quinta-feira, 23 de março de 2017

AFBEPA SOLICITA URGENTE REUNIÃO COM O SINDICATO

A AFBEPA encaminhou hoje, 23 de março, um Ofício ao Sindicato dos Bancários e à Federação Centro Norte - Fetec, solicitando uma reunião para tratar com urgência de medidas implementadas pelo Banpará que expõem o funcionalismo do Banco a perigos e situações constrangedoras e vexatórias, assim como as reestruturações e descomissionamentos  que o Banco vem promovendo e os requerimentos do Grupo de Trabalho do Plano de Cargos e Salários, que até o presente momento não foram respondidos, e o que ocorrer.

Veja abaixo o ofício na íntegra.







 UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Gleici Correa

Assessoria de Imprensa

terça-feira, 21 de março de 2017

MANIFESTANTES REIVINDICAM MELHORIA DO GERENCIAMENTO E AGILIZAÇÃO NA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS NA AG. CONCÓRDIA


No dia 18 de março, ocorreu uma manifestação em frente à Agência do Banpará, em Concórdia do Pará, e através dela manifestantes reivindicavam melhoria do gerenciamento e agilização na prestação dos serviços.

A AFBEPA enviou um ofício solicitando que o Banpará aja de maneira urgente para solucionar os problemas que estão ocorrendo naquela unidade de trabalho. Alguns já foram elencados no ofício que a AFBEPA encaminhou para o Banco, no dia 17 de março (que você pode ver clicando aqui).

A Associação espera que o Banco dê uma resposta positiva no sentido de resolver essas situações.

Veja abaixo o ofício na íntegra.





UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Gleici Correa


Assessoria de Imprensa

segunda-feira, 20 de março de 2017

INICIOU HOJE A DISTRIBUIÇÃO DO JORNAL AÇÃO E CORAGEM


O "JORNAL AÇÃO E CORAGEM - ESPECIAL JURÍDICO", da Associação dos Funcionários do Banpará - AFBEPA, edição 10, de Março de 2017, já está sendo distribuído nas unidades bancárias pela presidenta Kátia Furtado e pelo funcionário da Associação, Márcio Dias.


O informativo traz um panorama atual das Ações Coletivas ajuizadas pela nossa Assessoria Jurídica, do escritório Tuma & Torres Advogados Associados, informando aos nossos Associados como estão essas ações.

A Assessoria Jurídica do escritório Valéria Fidellis & Associados, que atua em Ações individuais dos nossos Associados, vai desde a defesa dos trabalhadores(as)  em processos administrativos disciplinares; em ações judiciais  e também na defesa de direitos na relação de consumo, entre outras.

Nesta edição apresentamos o Escritório Penner, que agora também presta assessoria jurídica para a AFBEPA. Especialista em causas trabalhistas bancárias, o escritório vem fazendo um ótimo trabalho e garantindo vitórias para os funcionários do Banpará, em Ações destinadas a indenizar vítimas de sapatinho, incorporações de comissões, barrar transferências unilaterais, entre outras, quer seja por meio de Ações judiciais e ou Administrativas.


A AFBEPA está na luta, para defender o respeito aos direitos dos funcionários e funcionárias do Banpará, assim como seus interesses. Muitas vitórias foram conquistadas em nossas Ações e ainda teremos muitas outras pela frente, pois nosso dever e compromisso é com a luta de classes.


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto e Fotos: Gleici Correa

Assessoria de Imprensa

AFBEPA MUDOU DO 8º PARA O 3º ANDAR DO ED. INFANTE DE SAGRES

Colegas, a AFBEPA informa que mudou de sala, desde de hoje (20 de março), mas continuamos no mesmo endereço , Edifício Infante de Sagres, localizado na Rua Senador Manoel Barata, nº 718, Bairro da Campina, (entre a Av. Presidente Vargas e a Trav. 1º de Março), somente mudamos do oitavo para o terceiro andar, sala 308.

Devido à mudança, nossa internet e nossos telefones fixos ainda não estão funcionando, mas estamos atendendo em nosso telefone móvel pelos números 99247-6774 (TIM) / 98897-9781 (OI) e também, presencialmente, na nova sala da AFBEPA.

Pela falta de internet, ainda estamos com alguma dificuldade para executar certos procedimentos, mas a AFBEPA está sempre de portas abertas para atender nossos associados.

Agradecemos a compreensão de todos!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

sexta-feira, 17 de março de 2017

AFBEPA SOLICITA PROVIDÊNCIAS PARA PROBLEMAS DE CONDIÇÕES DE TRABALHO NA AGÊNCIA DE CONCÓRDIA DO PARÁ

A AFBEPA soube que os funcionários da Agência Concórdia estão sofrendo com a falta de condições de trabalho, que têm prejudicado o funcionamento da Agência e o atendimento aos clientes, por isso enviou hoje, 17 de março, um ofício a DIRAD pedindo providências para os problemas relatados.

