quinta-feira, 13 de outubro de 2011

AGENDA DE NEGOCIAÇÕES DOS BANCÁRIOS

No site da Contraf/Cut

Força da greve nacional arranca negociação com Fenaban nesta quinta

Após 16 dias de greve nacional, a Fenaban rompeu nesta quarta-feira (12) o silêncio e decidiu retomar as negociações com o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, marcando nova rodada para esta quinta-feira (13), às 16 horas, em São Paulo. O agendamento ocorre um dia depois da reunião do Comando Nacional, em São Paulo, que decidiu fortalecer e ampliar ainda mais as paralisações. 

(...)
Os bancários reivindicam reajuste de 12,8% (aumento real de 5% mais inflação do período), valorização do piso, maior Participação nos Lucros e Resultados (PLR), mais contratações, extinção da rotatividade, fim das metas abusivas, combate ao assédio moral, segurança contra assaltos e sequestros, igualdade de oportunidades, melhoria do atendimento dos clientes e inclusão bancária sem precarização, dentre outros itens.

"Os bancos brasileiros são os que mais lucram na América Latina. No entanto pagam um piso salarial menor do que o recebido por argentinos e uruguaios, mas pagam bônus milionários para seus altos executivos, os maiores do continente", aponta Cordeiro. Conforme pesquisa do Dieese e da Contraf-CUT, o salário de ingresso nos bancos no Brasil em agosto de 2010 era equivalente a US$ 735, mais baixo que o dos uruguaios (US$ 1.039) e quase metade do recebido pelos argentinos (US$ 1.432).

"Um país em que os altos executivos dos bancos chegam a ganhar até 400 vezes mais que o piso da categoria não pode ser chamado de justo", sustenta o dirigente sindical. "Além disso, os bancos utilizam a alta rotatividade do mercado de trabalho, muito maior que em outros países, para reduzir a massa salarial dos bancários", denuncia.

"Com os lucros acima de R$ 27,4 bilhões obtidos somente no primeiro semestre, os bancos têm plenas condições de trazer uma nova proposta com conquistas econômicas e sociais para os bancários, além de prestar melhores serviços para os clientes e a sociedade brasileira, contribuindo para o desenvolvimento com geração de empregos e distribuição de renda", ressalta o presidente da Contraf-CUT.

Negociações com BB e Caixa
Após a rodada com a Fenaban, o Comando Nacional, assessorado pela Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil e pela Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa Econômica Federal, retomará as negociações com as direções desses dois bancos federais para discutir as pautas específicas de reivindicações e cobrar avanços para os trabalhadores.

Negociações com BNB e Banco da Amazônia
O Comando Nacional, assessorado pela Comissão Nacional dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e pela Comissão de Negociação dos Funcionários do Banco da Amazônia, também retoma as negociações específicas com as direções desses dois bancos federais nesta sexta-feira (14). 

A rodada com o BNB ocorre às 9h, na sede administrativa do banco(Passaré), em Fortaleza. Já a reunião com o Banco da Amazônia acontece no mesmo horário, em Belém. Os trabalhadores esperam propostas com avanços para as questões específicas.

Reuniões do Comando Nacional
Os integrantes do Comando Nacional se reúnem antes da negociação nesta quinta-feira, às 15 horas, nas dependências do Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo.

Após as negociações, o Comando Nacional volta a se reunir para fazer avaliação e definir orientações aos sindicatos.


Fonte: Contraf-CUT





COMENTÁRIO DA AFBEPA: 
1) Estranho o silêncio da Contraf/Cut e Sindicatos alinhados sobre a decisão do governo Dilma em cortar o ponto dos grevistas do BB e da Caixa. Esperamos que a Contraf e seus Sindicatos, a exemplo do Sindicato dos Bancários do Maranhão, estejam agindo para proteger os direitos dos bancários;


2) Desejamos todo sucesso na negociação para que sejam superados os impasses e a categoria conquiste ganhos reais do setor que mais lucra no país;


3) Lembrando que tudo o que for acordado melhor na mesa da Fenaban será agregado ao nosso Acordo Coletivo.


UNIDOS SOMOS FORTES!






*

Um comentário:

Anônimo disse...

Estamos torcendo pelos colegas.