sanitárias e protocolares, e o urgente afastamento do grupo de risco do trabalho presencial, além da liberação de todos os colegas para testagem. Os funcionários que estiveram nos locais contaminados, precisam e devem ser testados para poderem retornar ao trabalho, e não serem remanejados como foram para outro Lugar, colocando, desta forma, terceiros em risco. Essa responsabilidade é do Banco e nossa associação está reivindicando providências imediatas acerca de uma atitude absurda e inaceitável quanto essa. 

 

PROTEÇÃO E RESPEITO À VIDA, QUE É ÚNICA, É ISSO QUE QUEREMOS!

 

UNIDOS SOMOS FORTES

Diretoria da Afbepa

Assessoria de Imprensa