sexta-feira, 30 de maio de 2014

Banpará, seus trabalhadores e trabalhadoras estão clamando por SEGURANÇA BANCÁRIA!


Foto: José Antônio Santos (Rádio Afuá FM)

Segundo informações do site ORM News e do radialista José Antônio Santos, da Rádio Afuá FM, no início desta sexta, 30 de maio, quatro criminosos, armados com pistolas, levaram aproximadamente R$ 11 mil reais do Posto de Serviço do Banpará de Afuá, situado na Ilha do Marajó. Dois clientes foram feitos reféns pela quadrilha, mas foram liberados.

"Os bandidos tomaram a arma do segurança da agência. Clientes que estavam na fila do banco também foram abordados e tiveram objetos pessoais roubados. Na fuga foram efetuados quatro disparos em um bar na orla da cidade, mas ninguém ficou ferido. O bando fugiu em uma voadeira levando os dois reféns. Eles foram liberados pouco depois em um sítio próximo à cidade. O clima é tenso em Afuá, já que este foi o primeiro assalto a uma agência bancária registrado no município. A Polícia Civil informou que apura o caso", diz a notícia.

Segundo fontes, a unidade bancária estava lotada na hora em que o crime aconteceu. As imagens da câmera de segurança estão sendo usadas para investigar o caso. Essa ocorrência é mais uma que demonstra a (IN)segurança a qual trabalhadores bancários e clientes estão submetidos, e, pasmem: a referida unidade bancária não possui a Porta Giratória Detectora de Metal - PGDM.     

Ora, sabemos muito bem que a ausência da PGDM em unidades bancárias do Banpará é uma realidade, não só no interior, mas também na própria capital paraense. Recentemente abordamos esse assunto aqui no blog, na postagem Unidade precisa, com URGÊNCIA, de uma PGDM. Com tudo isso, voltamos a perguntar onde estão investidos os 5 milhões que o Banpará afirma injetar em SEGURANÇA BANCÁRIA.

Ao Banpará cabe essa resposta!

LEMBREMOS 

Na última quarta-feira, 28 de maio, o Coordenador do Posto de Atendimento do Centur, um pai de família, teve que passar pela grave VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA de ver dois filhos seus, um de 7 e outro de 10 anos, nas mãos de bandidos perigosos. "Eu moro há mais de dez anos no meu bairro e nunca tinha passado por uma situação dessa", afirmou o bancário que, apesar do problema de insegurança pública na qual vivem os paraenses, deixava a sua casa sozinha durante todo o dia. 

Agora, gerentes e coordenadores, as principais vítimas de quadrilhas criminosas, temem sair de suas casas. "Quando eu ia para o meu trabalho, alternava de caminho, nunca ia só por um lugar", disse o bancário que foi vítima do citado assalto.

Com relatos semelhantes ao desse bancário, um pai de família que não pode mais levar, em paz, os seus próprios filhos para a escola ou mesmo ir tranquilamente para o seu trabalho, está demonstrada o quanto é gravíssima a situação da INSEGURANÇA entre os bancários que atuam no Banpará. E, como nos mostrou o fato de hoje, entre os clientes também.

Só do final de 2013 pra cá já foram mais de cinco assaltos. Em janeiro deste ano foram três, em menos de duas semanas, relembre:

Agora, só nesta semana, além do bancário do PAB Centur, entra mais o crime de hoje, cometido na Unidade Bancária do Banpará de Afuá.
 
O mais agravante é que em 80% das ocorrências de crimes cometidos por quadrilhas em unidades e PABs do Banpará, do final de 2013 até o início do primeiro semestre de 2014, as principais vítimas foram bancários e bancárias e seus familiares. São os funcionários do próprio Banco as principais vítimas, pois o Banpará, ao invés de focar em SEGURANÇA PREVENTIVA, determina TRANSFERÊNCIAS UNILATERAIS.    
 
