sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

AOS QUE LUTARAM CONOSCO EM 2016 E AOS QUE ACREDITAM NA LUTA, OS NOSSOS SINCEROS AGRADECIMENTOS


Mais um ano vai chegando ao fim, um ano de muita luta. Mais um ano em que comungamos as nossas Forças na busca por melhores condições salariais e de trabalho. Um ano em que pouco – ou quase nada – conquistamos na nossa campanha salarial, pois de um lado, a partir da “aparente” imagem de que na negociação entre patrão e empregados há uma igualdade de forças, a nossa representação sindical quedou, impondo-nosa perda do Acordo Anual e salários reajustados abaixo da inflação após 31 dias de greve.


Precisamos nos preparar para o cenário imposto pelos patrões e o Governo para o próximo biênio, haja vista os Sindicatos terem aceitado o Acordo Bianual, que retira o nosso direito de greve por um ano e deixa o trabalhador no arrocho.

Ousamos e tivemos coragem de lutar até o fim, incansáveis, independentes e aqui renovamos o nosso compromisso de continuarmos na luta em Defesa e pela garantia dos nossos Direitos, com coragem, união e dedicação.

Em 2017, a AFBEPA vai proporcionar diversos cursos e palestras que nos ajudarão na defesa dos nossos interesses. Os minicursos sugeridos são: Direito do Trabalho, Previdência Social e Aposentadoria, Segurança no Trabalho, Relacionamento Interpessoal, Gramática e Redação, Matemática, Gestão Financeira e Orçamentária, Gestão Doméstica Inteligente e Conhecimentos básicos de Primeiros Socorros. Lembramos que associados e associadas poderão sugerir outros temas por meio de nosso e-mail e de nossas redes sociais. Todos os assuntos serão avaliados e oferecidos de acordo com a disponibilidade.

Que 2017 chegue repleto de Paz para reconstruir a nossa Unidade, com Respeito ao próximo, Saúde e Prosperidade

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA


Assessoria de Imprensa

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

AOS QUE LUTARAM CONOSCO EM 2016 E AOS QUE ACREDITAM NA LUTA, OS NOSSOS SINCEROS AGRADECIMENTOS












Mais um ano vai chegando ao fim, um ano de muita luta. Mais um ano em que comungamos as nossas Forças na busca por melhores condições salariais e de trabalho. Um ano em que pouco – ou quase nada – conquistamos na nossa campanha salarial, pois de um lado, a partir da “aparente” imagem de que na negociação entre patrão e empregados há uma igualdade de forças, a nossa representação sindical quedou, impondo-nos a perda do Acordo Anual e salários reajustados abaixo da inflação após 31 dias de greve.


Precisamos nos preparar para o cenário imposto pelos patrões e o Governo para o próximo biênio, haja vista os Sindicatos terem aceitado o Acordo Bianual, que retira o nosso direito de greve por um ano e deixa o trabalhador no arrocho.

Ousamos e tivemos coragem de lutar até o fim, incansáveis, independentes e aqui renovamos o nosso compromisso de continuarmos na luta em Defesa e pela garantia dos nossos Direitos, com coragem, união e dedicação.

Em 2017, a AFBEPA vai proporcionar diversos cursos e palestras que nos ajudarão na defesa dos nossos interesses. Os minicursos sugeridos são: Direito do Trabalho, Previdência Social e Aposentadoria, Segurança no Trabalho, Relacionamento Interpessoal, Gramática e Redação, Matemática, Gestão Financeira e Orçamentária, Gestão Doméstica Inteligente e Conhecimentos básicos de Primeiros Socorros. Lembramos que associados e associadas poderão sugerir outros temas por meio de nosso e-mail e de nossas redes sociais. Todos os assuntos serão avaliados e oferecidos de acordo com a disponibilidade.

Que 2017 chegue repleto de Paz para reconstruir a nossa Unidade, com Respeito ao próximo, Saúde e Prosperidade

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Assessoria de Imprensa

COMUNICADO


segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

BANPARÁ DIZ QUE VAI GARANTIR BENEFÍCIO DO VALE CULTURA EM 2017

O programa Vale Cultura teve recursos aprovados para sua continuidade em 2017. A dúvida de muitos colegas era devido ao término do prazo de validade, no próximo dia 31. Porém, a aprovação da Lei Orçamentária Anual (LOA) pelo Congresso Nacional, no dia 15 passado, e a garantia do prosseguimento do programa pelo atual Presidente da República, preveem os recursos necessários à manutenção do benefício, que destina R$ 50 mensais ao trabalhador para a aquisição de bens e produtos culturais.

Segundo informações obtidas pela AFBEPA na manhã de hoje, o Banco diz que vai manter o benefício, só não sabe a data que iniciará o gozo e o seu valor. Quem já está usufruindo do Vale Cultura atualmente, poderá fazê-lo até o próximo dia 31. As regras do próximo ano é que ainda faltam ser editadas pelo Banco.

Portanto, que o programa será mantido ano que vem, já sabemos. Resta-nos saber agora a data provável para voltar a utilizá-lo – visto que o setor competente ainda não dispõe de informações disciplinadas sobre a questão – e de quanto será o benefício, ou se permanecerá o valor de R$ 50.

O que é – O Vale Cultura é administrado pelo Ministério da Cultura e é uma conquista fruto da campanha salarial da categoria em 2013. Desde 2014 o programa atende bancários e bancárias em todo o país, inclusive no Banpará. O fornecimento do Vale Cultura está previsto na cláusula 69ª da CCT Fenaban (veja abaixo), depende de prévia aceitação pelo empregado e não tem natureza remuneratória.



Como funciona – O cartão do Vale Cultura credita R$ 50 mensais aos trabalhadores que recebem até cinco salários mínimos mensais para a aquisição de bens e produtos culturais, tais como: acesso a cinema, teatro e shows. Algumas livrarias e papelarias também aceitam o benefício, que é cumulativo.


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Assessoria de Imprensa

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

FELIZ NATAL!


AFBEPA PEDE MAIORES ESCLARECIMENTOS SOBRE DISPOSITIVO CONTIDO NO AVISO CIRCULAR 396

Como já é do conhecimento de todos, aproxima-se a data de pagamento dos Servidores Públicos em todo o Estado do Pará. Preocupada com o pagamento dos salários dos servidores públicos no próximo dia 27 – devido a dispositivo contido no Aviso Circular 396, onde se determina que é preciso o cumprimento de um dia útil para pagamento de salários acima de R$ 5 mil – a AFBEPA protocolou nesta sexta-feira, 23, ofício ao Diretor de Crédito (DICRE) solicitando o devido esclarecimento sobre tal dispositivo: Se os funcionários Caixas e Gerentes devem cumprir a regra geral estabelecida no referido Normativo ou se o pagamento dos salários deve ser entendido como exceção a essa regra.