A AFBEPA está sempre buscando dialogar com o Banpará, para garantir melhorias importantes na condição e no ambiente de trabalho dos funcionários.

Veja o ofício na íntegra abaixo.




UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Gleici Correa

Assessoria de Imprensa

quarta-feira, 15 de março de 2017

TRABALHADORES VÃO ÀS RUAS CONTRA AS REFORMAS PREVIDENCIÁRIA E TRABALHISTA

Ato contra as Reformas Previdenciária e Trabalhista em Belém

Hoje foi um dia de mobilização em todo o país, trabalhadores foram às ruas protestar contra a Reforma da Previdência e a Reforma Trabalhista, que ameaçam retirar nossos direitos. Em Belém o ato aconteceu na manhã de hoje, na Praça da república.

A reforma da Previdência (PEC 287/2016) que já tramita a todo vapor na Câmara Federal prevê o estabelecimento de uma idade mínima geral (65 anos) para aposentadoria, combinada a um tempo de contribuição (25 anos), prejudicando todos os trabalhadores, mas principalmente as mulheres e as categorias que ainda têm regras diferenciadas de tempo e idade, como os professores.

Apesar de a grande mídia exaltar os benefícios que essas reformas trarão para o Brasil, não podemos nos deixar enganar, pois a maior parte da população não ganhará nada com elas, muito pelo contrário.
Ato contra as Reformas Previdenciária e Trabalhista em Belém

É absurdo pensar que teremos que trabalhar até os 65 anos, quando a expectativa de vida do brasileiro é de 75,5 anos, sem falar que essa expectativa muda de região para região, a maioria dos trabalhadores será obrigada a trabalhar ainda mais e nem assim terão certeza se conseguirão se aposentar.

Abaixo veja os principais pontos da Reforma da Previdência.

Aumento da idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres

A PEC propõe igualar a idade mínima para homens e mulheres, que passariam a se aposentar aos 65 anos de idade e teriam que ter pelo menos 25 anos de contribuição para a Previdência. Um verdadeiro ataque aos direitos de todos os trabalhadores, em especial ao das mulheres, que enfrentam múltipla jornada de trabalho ( trabalho formal; cuidar da casa; lavar, passar, cozinhar; cuidar dos filhos e de sua educação, entre outros ofícios). Essa proposta não leva em consideração que a expectativa de vida é diferente dependendo da região brasileira.

Aposentadoria integral somente com 49 anos de contribuição

Para se ter o direito à aposentadoria integral será preciso contribuir por 49 anos. Ou seja, para o trabalhador se aposentar aos 65 anos terá que começar a trabalhar aos 16 anos, idade escolar, e ter emprego com carteira assinada de forma ininterrupta sem uma única demissão. Tudo isso em um país onde o índice de desemprego é altíssimo. A grande maioria vai morrer sem se aposentar. Os que conseguirem não receberão o benefício de forma integral.

Redução no valor das Pensões

Pela proposta do governo a pensão por morte deixa de ser integral, sendo reduzida para 50%, com acréscimo de 10% por cada dependente menor. Mais uma vez são as mulheres que mais sofrem, pois a grande parte dos pensionistas são mulheres, que na maioria das vezes tem apenas essa renda para sobreviver. Para piorar, o reajuste da pensão será desvinculado do reajuste do salário mínimo o que impedirá qualquer aumento real no valor da pensão. Existem ainda outras medidas que atacam os direitos dos trabalhadores, como o fim do regime especial de aposentadoria para professores; criação de fundos de previdência complementar para todos os estados e o aumento da idade de 65 para 70 anos para que os beneficiários pela Lei Orgânica de Assistência Social e do Benefício Assistencial de Prestação Continuada (BPC) recebam o seu benefício.
Ato contra as Reformas Previdenciária e Trabalhista em Belém

É PRECISO MOBILIZAR E ORGANIZAR A NOSSA CATEGORIA

As reformas Previdenciária e Trabalhista vêm com o objetivo de precarizar ainda mais a situação do trabalhador brasileiro, e não podemos ficar parados esperando que isso aconteça, só a luta pode mudar essa situação, por isso é necessário que haja uma mobilização, por local de trabalho, de nossa categoria, para que juntos, com todos os trabalhadores, possamos barrar essas reformas que são nocivas e só irão piorar as nossas condições de Vida.

A paralisação de hoje precisava dessa mobilização e de um pouco de organização. Ninguém sabia quantas agências bancárias e que Bancos iriam parar, ou seja, a organização deixou a desejar. Se a categoria entende que é fundamental essa Luta, como é, então se torna imperioso que a maioria da categoria abrace a causa. A decisão não pode ser individual, mas Coletiva!

