quinta-feira, 19 de outubro de 2017

COMUNICADO IMPORTANTE


Conforme já falamos em outras postagens, a Reforma Trabalhista entrará em vigor no próximo dia 11 de novembro e algumas mudanças processuais ocorrerão. Entre elas, podemos mencionar um maior rigor na concessão da justiça gratuita, o pagamento de honorários sucumbenciais nos casos de improcedência da ação, etc.

Por este motivo, a AFBEPA orienta que seus Associados busquem informação com a nossa Assessoria Jurídica, no sentido de verificarem se há alguma Ação Coletiva em trâmite que se enquadre com a função desempenhada, de forma que os colegas se antecipem na entrega de seus documentos, a fim de ajuizarem suas demandas na vigência da CLT de 1943.

Nesse sentido, a AFBEPA comunica o seu compromisso, por sua Assessoria Jurídica, em ajuizar até 10/11/2017 todas as demandas cuja documentação tenha sido apresentada pelo interessado até 31/10/2017, impreterivelmente.

A DIREÇÃO DA AFBEPA

terça-feira, 17 de outubro de 2017

DEFESA DOS BANCOS PÚBLICOS FOI PAUTA DE AUDIÊNCIA NA ALEPA


A AFBEPA participou na tarde de ontem, 16 de outubro, através de seu Diretor Artur Leão, de uma Audiência Pública, em defesa dos Bancos públicos, realizada na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) e organizada pela Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor, do Sindicato dos Bancários do Pará e do deputado estadual Carlos Bordalo (PT).

A Associação foi representada pelo diretor, Artur Leão, uma vez que a Presidenta da Entidade, Kátia Furtado, tinha uma agenda médica naquela hora, para tratar de um problema de saúde.


Participaram do evento, representantes de várias Entidades que, por meio de suas falas, expuseram as suas preocupações com a realidade atual do país e, principalmente, a situação dos Bancos Públicos, que têm sido cada vez mais atacados, com fechamento de agências, implantação de Plano de Demissão Voluntária, diminuição do quadro de pessoal, precarização da segurança etc.

É visível que o Governo vem implementando diversas políticas contra à classe trabalhadora, como a aprovação da Reforma Trabalhista, da Lei da Terceirização, a ameaça da Reforma da Previdência, entre tantos outras. A atual ameaça é o desmonte que o governo quer promover nos Bancos Públicos, além do prenúncio de privatização, também tem se destacado a mudança de gestão voltada para os interesses do mercado, agindo sob a mentalidade de bancos privados, que estão focados somente no lucro e não estão nem um pouco preocupados com o desenvolvimento do país, da região e da sociedade local.


De modo simples e coerente o diretor da AFBEPA, Artur Leão, começou sua fala lembrando que, 20 anos atrás os trabalhadores e trabalhadoras do Banpará tiveram que ceder 20% de seus salários para manter o Banco, ressaltou que isso foi uma conquista e que não podemos deixar que nossos esforços acabem em uma venda, que só vai trazer prejuízos para a sociedade. “Os dividendos gerados pelo Banco do Estado do Pará ao Governo do Pará podem ser investidos em construção de escolas, hospitais, estradas, entre outros investimentos que beneficiem a população”.

Artur também destacou, sem desmerecer o planejamento estratégico do Banpará, que o crescimento que o Banco vem tendo não seria possível sem a força de vontade e o trabalho duro de funcionários e funcionárias que lutam diariamente para fazer do Banpará um Banco forte, que tem cumprido a sua missão junto à sociedade paraense.


Ao final da Audiência, foi tirado o encaminhamento de uma reunião para que sejam organizadas ações a fim de dar visibilidade para essa luta, que deve ser de toda a sociedade, pois todos serão afetados com a precarização e extinção dos Bancos Públicos. É necessário informar a sociedade sobre essa situação e convidá-la a se somar com a Classe Bancária. A reunião, ainda sem data confirmada, será chamada pela Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da ALEPA.

A AFBEPA sabe da importância que esses espaços de debate têm e que é imprescindível participar das discussões e fazer com que cheguem até a população. Seguiremos lutando junto com os trabalhadores, a sociedade e parlamentares contra os ataques e desmontes que o governo deseja fazer não só nos Bancos Públicos, como em vários outros órgãos e Empresas importantes para a Nação Brasileira.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto e Imagens: Gleici Correa

Assessoria de Imprensa

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

ASSALTO NA MODALIDADE “VAPOR”, AO BANPARÁ DE MEDICILÂNDIA, DEIXA A CIDADE EM PÂNICO


No final da manhã de hoje, 13 de outubro, um grupo de pelo menos oito homens fortemente armados invadiram a agência do Banpará no município de Medicilândia, no sudoeste do estado, e com grande violência iniciaram um assalto.