O Aviso Circular comunica os procedimentos a serem adotados nas Agências, Postos de Serviços e Caixas Avançados do Banpará por ocasião da liberação de pagamentos. A AFBEPA pede que o Banpará esclareça se o pagamento de salários é uma exceção à regra geral desse Normativo.

Os bancários que estão na ponta, ou seja, nas agências, PABs e CAVs, precisam saber como proceder acerca do pagamento dos salários. Por isso, a AFBEPA solicitou resposta até a próxima segunda-feira, dia 26.




UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA





terça-feira, 20 de dezembro de 2016

AFBEPA SORTEIA AGENDAS POÉTICAS PARA ASSOCIADOS DA CAPITAL E DO INTERIOR



A AFBEPA adquiriu 10 agendas poéticas e realizou, no início da tarde de hoje (20), o sorteio de Natal para os nossos Associados e Associadas da capital e do interior do Estado. O sorteio é baseado nos dados de lotação de cada associado(a) informados pelo Banco.




Dos atuais 2.033 bancários e bancárias, pouco mais de 700 estão associados à AFBEPA. Filiem-se! Todo o investimento é feito em nossa luta e em serviços para a categoria.

E aos agraciados, curtam suas lindas agendas 2017!

VEJA OS NOMES E LOTAÇÃO DOS GANHADORES:
  • Roberto Andrade Bacelar (SUDEP)
  • Claubia de Medeiros da Silva Lobato (SUDES)
  • Adenor Mário da Silva (SUCOB)
  • Augusto Silveira Marques (Agência Icoaraci)
  • Agostinho Macedo Almeida (Agência Senador Lemos)
  • Rosinaldo de Jesus da Silva (Agência Telégrafo)
  • Gidinaldo Ferreira de Souza (Agência Capitão Poço)
  • Sandra Maria Demétrio Cardoso (Agência Maracanã)
  • Waldemir do Nascimento Moraes (Agência Marituba)
  • Adriana Leal Almeida Reis (Agência Itupiranga)


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

EM CASO DE SUPOSTA FALTA FUNCIONAL, BUSQUE ORIENTAÇÃO IMEDIATA DA AFBEPA

O Processo Administrativo Disciplinar (PAD) é um instrumento pelo qual a administração pública exerce seu poder de apurar supostas infrações de seus funcionários, aplicando-lhes certas penalidades, em caso de confirmação da infração.

Deveria haver criteriosos procedimentos e todas as diligências possíveis para arquivar ou penalizar o empregado.

No Banpará, decisões rigorosas e desproporcionais vêm sendo aplicadas, sem que se observe a Razoabilidade e a Proporcionalidade da Pena. A AFBEPA tem notícia de que em alguns casos parece que a falta de proporção e dosagem da pena se revestem de um caráter retaliatório.

ISSO É INACEITÁVEL! Na Campanha Salarial lutamos por um Comitê Disciplinar Deliberativo e a Presidência como instância Recursal. Esse formato torna o processo mais democrático e descentralizado da figura do Presidente, que hoje decide o processo em primeira e segunda Instâncias.

Um dos fatos relatados por colegas que respondem PAD no Banco é a falta de diligências para apurar supostas falhas funcionais, que não esgota todos os caminhos e toda a cadeia de responsabilidades.

A culminância em decisões rigorosas e desproporcionais, outro ponto que precisa ser revisto, podem originar demissões equivocadas, e isso amedronta muitos colegas, que se sentem ameaçados de serem injustiçados em seus contratos de trabalho.

Quanto a isso, a AFBEPA orienta para a importância de se buscar sempre ajuda técnica e jurídica das entidades de classe, só elas poderão ampará-lo e orientá-lo administrativa e judicialmente, desde o momento em que a Auditoria pede a manifestação do(s) funcionário(s) envolvido(s) até a abertura do PAD, se for o caso.

Apurar de forma ampla, respeitando sempre o devido processo e o contraditório, além de realizações das diligências necessárias, proporcionarão ao empregado a Segurança de não ter contra si uma decisão injusta. Por isso, a AFBEPA luta por um Comitê Disciplinar como Instância Deliberativa – o que já ocorre na Caixa Econômica e Banco da Amazônia – porém, no Banpará prevalece o método centralizador, onde a Presidência do Banco decide tudo, do mérito ao recurso, quando entendemos que seria mais Democrático e obedeceria ao Duplo Grau se a Presidência fosse a Instância Recursal.

VIDAS PUNIDAS COM RIGOR EXCESSIVO – Como envolve a vida do trabalhador, um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) causa prejuízos não só para a vida funcional, mas principalmente para a vida pessoal. E as situações são as mais diversificadas possíveis, desde a desconfiança no local de trabalho entre os colegas – mesmo o trabalhador sendo apenas suspeito – até problemas em casa, com a família, e problemas de saúde. Por isso é preciso muito cuidado e compromisso consigo mesmo quando o empregado figurar como parte de uma suposta falha funcional ou mesmo na execução dos procedimentos de trabalho. Se receber uma ordem que afronte a Lei e os Normativos do Banco, não cumpra! Escreva ao seu chefe porque não cumprir, com cópia sempre para a Área Competente, além de copiar a Auditoria.

UM POUCO MAIS DE ATENÇÃO – Não custa lembrar que nenhum funcionário é obrigado a atender ordens manifestamente ilegais. Não façam nada que não seja permitido e, diante de dúvidas ou na ocorrência de uma falha sujeita a um possível PAD, entre em contato antes de tomar qualquer decisão e antes de ser ouvido pela Auditoria. Ligue e agende um horário com a nossa Assessoria Jurídica pelos telefones 3212-1457/1479.

UNIÃO PARA BUSCAR UM COMITÊ DELIBERATIVO  Proteger-se contra um mal injusto é fundamental para conservarmos a nossa Dignidade de Vida, por isso a Luta por um Comitê Deliberativo é importante, inclusive porque no Comitê Disciplinar temos representantes eleitos e representantes indicados, o que o torna Democrático. As decisões do Comitê Disciplinar NÃO PODEM mais ser meras sugestões, mas têm de ser RESPEITADAS! Se houver inconformismo o funcionário deve buscar a Instância Recursal, ou seja, a Presidência.

ISSO É LEGAL, É DEMOCRÁTICO E GERA SEGURANÇA a quem figura no processo como investigado. 


