terça-feira, 11 de outubro de 2011

DILMA MANDA CORTAR PONTO DOS BANCÁRIOS EM GREVE

Recebemos por e-mail e repercutimos diante da gravidade da denúncia. Afirma o Sindicato dos Bancários do Maranhão que o Governo Federal finalmente rompeu o silêncio, mas não foi para negociar e encerrar a greve dos bancários. Pelo contrário. Mesmo estando na Bulgária, a presidente Dilma ordenou que as direções da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil cortassem o ponto dos bancários que aderiram à greve nacional da categoria. Trata-se de um absurdo contra o direito legítimo e legal de greve! Fosse um ato de qualquer outro partido, a Contraf/Cut estaria botando o bloco na rua. Antecipou-se a direção do Sindicato do Maranhão, que ajuizou ação para garantir a greve. Leia, confira e comente.
__________________________________________________

SEEB-MA ajuizou ação antes que Dilma ordenasse corte de ponto dos bancários

Com esse recurso, o SEEB-MA tem grandes expectativas que os bancários não terão os dias parados descontados dos salários.
10/10/2011 às 08:04
Ascom/SEEB-MA
http://www.bancariosma.org.br/resize.asp?path=e:\home\bancariosma\Web\images\amarildo_greve.jpg&Width=347&Height=225

Será que, no Brasil, existe realmente direito de greve?
Ciente de que mais cedo ou mais tarde o Governo iria mostrar sua face, o Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB-MA) se adiantou ao ajuizar perante a Justiça, uma ação civil pública com o objetivo de sustar o corte de ponto dos bancários do Maranhão.

Com esse recurso, o SEEB-MA tem grandes expectativas que o direito constitucional de greve seja garantido aos bancários de todo o Estado, sem descontos nos salários dos trabalhadores pelos dias parados.

SAIBA MAIS

Corte de ponto dos grevistas, uma censura silenciosa

Planalto manda cortar ponto de grevistas do BB e CEF

O Governo Federal finalmente rompeu o silêncio. Não foi para negociar e encerrar a greve dos bancários. Pelo contrário. Mesmo estando na Bulgária, a presidente Dilma ordenou que as direções da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil cortassem o ponto dos bancários que aderiram à greve nacional da categoria.

O anúncio - feito pelo Ministério da Fazenda - só evidencia ainda mais que o Governo, os banqueiros e a Contraf-CUT são todos farinha do mesmo saco. Uma união firme e forte que, ao contrário do que veicula a mídia, já escancara a existência de uma censura silenciosa que nos leva a crer que no Brasil não existe direito real de greve.

A CUT, representante do Governo, quer dizer, dos trabalhadores, até agora não divulgou nada sobre o corte em sua página na Internet. Mas alguém esperava por isso? Afinal de contas, a CUT é o braço sindical do PT de Dilma e Lula, logo está de acordo com o que declarou o ex-presidente, em 2007, que “greve sem corte de ponto vira férias”.  

O SEEB-MA alerta que essa medida tomada pelo Governo visa impor o medo aos que ainda não aderiram à greve e colocar dúvida nos grevistas, situação que caracteriza a prática de assédio moral contra os trabalhadores. O presidente do SEEB-MA, José Maria Corrêa Nascimento, conclama os bancários a não se intimidarem com as ameaças dos bancos e do Governo Federal.

“Não se submetam à pressão dos banqueiros e do Governo, ignorem ligações convocando-os a voltarem ao trabalho. Nossa greve é forte, legal, justa e legítima. O fim do movimento só será decidido em assembleia da categoria, com a apresentação de uma nova proposta pelos patrões, no mínimo equivalente aos acordos fechados com o BRB e Banpará, de forma alguma, por atitudes e decisões como essas” – assegurou. 







*

Um comentário:

Anônimo disse...

57 milhões quiseram o continuísmo do PT no governo...Agora estão colhendo o que plantaram. Quando a semente é ruim, o fruto é podre.