Segundo informações da Polícia Civil, eram por volta de 12h, quando um grupo fortemente armado com três veículos chegou ao município de Medicilândia efetuando disparos em direção à agência do Banpará.


Eram de oito a dez homens que, após invadirem a Agência e saquearem os valores ali contidos, deixaram o local levando, ao todo, dezesseis reféns entre funcionários e clientes, incluindo a Gerente da Agência, que nos relatou os momentos de terror vividos por ela e pelas outras vítimas. Para impedir que a polícia atirasse, os criminosos colocaram algumas das vítimas sobre o capô dos carros, sendo duas delas colegas, funcionários do Banpará, e seguiram em direção à saída da cidade, onde os reféns foram abandonados.


As Polícias Civil e Militar do município, com apoio da PM de Altamira e da Superintendência da Polícia Civil de Altamira, iniciaram as buscas a fim de capturar os assaltantes. O helicóptero do Grupamento Aéreo e policiais militares da Companhia de Operações Especiais (COE) está dando apoio às buscas.


Segundo uma fonte que trabalha na agência, durante o assalto, dois reféns se feriram, um vigilante foi atingido por uma bala que ricocheteou, e um cliente foi atingido por estilhaços de vidro.

Ainda não se sabe o valor roubado. Tivemos a informação de que equipes da GESPA (Gerente de Segurança Pessoal e Patrimonial do Banpará) estão a caminho de Medicilândia para prestar atendimento aos funcionários vítimas do assalto.


Uma equipe da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos de Belém está se deslocando para o município para assumir as investigações. Segundo a última atualização que tivemos, as buscas estão sendo realizadas em um ramal na zona rural de Medicilândia.

Unidades do Banpará são Alvos de Quadrilhas
        
Com esse assalto na Ag. Medicilândia, já são três unidades do Banpará que, em menos de um mês sofreram investidas de quadrilhas de assaltantes. No dia 30 de setembro, houve uma tentativa de arrombamento do caixa eletrônico da Seduc, na qual os bandidos agrediram o vigilante. Na madrugada do dia 5 de outubro, um grupo de meliantes explodiu os caixas eletrônicos tanto do Banpará quanto da agência do Banco da Amazônia – Basa, em Eldorado de Carajás.

Em matéria publicada na semana passada, a AFBEPA já havia chamado atenção para necessidade de redobrar a segurança e os cuidados nas unidades dos Bancos, tendo em vista que nesse período de final de ano as quadrilhas estão ainda mais ávidas por dinheiro e por isso os estabelecimentos bancários se tornam os alvos preferidos.

Não se apaga das memórias das vítimas todo o terror e sofrimento que passam em uma ação dessa natureza, é preciso que o Banco preste todos os cuidados necessários para seus funcionários, e que além de tomar medidas remediadoras, tome medidas preventivas para evitar que a vida dos trabalhadores seja ameaçada desse modo.

Investir em Segurança é Fundamental! A AFBEPA espera que o Banco realmente invista e redobre os cuidados com a segurança. Precisamos de Proteção à Vida dos funcionários e clientes do Banco. Essa intranquilidade provocada pela insegurança não pode continuar!

MAIS SEGURANÇA JÁ!

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Gleici Correa

Imagens: Via/Whatsapp

Assessoria de Imprensa

SENHOR, RECEBA NOSSA QUERIDA MARIINHA EM SEU REINO


É com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento da colega Maria das Dores Diniz, carinhosamente conhecida como Mariinha, que partiu para o lado de Deus ontem, 12 de outubro.

Mariinha tinha 71 anos e já era aposentada. Foi admitida no Banpará em 1966, onde trabalhou até 1995, e com seu trabalho muito contribuiu para o Banco alcançar seus objetivos e cumprir sua missão para com a sociedade.

Uma pessoa cheia de luz, sempre muito amável e carinhosa com todos, sendo muito querida por quem a conhecia e sua companhia fará muita falta.

Aos seus familiares, amigos e colegas, nosso profundo sentimento de solidariedade nesta hora de dor e a certeza de que Deus, nosso Pai, irá recebê-la em sua glória e amparar os corações doloridos dos que vão sentir muitas saudades sua.

A DIREÇÃO DA AFBEPA