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

BANPARÁ REÚNE ADMINISTRADORES PARA ENCONTRO ANUAL




Iniciou hoje (15) e segue até amanhã o encontro Perspectivas e Resultados 2016-2017, que reúne os Administradores do Banpará da capital e do interior do Estado, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. Trata-se de um momento de importante integração e troca de experiências, onde os administradores que vivenciam o Banco podem avaliar as rotinas, metas e perspectivas deste ano e do próximo. A AFBEPA foi dar as boas vindas aos participantes, como faz todos os anos. Desta vez, porém, informaram que a Associação não poderia acompanhar os momentos iniciais do Encontro como sempre foi possível, inclusive a nossa Assessoria de Imprensa chegou a ter cerceada a sua liberdade de fotografar os momentos iniciais desse evento, o qual a Presidenta da AFBEPA já participou como convidada.



De acordo com a presidenta da AFBEPA, Kátia Furtado – que distribuiu a edição de dezembro do jornal Ação e Coragem e conversou com os colegas –, essa proibição é uma conduta que revela um traço administrativo autoritário e antidemocrático, não condizente com o que se espera de uma empresa moderna. “As diferenças e visões têm que ser respeitadas, por isso vivemos numa Democracia, a qual temos que consolidar, respeitar e fortalecer todos os dias”, ponderou.

Afora os contratempos, para Kátia Furtado o encontro é muito importante, pois são discutidas as novas perspectivas e há uma verdadeira interação da realidade de cada região. Segundo Luziany Souza, da Agência Tracuateua, a expectativa pelo encontro deste ano era grande: “Acho importante esse contato para agregar conhecimento e conhecer as perspectivas do que o Banco espera de nós e em que podemos contribuir, tanto para o desenvolvimento do Banco quanto para o nosso próprio, enquanto profissionais”. Na opinião de Ranieri Paes, da Capital, o encontro apresenta a visão do Banco para o ano que vem: “Vamos conhecer o que nos espera no campo gerencial em 2017 e o planejamento do Banco para, a partir disso, já começarmos a trabalhar dentro dessas perspectivas, além de buscarmos crescimento profissional”. O tema deste ano é Mérito, o Reconhecimento para quem faz a Diferença 2016-2017.

Com 27 anos de Banpará, o Gerente da Agência Oriximiná, Ademar Costa da Silva, que também é suplente do Conselho Fiscal da AFBEPA, relembra dos dias iniciais de Banco, quando o trabalho era todo manual e, por conta disso, muito mais demorado. “Lembro quando era calouro! Hoje vejo muitas caras novas. Vejo o Banco crescendo, chegando a lugares que antes nem imaginávamos, e vejo o quanto a tecnologia nos ajudou porque antes era tudo manual, isso dificultava o nosso serviço. Hoje, também, nossas lojas do interior têm padrão e comodidade, e é prazeroso trabalhar nesses prédios. A expectativa do encontro é por sempre aprender algo a mais sobre o atual cenário do mercado”, analisa.


Desde já, a AFBEPA deseja um excelente encontro com debates proveitosos para o desenvolvimento de todos. “Deve sempre haver Respeito e tolerância as diversidades e diferenças de visões e crenças. Esse comportamento social precisa ser observado para vivermos em paz”, concluiu a presidenta.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Assessoria de Imprensa



quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

SEJA SOLIDÁRIO! AJUDE O JOÃO PAULO!

João Paulo conta com a nossa solidariedade

O nosso colega João Paulo Pereira de Oliveira, de Castanhal, ficou bastante emocionando com as manifestações de carinho e apoio que vem recebendo desde ontem, quando publicamos que ele está doente, internado e precisando da nossa ajuda. João Paulo está desde o domingo (11) no Hospital Divina Providência, em Marituba, com um quadro de infecção subcutânea e sem ter de onde tirar o próprio sustento. Por isso, precisamos ajudar nosso colega material e espiritualmente, com nossas doações e orações, para que essa situação na qual ele se encontra logo possa ser resolvida e nosso amigo possa estar novamente, em breve, conosco.

Quem puder visitar o João Paulo e prestar o seu apoio, ele está no leito 509-b da Enfermaria do Hospital Divina Providência, em Marituba. O horário de visita é das 16h às 17h. Para contribuir com este ato de generosidade, faça sua doação diretamente na Conta Poupança do Banpará: Agência 02, CP 610.904-7.

A infecção subcutânea diagnosticada provoca inchaço, febre, secreção e muitas dores, o que limita os movimentos inferiores e faz com que nosso colega passe a maior parte do tempo deitado.

João Paulo foi funcionário da Agência Vigia em 2008 – quando foi admitido no Banpará – até 2010, quando foi para a Agência Castanhal. Em 2012, em Tailândia, foi vítima de tentativa de “Sapatinho” enquanto coordenava o PAB daquela cidade, fato que o fez retornar para a Agência Castanhal, onde permaneceu até o início deste ano, quando foi desligado do Banco e, desde então, vem lutando na justiça pela sua reintegração.


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Assessoria de Imprensa

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

VAMOS AJUDAR O JOÃO PAULO! ELE PRECISA DA SUA SOLIDARIEDADE!

João Paulo está na Enfermaria no Hospital Divina Providência

O nosso colega João Paulo Pereira de Oliveira, de Castanhal, está precisando da nossa ajuda. João Paulo está doente, internado desde o domingo (11) no Hospital Divina Providência, em Marituba, com um quadro de infecção subcutânea que provoca inchaço, febre, secreção e muitas dores, o que limita seus movimentos inferiores e faz com que nosso colega passe a maior parte do tempo deitado.

João Paulo foi funcionário da Agência Vigia em 2008 – quando foi admitido no Banpará – até 2010, quando foi para a Agência Castanhal. Em 2012, em Tailândia, foi vítima de tentativa de “Sapatinho” enquanto coordenava o PAB daquela cidade, fato que o fez retornar para a Agência Castanhal, onde permaneceu até o início deste ano, quando foi desligado do Banco e, desde então, vem lutando na justiça pela sua reintegração.

Sem ter de onde tirar o próprio sustento e adoentado, João Paulo recorre aos parentes e amigos neste momento de fragilidade em que se encontra. “A situação dele está muito difícil”, diz a prima Jane Oliveira, que o acompanha no hospital. “Não temos recursos, estamos desempregados e ajudamos como podemos”, continua Jane, que se preocupa com o prosseguimento da medicação que vem sendo ministrada no hospital, em casa.

Segundo Jane, a busca por um leito foi demorada e dolorosa, pois nenhum hospital aceitava atender o primo no estado em que se encontrava. “Ele estava sofrendo, com febre e muita dor. Quando a ferida estourou nenhum hospital queria recebê-lo. Alegavam que não era horário e que não realizavam o procedimento. Nem tínhamos dinheiro para o táxi! Contamos com a colaboração de um colega do Banco que nos deu carona às 2h30 da madrugada!”, relembra.

Despesas importantes para dar continuidade ao tratamento de saúde, bem como despesas com locomoção, João Paulo não tem como custear. Sobre a ajuda dos colegas, ele revela: “Eu vou ficar muito grato! Na hora que passamos por uma situação dessas é que vemos o quanto a nossa vida vale a pena!”, conclui.