Por isso a AFBEPA junto com a AEBA, irá organizar indicativamente no dia 06 de abril às 18h, uma Palestra-debate sobre as Reformas Previdenciária e Trabalhista, para que possamos ganhar conhecimento e tirar as nossas dúvidas acerca desses temas que irão interferir diretamente na vida dos trabalhadores. Só assim poderemos, juntos, enfrentar esse cenário. Disponibilizaremos mais informações a respeito do evento nas plataformas de comunicação da AFBEPA.

A classe trabalhadora precisa se unir para que possamos resistir e vencer todos esses ataques do governo, que pretendem acabar com os atuais direitos previstos.


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Gleici Correa

Assessoria de Imprensa

Fotos: Raphael Castro

sexta-feira, 10 de março de 2017

AFBEPA TRAZ MAIS INFORMAÇÕES SOBRE A TENTATIVA DE "SAPATINHO" SOFRIDA PELO FUNCIONÁRIO DO BANPARÁ DA AG. MARITUBA

Recebemos a pouco novas informações de uma pessoa vizinha do GESIN, afirmando que já estão em casa a esposa do funcionário, sua sogra e um dos cunhados.

Nós da AFBEPA esperamos que os outros membros da família retornem logo ao seu lar, que a paz e tranquilidade voltem a reinar novamente no seio dessa família.

A Associação falou com Gerente Geral da agência Marituba, que estava junto com o colega GESIN na unimed, sendo medicado.


A AFBEPA espera que o Banco cumpra o seu papel de propiciar segurança contra o assalto no “sapatinho” e todo o apoio que essa família merece para que seja recuperada logo a paz de espírito.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Assessoria de Imprensa

NOVAS INFORMAÇÕES SOBRE A TENTATIVA DE "SAPATINHO" SOFRIDA PELO FUNCIONÁRIO DO BANPARÁ DA AG. MARITUBA

Recebemos novas informações a respeito da tentativa de sapatinho sofrida pelo funcionário GESIN, da AG. Marituba. Está confirmado que o funcionário foi liberado, mas, infelizmente, a sua família ainda não foi localizada, apenas o carro de um dos cunhados foi encontrado e não havia ninguém no veículo.

As notícias de que a família e o bancário estavam na Delegacia, já liberados para irem para sua casa foi repassada pela assessoria de comunicação da DRCO.
Informaremos assim que tivermos novas notícias.

Nós da AFBEPA estamos rezando para que a família do colega seja encontrada logo, pois todos estão muito apreensivos com a falta de informações.

Deus por nós!

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Gleici Correa

Assessoria de Imprensa

MAIS UMA VÍTIMA DE TENTATIVA DE SAPATINHO NO BANPARÁ

Hoje, às 03h00 da madrugada, bandidos chegaram na casa do GESIN da agência do Banpará de Marituba, em uma Hilux branca e o levaram como refém junto com a sua esposa, filha, sogra, cunhada e dois cunhados; apenas a sobrinha não foi levada, pois não se encontrava em casa no momento do sequestro. Segundo a Superintendência de Segurança do Banpará-SUSEM, o que aconteceu foi uma tentativa de “Sapatinho” e a polícia está cuidando do caso.

Segundo informações de uma vizinha, os bandidos estavam tentando pegar o GESIN e sua família desde o carnaval, o que não foi possível, pois todos estavam viajando. O carro de um dos cunhados foi encontrado em Marituba, mas as vitimas não estavam nele.

A tentativa de “Sapatinho” foi frustrada e o funcionário e sua família foram liberados agora a pouco. A DRCO informou a esta AFBEPA que o colega foi ouvido e encaminhado para casa.

É preciso que o Banpará entenda que as casas dos funcionários hoje é uma extensão do local de trabalho e que certos empregados estão mais expostos do que outros dentro de suas casas, como se estivessem no ambiente de trabalho. O risco é o trabalho com dinheiro, que é o negócio do Banco, o que faz os bandidos mapearem e cometerem esse tipo de crime. O Banco ainda não protege a casa desse trabalhador, e esse procedimento é fundamental para que se busque evitar esses infortúnios, não há política de prevenção ao “sapatinho”, por isso esse cenário de violência contra os trabalhadores (as) e suas famílias.


