terça-feira, 7 de outubro de 2014

Desfiliação



SAIO DO SINDICATO!

Na sexta passada, 3/10/2014, entrei com o meu pedido de DESFILIAÇÃO do Sindicato dos Bancários do Pará.

Quando entrei no Banpará, em março de 1990, uma das primeiras providências que tomei foi me filiar ao Sindicato da Categoria, pois sempre acreditei e acredito que precisamos de um Sindicato forte para nos defender e lutar conosco por Direitos e sua preservação.

Em 2007, comecei a ver nitidamente a decadência e a falta de firmeza do Sindicato dos Bancários em nos representar. As ações em nosso socorro inexistiam ou o que prevaleciam eram as omissões. Para piorar esse cenário, em 2009, o Presidente do Banpará, na época o Sr. Edilson, me informou que todas as entidades sindicais haviam concordado, após uma reunião com a Direção do Banpará, em prorrogar o prazo para implantação do Plano de Cargos e Salários, que deveria ser implantado em 18/5/2009, ou seja, mais um Direito que por eles NÃO SERIA CUMPRIDO.

A AFBEPA e o funcionalismo tomaram para si a Luta pela Implantação do PCS e VENCEMOS. O Plano de Cargos e Salários foi Cumprido e hoje é uma realidade em nossas vidas!

Fizemos a Luta por Diretas Já, para eleger os nossos Representantes nos Comitês e GT/PCS, que até então eram indicados pelo Sindicato. Esse movimento do funcionalismo foi importante porque o Sindicato dos Bancários havia retirado o meu nome do Grupo de Trabalho, na força, porque lutamos para ver implantado o PCS. VENCEMOS!! Hoje, os trabalhadores (as) são eleitos para integrarem os Comitês e o Grupo de Trabalho-PCS.

O Ponto Eletrônico, principalmente para as agências, PABS e CAVS, desde 2008 vem sendo protelado, sem nenhuma compensação, e os bancários perdendo o devido pagamento das Horas Extras, sem o Sindicato Lutar por sua efetivação.

Os trabalhadores e trabalhadoras do Banpará por quase 8 anos deixaram de ganhar as 7ª e 8ª horas extras e a consequente Redução de Jornada, e somente quando a AFBEPA divulgou que iria tomar para si essa Luta e que eles acordaram e decidiram entrar na Justiça Trabalhista. Mas, é inegável os anos de prejuízo nas vidas dos colegas, que deixaram de ganhar dinheiro e qualidade de vida.

Nesta Campanha Salarial 2014/2015, logo no seu início, de forma tácita, aceitaram a Portaria 134/2014, que para qualquer leigo que a lê, constata as regras impostas pelo Banpará sobre a Mesa de Negociação.

Quando a AFBEPA foi tentar participar e defender melhores condições para o Acordo, o Sindicato, a CONTRAF e a Direção do Banpará empreenderam uma rota de fuga da mesa de negociação.

Na assembléia da Categoria ficou clara a forma vergonhosa e imoral do movimento sindical:

1º) assembléia às 15h, horário incomum para a sua realização, quando as assembléias na greve ocorrem geralmente às 17h;

2º) a fala da presidente do Sindicato parabenizando a organização da greve e a nossa força, mas orientando para a aprovação da proposta do Banpará;

3º) a suspeita fala do dirigente da CONTRAF/CUT, entidade que deveria estar alinhada com a Defesa dos nossos interesses e direitos, mas que na sua fala, defende a Direção do Banpará, citando que é a melhor Diretoria que ele já negociou. Estranho isso né?? Um dirigente de uma Entidade dos trabalhadores (as) NÃO DEFENDE PATRÃO. Se ele gostou tanto da Diretoria do Banpará, no mínimo, ele deveria se abster de falar essas coisas;

4º) a pressa do Sindicato em aprovar o que o Banpará queria, pois se não fosse a pressa e firmeza das dirigentes da AFBEPA, em tomar à frente e pedir a fala, não tínhamos conseguido defender a nossa posição de manter a greve e lutar por melhorar a proposta: reajuste e revisão de todas as comissões com prazo definido em ACT; Reajuste do Anuênio em 50%; Aumento da PLR Social para R$-5.000,00; Plano de Saúde para ascendentes e descendentes maiores de 18 anos; mais uma liberação para a AFBEPA; Garantia de Processo Seletivo para as Funções Comissionadas; Garantia de permanência na Unidade de Trabalho, do trabalhador(a) vítima de assalto, salvo sua opção por ser transferido, entre outros;

5º) Após a fala da AFBEPA, a Presidente do Sindicato colocou a proposta do Banpará em votação e sem proceder à conferência dos votos, ela aprovou a proposta do Banpará. Quem votou pelo Sim nos informou que ficou em dúvida se realmente a proposta do Banpará, defendida pelo Sindicato, foi a vencedora;

6º) O Banpará comunicou aos funcionários, através do doc. Proposta Banpará-ACT 2014/2015- de 02/10/2014, que o Sindicato havia firmado compromisso com ele de defender a proposta e divulgou que a assembléia ocorreria às 15h. Mais uma clara demonstração do compromisso do Sindicato com o Banpará e não com as nossas vidas.

Por que a pressa do Sindicato, para aprovar a proposta do Banpará?
Quem escolheu o horário incomum para a realização da  assembléia?
E de onde essas propostas saíram? Por que não buscaram melhorá-las?

Ainda tínhamos tempo, era necessário buscar melhorar a primeira proposta econômica que o Banpará oferecia, ano passado o Banpará, na sua primeira proposta ofereceu apenas o anuênio e o funcionalismo rejeitou em assembleia.
São tantas omissões, negligências, falta de atitude e pudor com os nossos Direitos e Interesses, que eu não acredito mais nessa Gestão Sindical, por isso resolvi de forma irrevogável e irretratável me DESFILIAR.
Belém (PA), 6 de outubro de 2014.
KÁTIA LUIZA S. FURTADO
Funcionária do BANPARÁ e Presidenta da AFBEPA.

Um comentário:

Orlando Antonio dos Santos disse...

Esse acordo foi uma vergonha. Me sinto envergonhado de ter entrado nessa greve e sair dela após 3 dias com um acordo desse. Também já solicitei minha desfiliação. Esse sindicato não me representa, e acredito que a maioria do funcionalismo está insatisfeito com esse acordo de compadres.