Quem puder visitar o nosso colega João Paulo e prestar o seu apoio, ele está no leito 509-b da Enfermaria do Hospital Divina Providência, em Marituba. O horário de visita é das 16h às 17h. Para contribuir com este ato de generosidade, faça sua doação diretamente na Conta Poupança do Banpará: Agência 02, CP 610.904-7.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Assessoria de Imprensa

Foto: Arquivo pessoal.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

REPRESENTANTE DO GT/PCS SOLICITA EXPLICAÇÕES E IMEDIATA REUNIÃO

A representante eleita no GT/PCS, Kátia Furtado, preocupada com a falta de convocação de reuniões nesse Grupo de Trabalho paritário – enquanto que, nos Comitês Trabalhista e Disciplinar as reuniões estão ocorrendo normalmente – encaminhou nesta segunda-feira (12) um documento para a DIRAD solicitando explicações e imediata realização de reuniões de trabalho para tratar da etapa de avaliação funcional no PCS, que deve ser visto tanto o entendimento do empregador como do empregado.

Na oportunidade, Kátia Furtado também solicitou que o Banco explique porque não há chamada de reunião para o Comitê de Segurança, pois o que se observa é que há o desinteresse do Banco em chamar reuniões tanto para o GT/PCS quanto para o Comitê de Segurança. O motivo não se sabe.

Segundo a representante do GT, no documento, “a questão que se impõe é: O que leva o Banco a deixar de tratar temáticas que já deveriam estar sendo pautas de reuniões tanto no GT/PCS quanto no Comitê de Segurança, por serem fundamentais e relevantes para o conjunto da classe trabalhadora e também para o Banpará?”




Vamos continuar cobrando!

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

NATAL SOLIDÁRIO: DOE E FAÇA MAIS DIGNO O NATAL DE FAMÍLIAS CARENTES


No próximo dia 17 de dezembro, sábado, o Projeto Amigos Solidários, iniciado por um grupo de amigos da GEATI e difundido entre colegas de várias Agências do Banco, realiza a 6ª edição do Natal Solidário na Comunidade Nova Zelândia, no bairro Jaderlândia, em Ananindeua. Este ano, 150 famílias já estão cadastradas e serão agraciadas com cestas básicas. Haverá, também, distribuição de brinquedos para 500 crianças. O projeto visa levar mais esperança e humanidade ao Natal dos moradores daquela comunidade.

De acordo com Francisco Noronha, um dos coordenadores do projeto, a entrega dos produtos arrecadados será realizada na Igreja Cristo Peregrino, localizada na Rua União, no mesmo bairro, para onde está sendo preparada uma grande festa natalina com brincadeiras para a criançada, peça teatral, apresentação musical, sorteio de eletrodomésticos e distribuição de lanches.

Geane Alcântara, também coordenadora, o projeto conta, atualmente, com mais de 200 amigos: “Iniciamos com cinco pessoas, mas vários setores abraçaram a nossa causa e se uniram ao nosso projeto, dentre amigos, familiares e parentes, cada um contribuindo com gêneros alimentícios e também com contribuição em dinheiro. Assim, juntos, formamos uma grande corrente do bem, fora as empresas amigas que também doam, mas preferem não aparecer”.

A expectativa para este ano é a melhor possível. Os preparativos estão transcorrendo da melhor maneira e o projeto já bateu o índice do ano passado, quando foram atendidas 120 famílias. “O que levamos é muito mais que doações financeiras e materiais, levamos alegria! Um dos pontos altos da festa será a chegada do Papai Noel, que virá de uma forma bastante inusitada, surpreendendo a todos!”, acrescenta.

Quem ainda não fez a sua doação não pode deixar de participar. Basta entrar em contato com um dos coordenadores do projeto: Francisco Noronha (98146-0838) ou Geane Alcântara (98182-0822), ou depositar qualquer valor na seguinte Conta: Banco 037, Agência 014, posto 00, Conta Poupança 612957-9.

SEJA SOLIDÁRIO! PARTICIPE!

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Assessoria de Imprensa

Imagens: Página pessoal “Amigos Solidários Belém”




INICIA HOJE A DISTRIBUIÇÃO DO JORNAL “AÇÃO E CORAGEM”

O jornal “AÇÃO E CORAGEM” da AFBEPA, edição 9, de Dezembro de 2016, já está sendo distribuído nas unidades bancárias pela presidenta Kátia Furtado e pelo funcionário da Associação, Márcio Dias.

O informativo inicia com o desejo da AFBEPA de Boas Festas a todos os bancários e bancárias do Banpará, de um Feliz Natal e Ano Novo de plenas realizações. O Jornal também faz uma retrospectiva a respeito das Ações da Associação durante o ano, além de mostrar como ficou a nossa Campanha Salarial e toda a nossa luta durante nos 31 dias de greve, que culminaram em um Acordo de perda de direitos e arrocho salarial para a categoria, mostrando, também, as regras que embasarão o nosso contrato de trabalho no biênio 2016/2018, novo prazo de validade do Acordo Coletivo de Trabalho.

Ainda sobre o ACT Bianual, debatemos a redação do Banpará que simplesmente esqueceu dos adoecidos, não contemplando todos os bancários e bancárias com o pagamento do Abono.

A luta por segurança preventiva – a retrospectiva do ano de medo e terror pelo qual vários colegas passaram – também é assunto da edição. Foi mais um ano em que lutamos por melhores condições de segurança dentro e fora das unidades bancárias aos colegas vítimas de sapatinho.

“O Banpará ainda está aquém no investimento em segurança. Hoje, os colegas têm que pagar para garantir o mínimo de segurança para as suas vidas e de suas famílias. O investimento do Banco visa garantir segurança apenas do seu patrimônio, enquanto isso os colegas vítimas de sapatinho precisam fugir dos seus algozes, pois não têm a segurança necessária para prevenir essa modalidade de assalto”, avalia a presidenta.

Esses e outros assuntos de nosso interesse são abordados nesta edição.

Sobre a parte jurídica, a AFBEPA vai preparar um Boletim que será distribuído no mês de Fevereiro de 2017, em edição especial.

Brasil – Alguns fatos marcantes que vêm ocorrendo neste conturbado fim de ano – após o fechamento da edição do nosso “Ação e Coragem” – também merecem destaque. Como é do conhecimento de todos, o ano chega ao fim com um saldo não muito bom, onde um Poder manda nos demais. Outro presente de Grego é o projeto de reforma da Previdência, que prevê que para receber 100% do valor da aposentadoria, o trabalhador brasileiro terá que contribuir para o INSS por 49 anos. Notícia veiculada nesta sexta-feira (9) no jornal O Estado de S.Paulo informa que “o Palácio do Planalto está disposto a negociar com as centrais sindicais mudanças na idade mínima de 65 anos para homens e mulheres. A proposta será discutida com entidades sindicais para depois ser levada ao Palácio do Planalto”.

Vamos aguardar o desenrolar de tudo isso, mas, enquanto sociedade, não podemos deixar de nos manifestar. Fiquemos atentos!

Leia abaixo a versão eletrônica do Jornal:



UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Assessoria de Imprensa

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

AFBEPA PEDE MAIOR FISCALIZAÇÃO A DENÚNCIA DE ASSÉDIO

Em Setembro passado, durante a campanha salarial, a AFBEPA recebeu denúncias de assédio moral sofrido por alguns colegas da Agência Acará. Na Mesa de Negociação, a AFBEPA solicitou providências urgentes para a DIRAD acerca da apuração do suposto assédio. No final do mês passado, a presidenta da AFBEPA, Kátia Furtado, foi até a Agência Acará para ouvir os colegas. Ao retornar daquele município, a presidenta conversou com a SUDEP e pediu para que o Banco acompanhasse a situação, além de pedir que fossem encaminhadas pessoas da Gerência de Saúde do Trabalhador (GESAT) até aquela Unidade.

Ontem, 6, a presidenta da AFBEPA esteve na SUDEP verificando se as providências requeridas foram tomadas, a exemplo da solicitação de uma investigação minuciosa in loco do suposto assédio, e se a GESAT havia se deslocado até a Unidade para ajudar na recuperação da saúde emocional daqueles trabalhadores.

A AFBEPA teve como resposta da SUDEP que nenhuma equipe da GESAT será enviada e que as providências para investigar as denúncias estão sendo tomadas por telefone e e-mail. Entendemos que a presença de uma equipe da GESAT é uma necessidade, ou no mínimo a ida de um Assistente Social para ouvir os colegas e acompanhar de perto toda a situação do ambiente de trabalho.

A investigação apenas por telefone e e-mail, proposta pela SUDEP, é muito superficial e não é a melhor forma de se avaliar o clima organizacional daquela Unidade, “pois até contra a reputação da AFBEPA a Gerência Geral atentou, imagina então contra os colegas! Esse tipo de comportamento precisa de cuidados. A AFBEPA foi até aquele município para ajudar os colegas, oferecer apoio, solidariedade e se inteirar dos fatos para poder pedir ajuda à SUDEP no sentido de resolver a questão. A Gerência, agindo de forma a inverter os fatos, só faz mostrar quem tem razão nesse caso”, avalia a presidenta Kátia Furtado.

O Banpará precisa olhar com mais atenção e cuidado para as denúncias que vêm de Acará, feitas desde o mês de Setembro pela AFBEPA, e que vem se arrastando ao longo dos meses. Esperamos que isso se resolva com a máxima brevidade, para garantir a integridade psíquica de todos os trabalhadores, inclusive a do suposto assediador.

Vamos continuar fiscalizando!

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

POR QUE TANTAS DESTITUIÇÕES INFUNDADAS?

No final da tarde da última sexta-feira, dia 2, o Diretor-Presidente do Banpará publicou a Portaria nº 149/2016 destituindo, de forma infundada, oito colegas do Núcleo de Governo – NUGOV. Desses oito colegas destituídos, seis ficaram descomissionados. Segundo a AFBEPA tomou conhecimento, essas destituições ocorrem sem critérios de quem vai ser destituído e de quem fica comissionado.

Dos dois que ficaram comissionados, um foi designado para atuar como Gerente de Negócios da Agência Ananindeua e a outra colega vai ser Assessora do Gabinete das Diretorias. A Portaria designa uma colega que era GENEG da Agência Ananindeua para suprir a vaga de Gerente Geral dessa Agência, que estava vaga quando o Gerente Geral foi nomeado Auditor em Portaria anterior.

Queremos crer que tais destituições não se tratam de RETALIAÇÃO, uma vez que desprovidas de critérios e carentes de fundamentos!

POR QUE a AFBEPA fala em retaliação? Coincidentemente (ou não!) esses colegas destituídos (porém, salvo raras exceções) moveram Ação – demandada pela AFBEPA – contra o Banpará acerca da Redução da Jornada de Trabalho e o Pagamento das 7ª e 8ª Horas Extras.

Há várias Ações na Justiça do Trabalho, a grande maioria em última instância, que já deram ganho de causa para os funcionários (como as Ações de Agentes de Áreas, Secretárias, Gerentes de Projetos etc), que o Banco teima em desrespeitar o direito reconhecido, o que para a AFBEPA faz com que o Banco só aumente o seu passivo trabalhista, postura essa inadequada, já que se trata de dinheiro público, que deve ser bem gerido. Por que até agora o Banco não reduziu a jornada das funções que já tiveram o direito reconhecido? As várias consultorias contratadas pelo Banpará poderiam orientar o Banco a repensar esse crescimento do passivo trabalhista, não apenas das Ações Coletivas, como também o RESPEITO aos profissionais que receberam qualificação e treinamentos ao longo de suas vidas funcionais no Banco e agora amargam os danos e prejuízos criados com essa conduta.

Perdem com as destituições o Banco e as pessoas destituídas.

Que necessidade de reorganização administrativa é essa – conforme consta da Portaria – que investe dinheiro público em aperfeiçoamento e treinamento de pessoal para, em seguida, retirar a função, sublocando essas pessoas, profissionais experientes, com larga especialização e com mais de dez anos de Banco, em funções de pequena complexidade, aquém da capacidade para as quais esses profissionais foram preparados? Sim, pois o próprio Banpará fez investimentos nessas pessoas e agora os retiram sem qualquer fundamento compreensível. Por quê? Que o ato seja motivado!

CAUTELA – É importante agir com cautela antes de se posicionar sobre a reestruturação que vem sendo imposta pelo Banpará. Em caso de dúvidas, a AFBEPA orienta que, antes de qualquer procedimento, o(a) funcionário(a) busque a nossa Assessoria Jurídica. Marque uma conversa para saber o que fazer.

A AFBEPA não aceita que o Ser Humano seja tratado como coisa, pois autoestima e confiança são atributos que demoram a ser construídos e não podem ser pisoteados sob qualquer pretexto.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

AFBEPA INICIA HOJE ENTREGA DOS MIMOS DE NATAL


A AFBEPA já está distribuindo os brindes de Natal aos seus associados e associadas. Trata-se de uma singela homenagem e uma demonstração de gratidão pelo que cada um de vocês representa para nós, um agradecimento por terem andado de mãos dadas conosco em 2016.

Neste ano, as opções escolhidas pela Diretoria foram lindas bolsinhas com porta-celular para as bancárias, e necessaires masculinas porta-utilidades para os bancários.

Os associados AFBEPA na capital começaram a receber os brindes na data de hoje, 1º de dezembro. Para os associados do interior, a AFBEPA já encaminhou por malote para cada local de trabalho, com votos de toda a Diretoria para que tenham um Feliz Natal e ótimas Festas encerrando 2016 com muita saúde, prosperidade e realizações em 2017.

Esses são os desejos da Direção da AFBEPA, seus funcionários e colaboradores.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA



quarta-feira, 30 de novembro de 2016

PACOTE REPULSIVO É APROVADO NA MADRUGADA NO CONGRESSO NACIONAL

As mais de duas milhões de assinaturas de cidadãos em todo o Brasil que deram origem ao projeto de Iniciativa Popular que foi batizado pelo Ministério Público Federal (MPF) como “10 Medidas contra a Corrupção” parece não ter valido de muita coisa para a Câmara dos Deputados na madrugada de hoje (30) quando, por 450 votos a favor e apenas 1 contra, os Deputados Federais – sim, aqueles que muitos de nós colocamos no poder – aprovaram, em sessão extraordinária, o texto-base do pacote de medidas anticorrupção que abranda a punição para práticas de corrução, entre eles o caixa 2 em matéria eleitoral.

Durante as discussões da madrugada, foram retirados trechos que dificultariam as investigações, tornando mais flexíveis a punição de corruptos. Trata-se claramente de um abuso de representação. “O povo não elegeu essas pessoas para agirem com desvios contra os interesses de quem os confere um mandato, e sim para cuidarem do bem comum”, avalia a presidenta da AFBEPA, Kátia Furtado. 

CONFIRA AS MUDANÇAS APROVADAS NO PLENÁRIO: 

Abuso de autoridade: Inclusão do crime de abuso de autoridades para magistrados e membros do MP - emenda apresentada pela bancada do PDT. 
Pena: 6 meses a 2 anos de reclusão e multa. 

Punição para violação de prerrogativas: Inclusão de punição a policiais, juízes e membros do MP que violarem direito ou prerrogativa de advogados - emenda apresentada pelo deputado Carlos Marun (PMDB-MS), a pedido da OAB. 
Pena: 1 a 2 anos de detenção e multa. 

Reportante do bem: Retirada a instituição do "reportante do bem": figura cuja denúncia a órgãos da Justiça ou à imprensa acarretasse imposição de penalidades poderia receber até 20% dos valores recuperados - destaque apresentado pela bancada do PSB. 

Ação de extinção de domínio: Retirado todo o trecho que regulava a apresentação das chamadas "ação de extinção de domínio", cuja finalidade é decretar a extinção dos direitos de propriedade e posse e de outros direitos - destaque apresentado pela bancada do PR. 

Progressão de pena: Retirado artigo que previa que condenado por crime contra administração pública só teria direito a progressão do regime de cumprimento de pena quando reparasse o dano causado ou devolvesse os recursos produtos do ato ilícito praticado - destaque apresentado pela bancada do PT. 

Prescrição da pena: Retirados quatro artigos que endureciam as regras de prescrição de crimes, como a que estabelecia que o prazo de transcrição só começaria a ser contado após o ressarcimento integral do dano - emenda apresentada pela bancada do PT. 

Enriquecimento ilícito: Retirado tipificação do crime de enriquecimento ilícito para funcionários públicos - destaque apresentado pelo bloco PP, PTB e PSC. 

Acordo penal: Retirada possibilidade de Ministério Público e denunciado celebrarem acordo para aplicação imediata da pena antes da sentença judicial - destaque apresentado pela bancada do PSOL. 

Acordo de leniência: Retirado trecho que previa que Ministério Público poderia celebrar acordo de leniência - destaque apresentado pela bancada do PT. 

Responsabilização de partidos: Retirada da previsão de pena de suspensão do funcionamento dos partidos e da filiação do dirigente partidário responsável por crime de caixa 2 - destaque apresentado pelo bloco PP, PTB e PSC. 

Lei dos Partidos: Retirada de trecho que revogava artigo da Lei dos Partidos que estabelece que a responsabilização pessoal, civil e criminal de dirigentes partidários em razão da desaprovação de contas e atos ilícitos atribuídos ao partido só ocorre se a Justiça verificar irregularidade "grave e insanável". Dessa forma, o artigo permanecerá na Lei dos Partidos - destaque apresentado pela bancada do PR. 

A população brasileira precisa se manifestar e tomar uma atitude em relação a esse assombro. Não é possível deixar que essa farra aconteça acima do que é realmente de interesse público. 

A questão ainda seguirá para votação no Senado. 

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Com informações do ESTADÃO.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

SAIU NO REPÓRTER 70 DE HOJE!

REPÓRTER 70 de 29/11/2016

Queremos agradecer ao Redator da Coluna “Repórter 70” do jornal O Liberal que, cordialmente e obedecendo ao direito ao contraditório, publicou na edição de hoje, 29, o nosso pedido de resposta à nota publicada na edição de domingo, 27 – dia de maior circulação do jornal – em DEFESA dos 11 Auditores que tiveram sua honra manchada com tal nota. Além de terem sido destituídos, ainda foram expostos de forma desonrosa. O Banpará esquece de que investiu dinheiro público nesses profissionais, e que essas pessoas são pais e mães de famílias. Portanto, deveria ter a postura de repudiar e rechaçar a nota.

Na ocasião, a publicação alegava como fator da destituição o trabalho de avaliação externa de qualidade executado pela KPMG Auditores Independentes, ferindo a moral dos colegas e em desacordo com a verdade dos fatos.

Desde o dia 18, os colegas destituídos vêm sendo subutilizados em outras funções. Não queremos, aqui, questionar o profissionalismo dos 14 novos Auditores que ingressaram sem processo seletivo, mas sim esclarecer os motivos que levaram o Banco a proceder à retirada dos seus Auditores.

Para a AFBEPA, o processo de seleção interna é democrático e visa escolher o melhor para determinada função, e não pode retroagir a simples indicações que não procedem à relação de patrão/empregado e é prejudicial para o ambiente de trabalho e a autoestima do trabalhador.

Abaixo, veja íntegra da nota enviada pela AFBEPA:

O Banpará promoveu a destituição de 11 Auditores de suas funções de forma altamente autoritária em um ato questionável, uma vez que tal procedimento foi realizado sem qualquer fundamentação legal e técnica, tendo em vista que esses profissionais atuavam na Auditoria e nela ingressaram por Processo Seletivo Interno – realizando várias provas – e estavam há mais de 10 anos na função.

No final da tarde de 18/11, sorrateiramente, o Banpará publicou Portaria destituindo 11 Auditores de suas funções de forma altamente autoritária e, em ato contínuo, nomeou 14 novos Auditores, alguns que, inclusive, sequer passaram no processo seletivo interno em que os Auditores destituídos foram nomeados;

Não há nenhuma avaliação dos trabalhos dos Auditores no relatório da KPMG Auditores Independentes que os desmereçam ou mencione qualquer tipo de incapacidade;

Os motivos que levaram o Banco a proceder à retirada dos seus Auditores – os quais entraram por Processo Seletivo Interno – são obscuros e contraditórios;

Os serviços da Auditoria do Banpará se ampliaram, assim como os riscos presenciais e virtuais, e com eles a necessidade – avisada à Direção do Banco – de aumentar a estrutura de pessoal, fato implementado apenas com a reestruturação e consequente destituição dos Auditores;

Os auditores destituídos da função atuam nessa qualidade há mais de 10 anos e, durante todo esse tempo, nada se mencionou sobre os seus trabalhos, ao contrário, a atuação da Auditoria do Banpará sempre foi considerada séria, responsável e de qualidade.


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA



ASSEMBLEIA EXTRAORDINÁRIA DELIBERA TEMAS IMPORTANTES PARA O FUNCIONALISMO

Na noite de ontem, 28, foi realizada Assembleia Extraordinária a fim de deliberar sobre assuntos importantes para o funcionalismo, tais como: Abono, Reestruturação, Plano de Saúde, dentre outros.




REESTRUTURAÇÃO

O Banco está realizando a reestruturação nas suas unidades de trabalho, a exemplo do que já aconteceu com a SUCON e NUAUD. A AFBEPA orienta que, antes de qualquer procedimento, o(a) funcionário(a) busque a nossa Assessoria Jurídica. Marque uma conversa para saber o que fazer. É importante agir com cautela antes de se posicionar.

PLANO DE SAÚDE

Outra preocupação debatida entre os presentes foi a questão do plano de saúde, do valor arrecadado e repassado pelo Banpará para a Unimed, e da situação do funcionário que sai do Banco e perde o direito ao plano. Durante a campanha salarial, a AFBEPA pediu em mesa que o Banpará proporcionasse transparência do quanto é realmente arrecadado e repassado para a Unimed, o que não foi atendido pela Direção do Banco.

Essa situação é outro problema que vem sendo enfrentado, pois o Banco não dá essa proteção social de manter o plano ao funcionário que sai do Banco. A AFBEPA vai entrar na justiça para garantir o plano de saúde no mesmo valor praticado pelo Banco para quem rescindir o seu contrato de trabalho.

Ao término da assembleia, todos os presentes votaram a unanimidade pelo ajuizamento das Ações propostas. Ficamos felizes com a participação dos associados em mais uma Assembleia. A Presidenta da AFBEPA, Kátia Furtado, finalizou o encontro convidando todos a participarem da enquete que está no blog e nas redes sociais sobre os minicursos que os associados gostariam de realizar ano que vem na AFBEPA.

Participaram da assembleia a Direção da AFBEPA, bancários e bancárias, e os Assessores Jurídicos, Dr. Márcio Tuma e Dra. Shirley Araújo.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

HOJE TEM ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, ÀS 18 HORAS


Conforme publicamos desde o último dia 23, lembramos que hoje realizaremos Assembleia Geral Extraordinária (AGE), às 18 horas, no auditório do Edifício Síntese Plaza (Av. Senador Lemos, 791, salas 807/808, Umarizal, Belém-Pa), a fim de deliberarem sobre as matérias a seguir discriminadas: 

a) Demandas judiciais; 

b) Reestruturações no Banpará; 

c) O que ocorrer. 

A AGE se instalará em 1ª Convocação às 18 horas, mediante a presença de 50% + 1 do total de Associados (art. 14 do Estatuto Social). Não havendo quórum em 1ª Convocação, a AGE se instalará em 2ª Convocação, às 18h30, com qualquer número de presentes. 

UNIDOS SOMOS FORTES! 

A DIREÇÃO DA AFBEPA 








sexta-feira, 25 de novembro de 2016

BANCÁRIOS DE BAURU CONQUISTAM NA JUSTIÇA IMPORTANTE VITÓRIA SOBRE DESCONTO DE IMPOSTO DE RENDA NO ABONO

Uma prova de que, mais do que nunca, a união faz a força ficou demonstrada na recente Vitória na justiça conquistada pelo Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, em São Paulo, filiado a CSP-Conlutas, em favor dos(as) bancários(as) daquela região, que obriga os Bancos a não repassarem o desconto do IR sobre o Abono à Receita Federal. Essa conquista foi conseguida na semana passada, dia 16, pelo Sindicato de Bauru. Com essa decisão, os Bancos não poderão repassar para a Receita Federal os valores descontados dos bancários a título de Imposto de Renda. Falta a análise do mérito, mas os colegas estão confiantes em uma decisão final favorável.

Na decisão, o Juiz Federal Joaquim Alves Pinto determinou que os Bancos fossem imediatamente notificados a não efetuarem o repasse e que deveriam, ainda, depositar o montante do Imposto de Renda retido na fonte em juízo, em conta vinculada aos autos, até a decisão final.


Para a AFBEPA, não deve incidir IR sobre o Abono haja vista sua natureza indenizatória, como foi convencionado na CCT. Do contrário, se o Abono tiver natureza salarial e incidir o IR, conforme entendimento do STJ e TRF-1, deverá refletir também sobre FGTS, INSS, 13º Salário, Férias etc.


SEGUNDA (28) TEM ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA!!!

A Associação dos Funcionários do Banpará (AFBEPA), aqui representada por sua Diretoria Executiva, na forma do art. 13, II, combinado com o art. 11, Parágrafo Segundo do Estatuto Social vigente, vem informar aos Associados Efetivos a Convocação da Assembleia Geral Extraordinária (AGE), que se realizará em 28.11.2016, às 18 horas, no auditório do Edifício Síntese Plaza (Av. Senador Lemos, 791, salas 807/808, Umarizal, Belém-PA), a fim de deliberarem sobre as matérias a seguir discriminadas:

a) Demandas judiciais;

b) Reestruturações no Banpará;

c) O que ocorrer.

A AGE se instalará em 1ª Convocação às 18 horas, mediante a presença de 50% + 1 do total de Associados (art. 14 do Estatuto Social). Não havendo quórum em 1ª Convocação, a AGE se instalará em 2ª Convocação, às 18h30, com qualquer número de presentes.

TODOS LÁ!
PRECISAMOS DE QUÓRUM PARA DEMANDAR A AÇÃO!!!

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA


A Associação dos Funcionários do Banpará (AFBEPA), aqui representada por sua Diretoria Executiva, na forma do art. 13, II, combinado com o art. 11, Parágrafo Segundo do Estatuto Social vigente, vem informar aos Associados Efetivos a Convocação da Assembleia Geral Extraordinária (AGE), que se realizará em 28.11.2016, às 18 horas, no auditório do Edifício Síntese Plaza (Av. Senador Lemos, 791, salas 807/808, Umarizal, Belém-Pa), a fim de deliberarem sobre as matérias a seguir discriminadas:

a) Demandas judiciais;

b) Reestruturações no Banpará;

c) O que ocorrer.

A AGE se instalará em 1ª Convocação às 18 horas, mediante a presença de 50% + 1 do total de Associados (art. 14 do Estatuto Social). Não havendo quórum em 1ª Convocação, a AGE se instalará em 2ª Convocação, às 18h30, com qualquer número de presentes.

Belém, 23 de novembro de 2016.

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

DESRESPEITO MARCA A DESTITUIÇÃO DOS AUDITORES DE SUAS FUNÇÕES

Mais uma vez a Direção do Banpará usa o seu poder de forma desrespeitosa e com prejuízo aos seus profissionais, desta vez foram os auditores, profissionais de carreira do Banco e que adentraram na sua maioria, por Seleção Interna, destituindo-os de uma tacada só de suas funções no final da tarde da última sexta-feira.

Os colegas Auditores ao saberem da notícia de suas destituições no final da tarde de sexta, com a publicidade da Portaria, passaram mal. Em alguns, que já têm doenças como o Diabetes, a pressão aumentou, e a intranquilidade se abateu no interior de cada um(a).

Por quê? Ninguém justificou o motivo de tal medida, apenas as elucubrações, que podem ou não ser verdadeiras, como colocar somente os seus.

Um acinte tal postura e nada democrática!

O Curso realizado para ALGUNS em 18 de julho deste ano e denunciado pela AFBEPA em 15 de julho (clique aqui) já demonstrava tal intenção dessa Diretoria, mas como retirar da função pessoas com muitos anos no exercício de Auditor (a) e com preparação custeada pelo Banco. Para a AFBEPA isso é algo como jogar dinheiro público no lixo e vidas humanas no desprestígio e desmoralização.

E não para por aí, pois esses colegas retirados de suas funções de forma traumática já têm mais de 10 (dez) anos comissionados, ou seja, ganharão na Justiça o Direito de Incorporar os valores de suas comissões e, pela forma, é provável um Dano Moral.

E a Portaria não parou somente nas 11 (onze) destituições, ao contrário, cria e incha a estrutura de auditoria, denominada AUDIN, com 14 (quatorze) integrantes, que além de Chefia, terá a Coordenadoria de Auditoria, com comissão para as duas funções de R$ 6.160,53, reajustada na Portaria.

É ininteligível essa Portaria despencar sobre o funcionalismo do Banpará e a Sociedade Paraense num momento onde a lógica é a contenção de gastos; em que o Banpará no trato de nossas reivindicações, nos empurrou para uma greve de 31 dias, onde todos perdemos, pois o Banco arrochou os nossos salários, alegando o cenário de crise, para piorar retirou dos adoecidos o valor do abono, sendo que o Banco do Brasil efetuou esse pagamento aos seus adoecidos, e no Banpará o pagamento seria em torno de R$ 52.500,00.

Tão repulsivo e acintoso esse comportamento que precisa ser explicado.

Lidar com pessoas é lidar com sentimentos e emoções, justamente porque somos HUMANOS. É preciso que a lógica do RESPEITO prevaleça. Não dá mais para assistir a tantos abusos e desmandos em um Banco que é PÚBLICO e, por isso, deveria ter um maior e melhor Desempenho Social, além, é claro, um maior cuidado com o dinheiro público.

Queremos Respeito, Reconhecimento e Valorização!

BASTA DE DESMANDOS!

UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

ACT DO BANPARÁ SILENCIA SOBRE ASSUNTOS NEGOCIADOS EM GREVE E FUNCIONÁRIOS QUESTIONAM

O texto do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) Bianual do Banpará, assinado no último dia 7 entre o Banco e as entidade sindicais, E INICIALMENTE DIVULGADO PELO BANCO APENAS INTERNAMENTE, esqueceu de abordar assuntos negociados durante a greve, como a questão do Abono, que em nenhum momento foi dito que os adoecidos ficariam de fora, e a Licença Paternidade de 20 dias. Questionamentos de funcionários e funcionárias têm chegado até a AFBEPA e, por conta disso, com o objetivo de fazer ouvir a voz de todos os trabalhadores, também dirigimos os mesmos questionamentos ao Banpará: Por que o ACT Bianual silenciou acerca do Pagamento do Abono aos Adoecidos (sendo que o BB pagou para todos os funcionários, inclusive os adoecidos) e a Licença Paternidade, que não foi regrada?

A AFBEPA entende que, por seguir a Fenaban, o Banpará este ano decidiu acompanhar a redação dos Banqueiros, demonstrando uma postura totalmente desumana com os trabalhadores afastados por motivo de doença, o que contabiliza aproximadamente 15 pessoas. Pela redação da Fenaban, essas pessoas só teriam direito ao recebimento do Abono de R$ 3.500,00 no mês seguinte do retorno ao trabalho, como demonstrado na Cláusula 59 da CCT Fenaban, abaixo:


Esquecem-se os Banqueiros de que os adoecidos são os que mais NECESSITAM de amparo e apoio financeiro neste momento de grandes dificuldades, pois muitos são diagnosticados com moléstias graves – algumas incuráveis – e não têm previsão de retorno ao trabalho até 31 de agosto de 2018, como determina a cláusula 59, item C, da CCT Fenaban.

Ressaltamos que o valor do Abono, se fosse concedido a esses trabalhadores imediatamente, ficaria entre R$ 35.000,00 e R$ 52.500,00. O que essa quantia significa para um Banco com o lucro do Banpará? Com a palavra a Direção do Banpará.

LICENÇA PATERNIDADE – Outra questão que não ganhou espaço no ACT Bianual do Banpará foi o período da Licença Paternidade. Segundo a redação da Fenaban, a licença será de 15 dias desde que o empregado a requeira e conforme as condições abaixo descritas:


Como se pode ver, o que foi dito em Assembleia NÃO SE CONFIRMOU NA REDAÇÃO DO ACORDO. Há um claro prejuízo aos trabalhadores que acreditaram que o que foi oferecido não sofreria limitação ou a negligência por parte de quem deveria proteger os direitos de quem representa. Foram 31 dias de LUTA, porém muitas reivindicações ficaram pendentes e sem respostas, o que entendemos ser um desrespeito, por isso rejeitamos em mesa a proposta aprovada pelas entidades sindicais e reiteramos nossa desaprovação a diversas regras que vão embasar a nossa vida profissional pelos próximos dois anos.


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Assessoria de Imprensa