Nós da AFBEPA, nos solidarizamos com o colega e sua família e esperamos que possam superar esse trauma.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Gleici Correa

Assessoria de Imprensa

quarta-feira, 8 de março de 2017

VIVA 8 DE MARÇO! A AFBEPA PARABENIZA TODAS AS MULHERES DO BANPARÁ E AS MULHERES EM GERAL


Hoje, no Dia Internacional da Mulher, a presidente da AFBEPA, Katia Furtado, participou de uma manifestação organizada pela Associação dos Empregados do Banco da Amazônia (AEBA) para celebrar esse dia e prestigiar a luta das mulheres, que não se resume somente a um dia por ano, pois todos os dias são dias de luta para nós. Hoje, mais do que celebrar as mulheres precisamos lutar para que nenhuma de nós sofra com todas as desventuras a nós impostas simplesmente por sermos mulheres.

Em sua fala, a Presidente da AFBEPA, chamou a atenção para o alto índice de violência contra a mulher e também para a situação das mulheres no mercado de trabalho, pois muitas dessas ainda ganham menos do que os homens, exercendo as mesmas funções. A respeito da situação das mulheres bancárias, Katia chamou a atenção para o assédio que várias colegas sofrem em seus locais do trabalho, que, apesar de não ter dados quantificados, é uma realidade nos estabelecimentos bancários, e que precisamos ficar atentas e nos ajudar nessa luta.


A violência contra a Mulher ainda é alarmante, e vem de uma cultura patriarcal antiga, que não se amolda aos tempos atuais. Essa violência está posta sob a forma de violência física e psicológica, retirada de direitos, inobservância de isonomia, assédios, entre outras.

O Brasil é o quinto país em violência contra as mulheres. Essa é uma realidade que não podemos aceitar, não podemos nos curvar diante de uma sociedade patriarcal e machista na qual a mulher não é valorizada. Nós aceitamos as rosas que recebemos nesse dia, mas queremos muito mais, queremos ser valorizadas no mercado de trabalho, queremos não ser agredidas, queremos que nossos direitos sejam respeitados, queremos sair na rua sem medo de sermos violentadas, queremos que a sociedade entenda que nossa roupa longa ou curta não é um convite e muito menos uma provocação.

Mulher é Força, que usamos para desempenhar bem todos os nossos papéis, mulheres já nascem com o espírito de lutadoras, pois só com luta é que pudemos conquistar tudo o que já conquistamos. E não é de hoje que nós mulheres lutamos por igualdade, inclusão e respeito. Há muito tempo as mulheres vêm buscando seu lugar enquanto parte ativa da nossa sociedade, ainda que sob o jugo opressor e dominante de um sistema machista.

E é a todas essas colegas lutadoras, sonhadoras, bancárias do Banpará e todas as mulheres do mundo, que a AFBEPA gostaria de parabenizar neste dia de comemoração e de Luta, e desejar muitas Vitórias mais.

RESPEITO À VIDA. RESPEITO AO NOSSO DIREITO DE SER MULHER!

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Gleici Correa


Assessoria de Imprensa

sexta-feira, 3 de março de 2017

AFBEPA BUSCA INFORMAÇÕES JUNTO AO BANPARÁ SOBRE O VALE CULTURA E SOBRE A CÉDULA C

Na data de ontem, 02 de março, esta AFBEPA recebeu de seus associados solicitações de informações a respeito da situação do vale Cultura do Banpará nesse exercício.

A Cláusula 12ª do ACT 2016/2018 e o Parágrafo Sexto da Cláusula 69 da CCT 2016/2018, a respeito do Vale cultura, dizem que:
 
Cláusula 12ª do ACT 2016/2018
Parágrafo Sexto da Cláusula 69 da CCT 2016/2018


A AFBEPA, preocupada com a falta de informação por parte do banco, encaminhou um e-mail (veja imagem abaixo) a fim de buscar informações a respeito da continuidade ou não do Vale Cultura dos funcionários do Banpará, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta.

E-mail encaminhado ao Banpará
"Com os cumprimentos desta AFBEPA, solicitamos informações a respeito do Vale Cultura dos funcionários do Banpará.Há informações desencontradas a respeito da continuidade ou não desse benefício, o que deixa os funcionários sem saberem o que realmente está acontecendo. Por isso pedimos que o Banpará se pronuncie a respeito desse assunto, a fim de sanar as dúvidas de seus funcionários. A AFBEPA agradece a breve resposta."

Cédula C

Outra dúvida que foi manifestada em nossos grupos de Whatsapp, foi a respeito da Cédula C dos funcionários do Banpará e onde ela estaria sendo disponibilizada.

Ligamos para o Banpará para obter mais informações a esse respeito e nos foi repassado que tudo o que se precisa saber a respeito da Cédula C será disponibilizado em um Aviso Circular que deveria sair hoje, 03 de março, mas que sairá até segunda-feira.

Continuaremos buscando mais informações para que possamos manter nossos associados informados a respeito destes e de outros assuntos importantes.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Gleici Correa

Assessoria de Imprensa