sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

UNIDADES DE TRABALHO DO BANPARÁ CLAMAM POR MELHORIAS

A AFBEPA acha importante o Banpará implantar novas agências no interior do Estado. Para nós também é imprescindível que o local de trabalho esteja adequado e que o cliente seja bem tratado e atendido. 

É indispensável que o espaço físico oferecido seja planejado de acordo com as necessidades locais e que tenha um quantitativo de funcionários suficiente para atender a demanda, nas novas agências, e, também, nas existentes.

"É fundamental que o Banpará também olhe para as Agências e PABS já existentes. As denúncias sobre estrutura física precária e quadro funcional insuficiente são constantes na AFBEPA. Os clamores são muitos. É preciso que o Banco tome providências imediatas e, em alguns casos, com urgência para sanar os pedidos de melhorias”, ressalta a Presidenta da AFBEPA Kátia Furtado. 



ESPAÇO FÍSICO PRECÁRIO



Na Agência Concórdia do Pará, a principal reclamação é o espaço apertado, no qual os funcionários vêm trabalhando. “Estamos aguardando uma reforma que já está prevista, mas nunca sai do papel. Ela vai reestruturar o espaço físico da nossa agência e melhorar o nosso espaço de trabalho”, ressaltou um colega de Concórdia do Pará.

Relatos como esse são frequentes, como na Ag. Abaetetuba que precisa de reforma estrutural, pois o espaço físico é muito pequeno para atender a demanda diária que chega ao Banco, causando transtornos entre funcionários e clientes com filas imensas, estresse, desgaste físico e emocional. Além da melhoria do espaço físico, o Banpará precisa, ainda, ampliar o quadro funcional da Ag. Abaetetuba em pelo menos 3 funcionários, pois há relatos de colegas que não podem tirar férias para não complicar ainda mais o atendimento na Agência. Os antigos Cashs 4034 de autoatendimento que a agência possui, toda semana são motivos de reclamações, pois vivem com defeito, por isso, também precisam ser renovados.

Denúncia esta, não muito diferente da Ag. Breves que não está padronizada. “Quando as pessoas chegam aqui, nem pensam que é uma Agência bancária. O prédio é muito velho, com aspecto deteriorado, inclusive apresentando rachaduras em sua estrutura, o que causou medo nos funcionários, mas este problema já foi avaliado pelo departamento competente, que nos informou que não corre risco de ruir”, relatou um colega trabalhador. “Há, ainda, a promessa do Banco de construção de uma nova agência, porém essa promessa já se arrasta por mais de 5 anos. Estamos aguardando!”, conclui.

As Ag. Bragança e Paragominas estão aguardando resposta do Banpará, ainda neste primeiro semestre de 2015, quanto à reforma e ampliação das unidades onde funcionam ou mudança para um novo local, mais estruturado, que melhor acomode os funcionários e os clientes. 

QUADRO FUNCIONAL INSUFICIENTE 


A segunda principal reclamação que chega a nossa AFBEPA é a falta de funcionários para atender toda a demanda que chega diariamente ao Banpará. Além de Abaetetuba que precisa, de pelo menos, mais 3 funcionários, temos também as Agências Canaã dos Carajás, Xinguara, o PAB Moju e Tailândia, todas apresentando deficiência no quadro funcional.

Em Tailândia, por exemplo, a Agência só está funcionando com um caixa. “Em Tailândia só há um caixa para atender toda a população, pois os outros dois colegas estão afastados por motivo de saúde. Já foi pedido ao Banpará para enviar novos funcionários para cobrir o buraco, mas até agora nada, o que acaba gerando transtornos para os poucos funcionários existentes e para os clientes, que ficam com um atendimento precário”, verificou Kátia Furtado.

Nas outras unidades que também precisam de funcionários, a ordem do Banco é aguardar as convocatórias, do último concurso do Banpará, que serão feitas ainda neste ano. “Enquanto isso, vamos nos virando como podemos”, brincou uma colega de Xinguara. 

SAÚDE E EXCESSO DE TRABALHO



Saúde. Essa também é uma das preocupações dos funcionários do Banpará. Constantes são as notícias de funcionários que estão de Licença para tratamento de saúde, com problemas relacionados à estresse, coluna e Lesão por Esforço Repetitivo (LER).

Questões como excesso de trabalho foram as principais reclamações dos colegas de Cametá, que denunciam que os caixas estão trabalhando além do horário normal, diariamente, comprometendo suas saúdes físicas e emocionais e, ainda, sem receber a devida compensação financeira, ou seja, as horas extras mais o adicional de 50%.

É importante que o Banco tome providências a fim de prevenir esses problemas de saúde. Estimular o funcionário a parar de vez em quando e massagear as mãos e o pescoço ajuda a prevenir LER; bem como não sobrecarregar os funcionários com excesso de trabalho, distribuindo funcionários suficientes para atender às demandas de cada unidade, evita o excesso de estresse e possíveis problemas como insuficiência cardíaca, AVC, entre outros. Já para os problemas de coluna, “se o Banpará fornecesse apoio para os pés, já ajudaria bastante, pois esse tipo de material ajuda a corrigir a postura e preveniria hérnias de disco, por exemplo”, ressaltou uma companheira de Paragominas.

O que a colega solicita está previsto na Norma Regulamentadora nº 17, do Ministério do Trabalho, que assim dispõe: "17.1. Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente".

Portanto, o que falta é apenas o Banpará cumprir a Legislação Trabalhista, pois todos os trabalhadores precisam trabalhar com dignidade. Respeito é bom e todo mundo gosta!


UNIDOS SOMOS FORTES!



A DIREÇÃO DA AFBEPA 

Texto: Kamilla Santos 
Assessora de Imprensa

Nenhum comentário: