sexta-feira, 29 de maio de 2015

MAIS UMA ESTRELA NASCEU NO CÉU


É com pesar que a Associação dos Funcionários do Banpará – AFBEPA soube do falecimento do Sr. Arnaldo Lopes Furtado, pai na nossa querida Kátia Furtado, Presidenta desta Associação. Arnaldo estava internado há vários dias e sofria com problemas no coração e infelizmente não resistiu. Faleceu na noite de ontem (28), por volta das 23h55. Ele está sendo velado na Capela Recanto Verde, localizada na Av. Tavares Bastos, nº 392, entre Pedro Álvares Cabral e Almirante Barroso. O enterro será amanhã, 30/5, no Cemitério Santa Izabel, às 10h da manhã.

A AFBEPA se enternece com a dor dos entes queridos. Sabemos que a dor da perda é imensurável e nada que se possa dizer é capaz de amenizar o sofrimento. Mas é preciso transformar o luto numa luta pela vida e pela felicidade, e transformar a dor em saudade e serenidade, pois a vida é o bem mais valioso que temos, e mesmo diante da morte precisamos nos manter firmes em honra e memória dos que se foram.

O Bondoso Deus chamou o seu filho de volta para os seus braços e agora Arnaldo Furtado faz morada ao lado do nosso Senhor.

Arnaldo foi um homem, pai e avô muito amado e respeitado por toda a sua família e amigos. Portanto, tenham fé que essa dor vai diminuir; que esse sofrimento agudo vai ser amenizado e mantenham o coração aquecido. Carreguem sempre consigo, com muito amor e carinho, as boas recordações, pois elas lhes darão forças para voltar a sorrir. Olhem para o céu e tenham a certeza de que há uma nova estrela brilhando e iluminando cada um dos seus passos.

A AFBEPA deseja que Deus ilumine a vida e conforte o coração de todos os familiares e amigos, concedendo Força e Paz de Espírito.

Informamos ainda que a nossa Presidenta, Kátia Furtado, irá tirar Licença Luto por 8 dias.


A DIREÇÃO DA AFBEPA

segunda-feira, 25 de maio de 2015

CADÊ O REGULAMENTO DE PESSOAL?

É a pergunta que não quer calar feita pelos funcionários do Banpará à SUDEP, pois, desde a entrada de novos funcionários, ninguém mais teve acesso ao Regulamento de Pessoal, em vigência, no Banco.

Os funcionários encaminham e-mails ao Banco querendo conhecer o Regulamento, mas não obtêm respostas sobre onde acessá-lo.

A última notícia informal que esta AFBEPA tomou conhecimento dava conta que o Banpará estava providenciando alterações no seu Regulamento de Pessoal. 

Para a AFBEPA o Banco pode alterar o seu Regulamento, mas o vigente é o que ainda não foi alterado, uma vez que ao ser admitido na empresa, o funcionário está vinculado ao Regulamento existente na época de sua admissão.

Como saber se o que estão alterando no atual Regulamento será benéfico ou conterá normas que tratem de forma mais rigorosa certo dever, ou se novos deveres serão criados, ou se suprimirão benefícios etc etc?

É importante que o funcionalismo saiba o que contém no Regulamento de Pessoal na data de sua contratação, para ter conhecimento de seus direitos e obrigações, assim como os do Banco.

Sobre o Tema assim dispõe Súmula do Tribunal Superior do Trabalho:

Súmula nº 51 do TST
NORMA REGULAMENTAR. VANTAGENS E OPÇÃO PELO NOVO REGULAMENTO. ART. 468 DA CLT (incorporada a Orientação Jurisprudencial nº 163 da SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20, 22 e 25.04.2005
I - As cláusulas regulamentares, que revoguem ou alterem vantagens deferidas anteriormente, só atingirão os trabalhadores admitidos após a revogação ou alteração do regulamento. (ex-Súmula nº 51 - RA 41/1973, DJ 14.06.1973)
II - Havendo a coexistência de dois regulamentos da empresa, a opção do empregado por um deles tem efeito jurídico de renúncia às regras do sistema do outro. (ex-OJ nº 163 da SBDI-1 - inserida em 26.03.1999)”.

A AFBEPA espera que o Banco divulgue urgentemente aos funcionários e funcionárias o seu Regulamento de Pessoal.

ISSO É LEI E PRECISA SER CUMPRIDO!

UNIDOS SOMOS FORTES!


A DIREÇÃO DA AFBEPA

sexta-feira, 22 de maio de 2015

AFBEPA PEDE QUE SINDICATO CONVOQUE ASSEMBLEIA PARA DELIBERAR SOBRE O SALDO REMANESCENTE DO PLANO PAS/CAFBEP

A AFBEPA protocolou ontem, 20 de maio, o Ofício 019/2015 solicitando ao Sindicato dos Bancários que convoque uma Assembleia Geral, para que o funcionalismo do Banpará, participante do Plano de Saúde, delibere sobre qual a destinação do Saldo Remanescente do extinto Plano PAS/CAFBEP, que, até dezembro de 2014, teve seu montante avaliado em mais de 7,2 milhões de reais.

De acordo com o Regulamento do PAS/CAFBEP, que foi extinto em junho de 2009, Art. 39, o saldo remanescente do Plano será transferido para os patrocinadores (BANPARÁ, CAFBEP E OS AUTOPATROCINADOS), proporcionalmente a participação de cada um, e aplicado em prestações assistenciais. No caso dos funcionários e funcionárias do Banpará, os recursos retornam em prestações assistenciais, e defendemos que esse saldo sirva para custear as mensalidades do atual Plano de Saúde Unimed.

No entanto, os parágrafos da Cláusula 39ª do ACT 2014/2015 estão em completo desacordo com o que diz o Artigo 39 do Regulamento do PAS, pois estabelece a criação de um Fundo Garantidor/risco, que nunca foi citado na regulamentação do extinto Plano e, principalmente, nunca foi debatido com a categoria e, por conseguinte, aprovado, portanto, não deveria constar em nosso Acordo Coletivo de Trabalho.

A AFBEPA espera que a destinação do saldo remanescente do extinto Plano PAS/CAFBEP seja transferido para quem de direito, o Banpará, para aplicar no pagamento das mensalidades dos Participantes do extinto Plano PAS no novo Plano de Saúde Unimed; à CAFBEP e aos autopatrocinados, que custeavam com suas parcas economias o valor integral do Plano PAS. ISSO É JUSTO! ISSO É LEGAL!

QUE SEJA CONVOCADA A ASSEMBLEIA PARA DELIBERAÇÃO DESSA QUESTÃO!

Leia abaixo o Ofício na íntegra ou acesse o arquivo em pdf AQUI.





UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Kamilla Santos
Assessoria de Imprensa

AFBEPA VAI À CAPANEMA PRESTAR SOLIDARIEDADE AOS COLEGAS VÍTIMAS DO ASSALTO

A Associação dos Funcionários do Banpará-AFBEPA esteve ontem, 21 de maio, na Ag. Capanema do Banpará, para dar o seu apoio aos colegas vítimas do assalto ocorrido no último dia 20, no PAB Primavera, e saber maiores informações sobre o que de fato ocorreu, bem como solicitar e verificar se os Direitos das vítimas foram cumpridos pelo Banco.

PAB Primavera

Foi relatado à AFBEPA que 4 homens disfarçados de policiais civis entraram no PAB Primavera, arrancaram toda a fiação elétrica e telefônica, renderam todos os três funcionários e clientes que ali estavam. Alguns clientes, que chegaram ao PAB após o início do assalto, foram surpreendidos com a violência dos bandidos e também tiveram seu dinheiro e bens materiais tomados.

O assalto durou cerca de uma hora e, de acordo com informações, os criminosos já sabiam como o Posto Bancário funcionava e quem eram os funcionários e seus familiares, pois no momento em que o Coordenador do PAB recebeu a ordem dos assaltantes para abrir o cofre, que para abrir demora cerca de 45 minutos, um dos assaltantes o ameaçou dizendo para “ele não tentar fazer nenhuma gracinha de errar a senha, pois eles (os criminosos) sabiam que ele tinha dois filhos e que um estava na escola e o menor estava sozinho em casa com a babá”. Ao fim do assalto, os criminosos levaram o dinheiro do Banco e dos clientes que ali estavam, e a CPU de monitoramento, o CFTV, para não serem identificados por meio das câmeras filmadoras.

Situação que o PAB Primavera ficou após o assalto
O PAB Primavera está interditado e sem previsão de retorno às atividades.

Segundo a Assistente Social do Banco, os funcionários foram atendidos por um médico emergencial e foram emitidos os Comunicados de Acidente de Trabalho (CATS) aos funcionários, vítimas dessa agressão, de 4 dias para o Caixa e 6 dias para o Coordenador e o Atendente do PAB, e a GESAT está fazendo o acompanhamento desses funcionários para verificar se vai haver necessidade de um tempo maior de afastamento. Informou, ainda, que eles iniciarão o tratamento psicológico já na próxima semana, após o término do período de licença, por escolha dos próprios funcionários, que preferiram passar esses dias afastados na companhia de seus familiares.

A AFBEPA, no entanto, entende que esse número de dias de licença é muito pouco para que essas vidas tornem a se recompor da violência sofrida e do estresse que fica, pois é praxe o Banpará conceder 15 dias de licença para os funcionários que são vítimas de assalto, seja dentro do Banco ou em sua casa, quando ocorre o "sapatinho".

Segundo Kátia Furtado, "é importante lembrar que o Coordenador do PAB Primavera, já sofreu, junto com sua família, dentro da sua casa, a violência de um assalto, na modalidade "sapatinho", por isso o Banco deve ter mais cuidado e zelo com essa vida. Deixar a escolha de quantos dias precisa ser afastado do trabalho, nas mãos de quem passou pela violência, não é a melhor forma de ajudar o seu funcionário, nesse momento, a AFBEPA entende que cabe ao médico do trabalho avaliar essa situação e com sua experiência recomendar qual o melhor tratamento".

Na agência o gerente geral, que acompanhou as vítimas após o assalto, falou à AFBEPA que se for necessário um maior tempo de recuperação dos colegas, ele solicitará à SUDEP a adição de funcionários, até perdurar a necessidade.

É preciso que o Banpará garanta a todos os seus funcionários do PAB Primavera, vitimados nesse crime, o devido tratamento médico e psicológico, para garantir que essas Vidas tenham o mínimo de paz possível para se recuperar desse grande abalo que sofreram.

Investir em Segurança é Fundamental! Essa é a grande cobrança que os funcionários e funcionárias fazem à Direção do Banpará. Precisamos de Proteção à Vida, de funcionários e clientes, para que esta situação não volte mais a acontecer. A Vida e a Paz de espírito do ser humano precisam ser valorizadas e respeitadas.


PONTO ELETRÔNICO

Ainda durante a visita da AFBEPA à Capanema, os funcionários e funcionárias aproveitaram para denunciar os problemas que estão enfrentando com o Sistema de Ponto Eletrônico, que continua não atendendo os fins para o qual foi criado.

De acordo com os relatos, o Sistema continua não marcando o horário correto de entrada e saída dos funcionários, liberando o Ponto para marcação apenas um ou dois minutos após o horário correto, ou seja, o funcionário, por dia, passa a dever de 4 a 8 minutos ao Banco, mesmo que, quem esteja atrasando, seja o Sistema. Além das vezes que os trabalhadores(as) têm que reiniciar a máquina em que trabalha, de 2 a 4 vezes, pois o balãozinho (REP Virtual) não aparece na tela de início, e quando ele resolve aparecer, já acusa atraso no horário dos funcionários(as), mesmo que esses já estejam a disposição do Banco no tempo correto. Quando questionado sobre o Link que o Banco também disponibiliza para essa função, o chamado Servidor, eles informaram que não têm acesso a ele e a única forma que possuem de registrar sua jornada de trabalho é o REP Virtual.

Gravíssima é a situação, até hoje não regularizada, do bancário continuar logado no SPA, mesmo que o Sistema de Ponto tenha registrado o fim da jornada britânica. Absurda Burla! Pois o bancário e bancária continuam trabalhando, mas sem o real registro de sua jornada, ou seja, por isso que o Banco diz que o pessoal não faz hora extra e quem faz está recebendo, mas, pelo visto, apenas o tanto que fica registrado na época de pagamento dos servidores públicos estaduais.

“Esse Ponto Eletrônico é trabalhoso e muito burocrático. Dá muito trabalho para as Gerências e para os Coordenadores. Se ele funcionasse como deveria, marcando a nossa real jornada, não tinha por que, nós, funcionários, termos todo esse trabalho diariamente. Pois, como ele atrasa sempre, todos os dias nós temos que fazer justificativas para o Banco, explicando a mesma coisa: estávamos aqui, mas o Ponto não funcionou no horário correto”, desabafou uma das funcionárias.

A AFBEPA quer saber até quando nós, funcionários e funcionárias, estaremos sujeitos a esse Sistema de Ponto Eletrônico que não funciona corretamente? Até hoje estamos aguardando a resposta do Banco e do Sindicato dos Bancários, para nos informar que Sistema é esse que foi implantado? Que não atende os nossos anseios para a garantia do nosso Direito ao real e efetivo registro da nossa jornada de trabalho.

RESPEITO!

UNIDOS SOMOS FORTES!


A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Kamilla Santos
Assessoria de Imprensa

quarta-feira, 20 de maio de 2015

CRIMINOSOS DISFARÇADOS DE POLICIAIS FAZEM VÍTIMAS NO PAB PRIMAVERA DO BANPARÁ

Mais um assalto ocorreu na manhã de hoje, 20, vitimando funcionários e clientes do Banpará, que se encontravam no Posto de Atendimento Primavera, vinculado à Ag. Capanema. O fato aconteceu quando algumas pessoas, trajando uniforme de policial, entraram no PAB e renderam os guardas, o coordenador da unidade, o caixa, o atendente e os clientes, que ali estavam, e levaram o dinheiro do Banco. A quantia ainda não foi divulgada.

Os criminosos arrancaram toda a fiação elétrica e telefônica do PAB, impossibilitando que eles fossem identificados pelas câmeras filmadoras e que qualquer comunicação externa fosse feita pelos funcionários do Banco. Enquanto os assaltantes agiam, ninguém entrou ou saiu do PAB.

Todas as vítimas encontram-se bem. Só o que resta é o medo, que essa violência causou a essas vidas.

A AFBEPA, até o momento, não conseguiu mais informações sobre o ocorrido. Mas, nos foi informado que o PAB Primavera foi fechado e, também, não abrirá amanhã. Quanto aos Comunicados de Acidente de Trabalho (CATS), não souberam nos informar se já foram emitidos.

A AFBEPA espera que o Banpará tome as devidas providências e reforce a segurança dos colegas bancários. É preciso mais investimentos em Segurança e mais medidas de Proteção aos clientes e funcionários. A Vida vale muito mais!

UNIDOS SOMOS FORTES!


A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Kamilla Santos
Assessoria de Imprensa

terça-feira, 19 de maio de 2015

MAIS UMA VITÓRIA CONTRA O DESRESPEITO

A AFBEPA soube, com muita satisfação, que a Justiça do Trabalho da 8ª Região acatou o pedido demandado por um funcionário do Banpará, companheiro de Luta e Diretor desta AFBEPA, para que o Banco pague todas as suas horas extras trabalhadas, bem como os intervalos intrajornadas e seus respectivos reflexos, nos direitos trabalhistas. O pedido resulta do período que o colega desempenhava atividades como Coordenador do PAB da Polícia Civil, vinculado à Ag. Nazaré, de junho de 2009 até abril de 2013, quando o mesmo foi destituído, arbitrariamente, da Função de Coordenador, no seu período de férias e em época de Campanha Eleitoral para a Eleição da atual gestão da AFBEPA-2013/2016.

Naquela época, o funcionário panfletava nos andares da Matriz juntamente com a Presidenta da AFBEPA, quando alguém lhe informou da sua destituição. Imediatamente, a Presidenta da AFBEPA ligou para a DIRAD informando que o funcionário encontrava-se de férias e que, portanto, o seu contrato de trabalho estava interrompido, ou seja, essa destituição era completamente ilegal. A Portaria foi revogada enquanto perdurou as férias do funcionário, mas no seu retorno, a destituição foi efetivada, sem que o motivo dessa destituição, até o presente momento, fosse esclarecido.

Durante o período em que atuou como Coordenador do PAB, o colega iniciava as suas atividades de 8h às 18h30, de segunda a sexta-feira, com intervalo de 15 a 30 minutos para descanso e alimentação, sendo que em dias de pico a jornada aumentava em mais uma hora, no mínimo. No entanto, o que a folha de ponto registrava era o horário determinado no contrato de trabalho, de 9h às 15h (horário de funcionamento do PAB), e em período de pico, a Direção do Banco autorizava o pagamento de 2 horas extras, mesmo que a sua jornada ultrapassasse mais que duas horas, ou seja, o que o Banco mandava registrar contrariava completamente a realidade vivida pelo funcionário.

Assim, de acordo com o exposto, a Juíza do Trabalho julgou parcialmente procedente os pedidos formulados pelo funcionário do Banpará e condenou o Banco a pagar, com juros e correção monetária, no prazo de 15 dias, a contar do trânsito em julgado, as diferenças de horas extras laboradas após a oitava hora diária e o pedido de pagamento dos intervalos intrajornada, e seus reflexos em 13º salário, férias + 1/3, RSR e FGTS (este último a ser depositado em conta vinculada), referentes ao período laborado pelo funcionário como Coordenador de Posto de Serviço, deduzidos os valores já pagos em contracheques e excluídos os períodos de férias, ausências, e licenças do serviço. Caso o Banpará não cumpra a determinação, será acrescida multa de 10% nos valores determinados e serão iniciados, imediatamente, todos os procedimentos executórios.

Outra vitória do nosso colega foi o indeferimento do pedido de litigância de má-fé, requerido pelo Banco, como tentativa de repressão ao nosso colega que lutava por seus Direitos, ao que a Juíza declarou: “indefiro o pedido de aplicação da penalidade, por não vislumbrar má-fé na conduta do autor, que apenas atuou em defesa de interesse que entendia devido”.

A AFBEPA parabeniza o colega por esta importante Vitória, pois, com Fé, outras Vitórias virão!

E, sempre, com muita Luta e Determinação, todos temos que construir o nosso futuro a partir das nossas presentes ações.

Leia a sentença na íntegra AQUI.

UNIDOS SOMOS FORTES!


A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Kamilla Santos
Assessoria de Imprensa

segunda-feira, 18 de maio de 2015

POR QUE É IMPORTANTE A GREVE DOS PROFESSORES ESTADUAIS?


Após 55 dias de deflagração da greve dos Trabalhadores da Educação do Estado do Pará, por melhores condições de salários e infraestrutura nas escolas, o Governo resiste e busca, através da grande mídia, empurrar para os Professores a culpa pela sua intransigência e má-vontade em querer negociar as necessárias e justas reivindicações desses trabalhadores, que são fundamentais para as nossas vidas e o para um melhor futuro do nosso país.

As principais pautas dos nossos educadores são: o pagamento retroativo do Piso Nacional; instituição do PCCR unificado; reforma nas escolas; concurso público para novos agentes da educação, a fim de retirar a sobrecarga excessiva dos trabalhadores e, consequente, diminuição do grande número de alunos para cada professor, entre outras. Pautas essas completamente coerentes, importantes e emergenciais, visto que a situação da educação paraense hoje é completamente precária e caótica.

Não é de hoje que sabemos do desleixo dos nossos governantes, atuais e anteriores, com a educação pública, a exemplo de notícias veiculadas na mídia de prédios, onde funcionam as escolas, caindo, literalmente, sobre a cabeça de alunos e professores, violando o princípio da Dignidade Humana; os salários recebidos pelos educadores abaixo do piso nacional estabelecido pela Lei Federal nº 11.738/2008, em desrespeito completo a Lei e a Qualidade de Vida desses educadores; o grande número de alunos comportados nas salas de aula sobrecarrega o baixo número de professores, para atender a atual demanda, e acaba por gerar um déficit na educação das nossas crianças e adolescentes.

Contudo, ao invés do Governo Estadual negociar com a categoria para atender às pautas requeridas, ele fica protelando e negligenciando suas responsabilidades, e quem sofre com isso somos nós, a Sociedade, nossos filhos e filhas e todos os professores e professoras.

A Luta dos nossos educadores é para que os nossos filhos e filhas possam ter uma educação de qualidade. Para que os nossos estudantes possam encontrar um ambiente escolar acolhedor e que zele pela sua vida e conhecimento, com escolas reformadas ou novas, mais professores, melhor ensino. Para que os nossos professores e professoras sejam valorizados, como trabalhadores e educadores, profissionais tão importantes na construção da nossa Sociedade.

A greve dos professores e professoras é Justa e Importante. Portanto, é preciso que saibamos quem é o verdadeiro culpado pelo descaso com a educação estadual: o Governo do Pará e seu Secretário de Educação, que não atendem as justas reivindicações dessa categoria.

Os professores querem retornar às salas de aulas, que é o que eles gostam de fazer: ajudar a formar cidadãos e os nossos futuros profissionais, mas é importante garantir que a Educação na Escola e todos os seus alicerces sejam vistos como Prioridade.

Parabéns a todos os professores e professoras que estão participando do movimento grevista e mantendo Forte a Luta da categoria!

"Há todo um velho mundo ainda por destruir e todo um novo mundo a construir. Mas nós conseguiremos..." (Rosa Luxemburgo)

UNIDOS SOMOS FORTES!


A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Kamilla Santos
Assessora de Imprensa

sexta-feira, 15 de maio de 2015

VIOLÊNCIA DO SAPATINHO CONTRA OS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ REPERCUTE NA CÂMARA FEDERAL

A crescente onda de assaltos no Sapatinho que vem ocorrendo no Pará, onde as principais vítimas são os bancários(as) do Banpará, foi tema de um pronunciamento feito ontem, 14 de maio, pelo Deputado Federal Edmilson Rodrigues, durante sessão, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

O Sapatinho é uma modalidade de assalto que ocorre na residência do bancário(a), onde os assaltantes invadem o lar desse trabalhador(a), sequestram a sua família e o obrigam a se dirigir à unidade bancária e entregar o dinheiro do Banco aos criminosos, para libertar seus familiares. A característica marcante desse crime é a pressão psicológica.

Somente neste ano de 2015, já ocorreram três assaltos no Sapatinho no Banpará (Br-Ananindeua, PAB SEDUC e Rio Maria) e duas tentativas frustradas de sequestro no Sul e no Sudeste do Pará, em que os bancários perceberam as situações e conseguiram escapar.

Se não bastasse toda a violência física e psicológica que estes funcionários, vítimas de sapatinho, sofrem, o Banpará ainda tem tomado medidas unilaterais que pioram a situação desse trabalhador, como a Transferência Compulsória desse colega, o que não resolve o problema, visto que o assalto ocorre na casa do funcionário(a) e não na unidade de trabalho, ou seja, muda-se o local de trabalho, mas não se protege a residência do bancário(a), que é o local visado e mapeado pela quadrilha de assaltantes.

Assim, além do Banco reforçar a segurança nas unidades bancárias, a exemplo de segurança 24 horas, câmeras filmadoras, PGDM e outros, é preciso que o Banpará também invista na Segurança e Proteção do lar de seus funcionários e funcionárias, local onde os assaltantes praticam todas as ações criminosas.

A Vida é o nosso bem mais precioso e precisa ser Resguardada, Cuidada, Protegida e Valorizada!

Assista abaixo o pronunciamento do Deputado Federal Edmilson Rodrigues:


“Golpe do sapatinho”
"Faço um apelo à direção do Banco do Estado do Pará. Ocorreram ao longo dos anos vários assaltos chamados "Sapatinho". Sequestra-se a família e obriga-se o bancário a retirar valores. E o bancário é que acaba sendo punido", denunciou o deputado Edmilson Rodrigues, nesta quinta (14).O “golpe do sapatinho”, ação criminosa em que os ladrões fazem um funcionário e sua família como reféns, enquanto assaltam a agência, tem sido praticado com frequência no Pará.
Posted by :: Edmilson Rodrigues on Quinta, 14 de maio de 2015


UNIDOS SOMOS FORTES!



A DIREÇÃO DA AFBEPA




Texto: Kamilla Santos
Assessora de imprensa

quinta-feira, 14 de maio de 2015

AFBEPA SOLICITA AO BANPARÁ QUE PAGUE A TODOS OS SEUS FUNCIONÁRIOS O DIREITO À HORA EXTRA

A Associação dos Funcionários do Banpará-AFBEPA protocolou, na manhã de hoje, 14 de abril, na Diretoria Administrativa do Banpará, o Ofício 018/2015, em que pleiteia que todas as horas extraordinárias, realizadas pelo funcionalismo do Banco, sejam devidamente pagas, visto que o descumprimento deste Direito é motivo de constante cobrança desta AFBEPA ao Banpará.

De acordo com informações recebidas e idas, desta Associação, aos locais de trabalho, verificamos que o Banco não vem cumprindo com a sua obrigação de pagar as Horas Extras, a todos os funcionários(as) que ultrapassam a sua jornada, seja Caixa, Atendente, Gerentes, Tesoureiro, entre outras funções.


O que constatamos é que o Banco permite pagar 2 horas extras para os caixas, na época de pagamento, e 2 horas extras para os tesoureiros e, com raras exceções, 4 horas extras a mais para os tesoureiros. E não é isso que a legislação trabalhista prevê.


Assim, no Ofício, a AFBEPA também solicita que, daqui por diante, todas as horas extras realizadas, pelos funcionários e funcionárias do Banpará, sejam efetivamente registradas e remuneradas, de acordo como determina a Lei.


AFBEPA espera que o Banco cumpra e pague o Direito, dos funcionários e funcionárias, às horas que ultrapassam a sua jornada de trabalho.

Leia abaixo o Ofício 018/2015 na íntegra ou clique AQUI para ler o arquivo em pdf.



UNIDOS SOMOS FORTES!


A DIREÇÃO DA AFBEPA

quarta-feira, 13 de maio de 2015

AFBEPA COBRA DO BANPARÁ PROVIDÊNCIAS SOBRE O AUMENTO DE ATRIBUIÇÕES DOS TESOUREIROS

Na tarde de hoje, 13 de maio, a Associação dos Funcionários do Banpará-AFBEPA protocolou, ao Presidente do Banpará, o Ofício 017/2015, em que cobra providências sobre o aumento de atribuições dos Tesoureiros, nas Agências do Banpará, sem que haja a adequada estrutura de pessoal, à disposição da Tesouraria.

No ofício, a AFBEPA solicita que o Banco do Estado providencie, o mais breve possível, coordenadores de caixa para todas as Agências do Banpará, a exemplo das Agências Belém-Centro e Senador Lemos, que já contam com o apoio desse funcionário, com o objetivo de garantir a execução das regras disciplinadas de Prevenção à Fraudes, com vigência desde o dia 13/04/2015, ou determine a suspensão desses regramentos, até que se defina como serão desempenhados.

Para a AFBEPA, as regras previstas no Normativo: “CUMPRIMENTO DE NORMATIVO INTERNO – COORDENADOR DE TESOURARIA – PREVENÇÃO” são um importante meio de prevenir as fraudes, contudo, entendemos que não há condições físicas e psíquicas para apenas o tesoureiro executar as suas tarefas normais e mais esse regramento. Defendemos a criação da Função de Coordenador de Caixa em Todas as Agências, como já há nas agências Senador Lemos e Belém-Centro.

Leia abaixo o Ofício na Íntegra ou acesse o arquivo em .pdf AQUI.







UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

BALANCETE FINANCEIRO DO 1º TRIMESTRE DE 2015 (Jan/Fev/Março)


A Associação dos Funcionários do Banpará (AFBEPA), foi fundada em 02 de setembro de 1987, é uma Sociedade Civil de Direito Privado, de Caráter Profissional, sem fins lucrativos. A AFBEPA representa exclusivamente os funcionários do Banpará associados a esta Entidade, em questões judiciais e extrajudiciais. Nossas fontes de receitas constituem-se de mensalidades dos associados e taxas de convênios firmados (Uniodonto, Ótica Telégrafo, Carne e Sabor, Auto Escola Foca, Livraria dos Estudantes e Livraria J. P. Gonçalves).

Atualmente a AFBEPA possui 655 associados. O desconto da mensalidade é feito em contracheque e corresponde a apenas 1,5% do salário base de cada associado/a. Os valores que entram na AFBEPA não são fixos devido às solicitações de adesões e cancelamentos, demissões e falecimentos de associados.

RECEITAS DO 1º TRIMESTRE/2015

Mensalidades dos associados
JANEIRO R$ 27.907,73
MARÇO R$ 28.068,43
ABRIL R$ 28.052,97
TOTAL R$ 84.029,13

TAXAS ADMINISTRATIVAS DE CONVÊNIOS FIRMADOS-1º TRIMESTRE/2015
JANEIRO    R$1.575,22 
FEVEREIRO   R$1.616,82 
MARÇO   R$1.638,91 
TOTAL   R$4.830,95

RECEITA TOTAL DO 1º TRIMESTRE = R$88.860,08 
Receita Total é a soma das mensalidades e taxas administrativas. 

RECUPERAÇÃO DE VALORES DO 1º TRIMESTRE/2015 R$2.384,43
São percentuais descontados no 1º trimestre de 2015, referentes a vale transporte, ticket alimentação e plano de saúde, conforme dispõe a legislação trabalhista, nos contracheques dos funcionários da AFBEPA. São valores considerados apenas para lançamento contábil. 

DETALHAMENTO MENSAL DA RECUPERAÇÃO DE VALORES DO 1º TRIMESTRE/2015: 
JANEIRO R$ 825,05 
FEVEREIRO R$ --
MARÇO R$1.559,38 
TOTAL R$2.384,43 


DESPESAS OPERACIONAIS POR RUBRICA

  • Despesas com Pessoal - Essas despesas se referem a pagamento de salários e ordenados, vale transporte, ticket alimentação, plano de saúde e férias dos funcionários: R$18.318,82
  • Despesas Tributárias – (FGTS / INSS /IMPOSTOS E TAXAS): R$5.377,63
  • Despesas Financeiras - Essas despesas se referem a tarifas bancárias e manutenção de conta: R$587,00
  • Despesas Administrativas - são as demais despesas abaixo descritas que somam o total de: R$35.300,00

DETALHAMENTO DAS DESPESAS ADMINISTRATIVAS

  • Despesas com telefonia fixa da AFBEPA (02 linhas) - R$1.413,53
  • Despesa com telefonia móvel – R$1.587,33
  • Despesas com roteador da Claro – R$299,70
  • Aluguel da sede - R$3.824,49
  • Celpa - R$1.341,93
  • Cosanpa - R$42,00
  • Despesas com copa, cozinha e material de limpeza- R$664,88
  • Despesas com combustível em atividades de panfletagem de jornal, idas às Unidades do Banpará, Audiências, Eventos e trabalhos dos funcionários da AFBEPA em Belém – R$1.452,61
  • Despesas com alimentação para diretoria, Assembleia e funcionários da AFBEPA, quando em reuniões e trabalhos extraordinários (Audiências e outros) - R$1.268,27
  • Despesas com viagens, locação de carro, alimentação e combustível para visitas nas Agências de Castanhal (três viagens), Vigia, Capitão Poço e São Caetano de Odivelas– R$1.003,35 
  • Gastos com informática – R$175,20 
  • Jornais e Revistas – R$370,00
  • Despesas com Transporte (para os funcionários da AFBEPA) e Táxi (Audiências TRT-Diretoria da AFBEPA e Testemunhas) - R$442,00
  • Material de expediente e escritório - R$1.285,44 
  • Donativos e Contribuições (Doação de 01 coroa de flores) – R$250,00
  • Devolução de desconto indevido a associados– R$66,15
  • Honorários do 1º Trimestre - Advogados: Drª Valéria Fidellis / Drº Marcio Tuma / Contadora: Benedita Soares e Jornalista da AFBEPA: Kamilla Santos - R$16.458,12
  • Bens de natureza permanente (Entrada + 1ª parcela referente à compra de 1 computador completo, 1 CPU, 1 impressora, 1 moldem e 1 roteador) - R$2.295,00
  • Manutenção e reparo – R$30,00
  • Serviços prestados da diarista no 1º trimestre/2015 - R$520,00 
  • Serviços prestados de na organização de cabos na sala de espera da AFBEPA - R$10,00
  • Serviços prestados na Instalação e formatação com todos os programas de dois computadores Core I3, instalação de um modem roteador, organização de cabos de internet e serviço externo para fazer orçamento de material de informática para esta Associação - R$200,00
  • Serviços prestados na análise de defeito, manutenção e reposição de mangueira condutora em 1 ar condicionado e 1 central da AFBEPA - R$200,00
  • Serviços prestados na resolução de problemas de conexão de rede de 1 computador desta Associação – R$30,00
  • Serviços prestados na Análise de defeito e formatação do backup de 2 computadores DATEN desta AFBEPA – R$70,00 

DETALHAMENTO DAS DESPESAS OPERACIONAIS

  • Despesas com telefonia - R$3.300,56 
  • Aluguel da sede - R$3.824,49 
  • Celpa - R$1.341,93
  • Cosanpa - R$42,00
  • FGTS - R$850,34 
  • INSS - R$3.686,55 
  • IPTU – R$840,74
  • Donativos e Contribuições – R$250,00
  • Plano de Saúde dos funcionários da AFBEPA - R$1.562,25
  • Vale transporte dos funcionários da AFBEPA – R$1.929,60
  • Tickt alimentação dos funcionários da AFBEPA - R$2.512,62
  • Despesas com copa, cozinha e material de limpeza - R$664,88
  • Despesas com combustível em atividades da diretoria da AFBEPA em Belém – R$1.452,61
  • Despesas com alimentação para diretoria e funcionários da AFBEPA em reuniões, audiências e trabalho extraordinário- R$1.268,27
  • Gastos com informática – R$175,20
  • Despesas com Táxi (Audiências-Diretoria da AFBEPA): R$442,00
  • Jornais e Revistas – R$370,00
  • Despesas com viagens em visita às Agências: de Castanhal, Vigia, Capitão Poço e São Caetano de Odivelas– R$1.003,35 
  • Material de expediente e escritório - R$1.285,44
  • Devolução de desconto indevido para os associados – R$66,15
  • Despesas bancárias - R$587,00
  • Bens de natureza permanente (Entrada + 1ª parcela referente a compra de 01 computador completo, 01 CPU, 01 impressora, 01 moldem e 01 roteador) - R$2.295,00
  • Salários e Ordenados dos Funcionários da AFBEPA: Rosângela Silva, Márcio Dias e Uanne Gonçalves - R$8.706,30 
  • Férias dos funcionários: Márcio Dias e Rosângela Silva – R$3.608,05 
  • Honorários dos Advogados: Drª Valéria Fidellis / Drº Marcio Tuma / Contadora: Benedita Soares e Jornalista da AFBEPA: Kamilla Santos - R$16.458,12
  • Manutenção e reparos (Análise de defeito do portão da AFBEPA) – R$30,00 (não foi lançado como serviços prestados)
  • Despesa com Serviços prestados para a AFBEPA no 1° Trimestre/2015 – R$1.030,00

TOTAL DAS DESPESAS OPERACIONAIS – R$59.583,45

  • Total da Receita Operacional.............. R$91.244,51
  • Total das Despesas Operacionais....R$59.583,45
Resultado do 1º Trimestre......................R$31.661,06

No Resultado do 1º trimestre computa-se contas a pagar da AFBEPA, referente ao mês de Março/2015 com vencimentos no mês de Abril/2015.


A DIREÇÃO DA AFBEPA

sexta-feira, 8 de maio de 2015

MÃE, MULHER ESPECIAL


MÃE,

Mulher Forte, Guerreira, Meiga, Sensível, Delicada, Amiga, Protetora. Você é o alicerce da Vida, que ensina, pacientemente, a seus filhos e filhas, a amar, cuidar, observar, dedicar-se e nunca desistir de seus sonhos.

Persistente, Mãe é a pessoa que sorri sempre, mesmo nos momentos mais difíceis. É a Mulher que recebe com imensa alegria a sua missão de se doar completamente para outro ser.

Mãe é sinônimo de Vida, Amor e Bondade.

Mãe sempre tem um abraço, um afago, uma palavra amável e acolhedora. É sempre cheia de Ternura, Carinho, Esperança e Amor Verdadeiro. É o Porto Seguro nos momentos de tristeza; a Estrela Guia nos momentos indecisos. É aquela que Luta sempre com muita Garra pela Felicidade de seus filhos e filhas.

Mãe, você é Mulher Sublime e Especial, o maior exemplo de Amor. Você é a Fortaleza que nunca se quebra; o Amor que nunca se acaba; a Felicidade que sempre resplandece. Você é merecedora de todo o Respeito, Homenagens e de todo o Afeto que somos capazes de sentir.

Mãe, neste dia tão especial, mais do que lhe parabenizar, queremos lhe agradecer. Agradecer pela Vida concedida, pelo Amor dedicado, pela Amizade compartilhada, pelo Zelo constante. Por toda a Dedicação diária em ensinar, aos seus filhos e filhas, como se tornarem pessoas melhores, mais amáveis, carinhosas, bondosas e responsáveis. Os seus ensinamentos foram e serão sempre fundamentais em nossas Vidas.

A AFBEPA deseja um Feliz Dia das Mães mais que Especial, a vocês, Mamães, que todos os dias dedicam suas vidas, com Carinho e Amor, aos seus filhos e filhas.


"Toda mulher é como uma rosa
Rainha de todas as flores
Mas a mulher que também é mãe
É rainha entre rainhas
Rainha de todas as rosas..."
(Augusto Branco)


A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Kamilla Santos
Assessora de Imprensa
Imagem disponível na internet

quarta-feira, 6 de maio de 2015

BANPARÁ PRECISA VERIFICAR IN LOCO AS FALHAS DO SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO

Desde o dia 30 de abril encerrou o prazo estabelecido pelo funcionalismo do Banpará, em Assembleia Extraordinária, realizada no dia 16 de abril, para que o Banco do Estado efetue as devidas correções dos problemas apresentados pelo Sistema de Ponto Eletrônico e explique que Sistema é esse e qual a capacidade de seu funcionamento.

Os problemas gerados nesse Sistema que foi implantado o Ponto se perpetuam, desde novembro de 2014, como o atraso do Sistema em registrar a jornada dos colegas, que sempre chegam antes do seu horário; dessincronização entre os horários do Ponto e a máquina do empregado(a); SPA e Sistema de Ponto que não funcionam de acordo com a jornada de trabalho, acusando o retorno do intervalo intrajornada e as horas extras, a exemplo da Ag. Marabá que o Ponto Eletrônico desliga no horário, mas os funcionários continuam trabalhando, além do tempo, com o SPA aberto, sem o devido registro das horas extras; e a pausa compensatória dos Caixas que não está sendo respeitada, entre outras reclamações.

O prazo final para o Banpará apresentar as respostas aos nossos questionamentos, feitos em Assembleia, foi no dia 30 de abril, portanto, é Urgente que o Banco crie as condições necessárias para que possamos desfrutar do nosso Direito, um ponto eletrônico que realmente registre a nossa jornada real de trabalho e nos dê as necessárias respostas o quanto antes.

Por isso, a AFBEPA defende que a Direção do Banco faça uma visita às unidades de trabalho, juntamente com as Entidades Representativas do funcionalismo, para verificar in loco o que ocorre de Fato nesse Sistema de Ponto Eletrônico e converse com os empregados(as) sobre as problemáticas que eles enfrentam diariamente.

É preciso que a categoria se una para defender o Direito ao fiel registro da nossa jornada de trabalho, pois ele é Fundamental. Portanto, temos que cobrar do Banco que corrija as falhas desse Sistema ou substitua por outro que funcione corretamente.

UNIDOS SOMOS FORTES!


A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Kamilla Santos
Assessora de Imprensa

terça-feira, 5 de maio de 2015

FUNCIONALISMO VIVE SITUAÇÃO CRÍTICA NAS UNIDADES DO BANPARÁ

É crítica a situação dos funcionários e funcionárias dentro das Agências, PABS e CAVS do Banpará. Agências abarrotadas de pessoas sem a necessária estrutura de pessoal, condição essa posta, devido a liberação, apenas hoje, 5 de maio, do pagamento dos professores do Estado.

Pela manhã, na Ag. Telégrafo, uma funcionária apresentava a pressão de 20/15, um dos gerentes quase apanhou de um cliente, o clima estava tenso e exaltado, pois a quantidade de funcionários que estavam atuando no Atendimento era de 1 atendente, 1 estagiária, 1 gerente de atendimento, 1 gerente geral e 2 gerentes de negócios; no Caixa havia somente 4 funcionários, pois a Tesoureira está de férias e uma das caixas teve que substitui-la.

No funcionamento da Retaguarda da Agência, um GESIN substituto é que está fazendo todos os trabalhos, pois o Banco não disponibilizou funcionários para ajudá-lo internamente. A AFBEPA, naquele momento, verificou que esse funcionário está há dias tomando remédio para dor-de-cabeça, devido ao enorme estresse que ele vem sentindo.

Como os colegas aguentam trabalhar desse jeito, sem a menor estrutura?

Lembrando que esta não é a primeira vez que a AFBEPA registra essa superlotação nas unidades e a consequente falta de estrutura. Em 27 de abril, a AFBEPA presenciou, na Agência Nazaré, uma unidade absurdamente lotada, por conta do pagamento datado para o mesmo dia dos aposentados e pensionistas da Secretaria Estadual de Administração (SEAD) e da Polícia Militar (PM).

Mas, não são apenas nessas Unidades que essa situação constrangedora e sufocante ocorre. Em todas as demais Agências, PABS e CAVS, da capital e do interior, as denúncias à AFBEPA são constantes. Portanto, é preciso que a Direção do Banpará tome imediatas providências para resolver essa situação, colocando o número necessário de funcionários à disposição de cada unidade, seja para substituir funcionários(as) adoecidos ou que estão de férias.

Não podemos permitir que os nossos colegas sofram com essa precária estrutura de pessoal e se sujeitem a doenças cardiovasculares, de pressão, estresse, entre outras, devido essa péssima condição de trabalho.

UNIDOS SOMOS FORTES!


A DIREÇÃO DA AFBEPA

O JORNAL “AÇÃO E CORAGEM” JÁ ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDO NAS UNIDADES DO BANPARÁ

A 3ª edição do “JORNAL AÇÃO E CORAGEM” da Associação dos Funcionários do Banpará-AFBEPA já está circulando, desde a manhã de hoje, 5, nas unidades de trabalho do Banpará.

O informativo apresenta um histórico da luta pela implantação do nosso Plano de Cargos e Salários-PCS. Nele, a AFBEPA cobra quais são as regras que embasarão a Promoção por Merecimento, em janeiro de 2016, e informa que a Promoção por Antiguidade, de janeiro de 2017, tem como único critério o tempo de 3 anos, de efetivo exercício, no Banco.

Outro ponto abordado pelo jornal é o Normativo 091, que impõe regras que exorbitam a esfera do Poder Diretivo da empresa.

O Jornal apresenta também a vitória de todos os empregados(as) do Banpará, associados da AFBEPA, na Ação Coletiva de Horas Extras, que condenou o Banco ao pagamento das diferenças de horas extras, em razão do divisor que o Banco utilizava que era 180 e 220, quando o correto seria 150 e 220, para as jornadas de 6h e 8h, respectivamente. Temos ainda a decisão favorável, em segundo grau, que marca uma importante vitória, para aqueles profissionais que trabalham diretamente com numerário e que injustamente não recebem a parcela correspondente a quebra de caixa.

O Ação e Coragem traz, ainda, a solicitação da AFBEPA ao Ministério Público do Estado, por meio do Ofício 016/2015, para que ele apure se o Contrato 15, firmado entre o Banpará e o INDG S/A (Falconi), sem licitação, respeita o que determina a Constituição e a Lei 8.666/93. Além desse, a Associação enviou o Ofício 009/2015 ao Governador do Estado do Pará, Simão Jatene, para que ele intervenha no Banpará e nos ajude a buscar soluções para os problemas de Gestão de Pessoal que afetam o bancário, como também a falta de diálogo entre a Diretoria do Banco e a AFBEPA.

No que tange a solicitação ao Governador, a AFBEPA esclarece que a intervenção solicitada é somente na parte de Gestão de Pessoal que está sendo implementada no Banpará, pois desrespeita os Direitos Trabalhistas e a Dignidade da pessoa humana.

Leia abaixo a versão online do JORNAL AÇÃO E CORAGEM:


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA

Texto: Kamilla Santos
Assessora de Imprensa





segunda-feira, 4 de maio de 2015

BRINDE DAS MAMÃES

Brinde: Porta-cartão ou Kit manicure

Desde a última quinta-feira, 30 de abril, a Associação dos Funcionários do Banpará está distribuindo os Brindes das Queridas Mães, Funcionárias do Banpará e Associadas da AFBEPA.

São singelas lembranças que representam o Carinho da Associação por todas as Mulheres, que receberam de Deus o dom de gerar a Vida.

A AFBEPA está encaminhando os brindes para o local de trabalho atual, onde a colega bancária associada está lotada, conforme listagem fornecida pela SUDEP.

UM FELIZ DIA DAS MÃES MAIS QUE ESPECIAL!


A DIREÇÃO DA AFBEPA