Políticas Efetivas de Segurança é e sempre será, uma luta desta AFBEPA, não apenas em campanhas salariais, mas em todos os dias do ano, principalmente nos momentos em que tivermos de noticiar mais um bancário ou bancária do Banpará, um pai ou uma mãe, tendo que passar por um enorme trauma, como a violência de um assalto. Uma violência que deixa sequelas. Que instala o medo, que mostra o quanto o Banpará não se importa com a VIDA dos seus empregados.
 
Banpará, RESPEITE os seus trabalhadores e trabalhadoras, seu principal patrimônio. Não dá mais para suportar essa situação de INSEGURANÇA. Não queremos mais ser vítimas desse DESCOMPROMISSO do Banco com as nossas Vidas e dignidade. 
 
Basta de INSEGURANÇA BANCÁRIA!
 
UNIDOS SOMOS FORTES!
 
A Direção da AFBEPA.  



quinta-feira, 29 de maio de 2014

Vitória de uma guerreira: Vice-Presidenta da AFBEPA é a mais votada na eleição da CIPA na Matriz

Cristina Quadros é a mais votada para compor a CIPA-Matriz
A Vice-Presidenta da AFBEPA, Cristina Quadros, foi a mais votada na eleição para integrar a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes-CIPA da Matriz do Banpará. 

Isso demonstra a grande liderança de Cristina Quadros como uma pessoa combativa e defensora dos ideais de classe. A nossa Cris, tem demonstrado ao longo desses anos, sua coragem em representar os empregados do Banpará, na AFBEPA. Ela é uma pessoa dedicada, que luta contra as injustiças e a opressão.

Nas campanhas salariais é uma leoa. Sempre buscou conscientizar as pessoas na adesão da nossa greve na qual buscamos melhorias de condições de trabalho, melhorias salariais, melhorias de saúde, melhorias de vida. Não é à toa que hoje ela tem a preferência dos funcionários para integrar a CIPA e nós sabemos que será um grande mandato, à altura de sua determinação, força e liderança.

A AFBEPA,  agradece a manifestação de apoio, carinho e respeito por essa grande mulher que é a nossa Cristina Quadros. Parabéns Cristina! Você merece.

Unidos Somos Fortes!

A Direção da AFBEPA.  

quarta-feira, 28 de maio de 2014

INSEGURANÇA BANCÁRIA: Ausência de Prevenção leva a mais um “sapatinho” no Banpará

Mais uma vez um bancário foi vítima de assalto no “sapatinho”, modalidade de crime em que o bandido se desloca até a casa do bancário, o mantém em cárcere privado, para depois sequestrar ele e sua família. Desta vez foi o Coordenador do Posto de Atendimento do Centur. O funcionário foi abordado por bandidos, na manhã de hoje, quando levava os seus dois filhos, um de 7 e outro de 10 anos, para a escola.

O modus operandi é o mesmo: VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA. Ameaçaram cortar os dedos das crianças que, em determinado momento, foram separadas do pai pelos bandidos, retiradas em prantos e pedindo para o pai não deixar aquilo acontecer, de dentro do carro do próprio bancário. "Se não der certo, vamos atrás do restante da sua família. Sabemos onde você mora", ameaçou um dos dez bandidos da quadrilha, que cometeu o crime. Segundo informações, os criminosos conseguiram levar 750 mil reais do Banco.

A Presidenta da AFBEPA, Kátia Furtado, assim que soube do lamentável caso, foi ao encontro do funcionário que, depois de prestar depoimento, foi encaminhado para uma unidade de saúde, com pressão alta.  O Banpará mandou uma pessoa do setor de segurança patrimonial e um assistente social, da área de saúde, que ficou auxiliando o bancário, que estava muito abalado emocionalmente.

"Vendo esse pai aos prantos, sentindo a dor por não ter podido retirar os filhos daquela situação de violência, tendo que fazer a tudo o que foi exigido pelos bandidos, nos cortou o coração. Por isso, e para buscar coibir mais danos e prejuízos aos trabalhadores, nós da AFBEPA, não vamos admitir que a Direção do Banpará dê o mesmo tratamento que tem feito com os outros bancários que foram vítimas de assalto no ‘sapatinho’, transferindo-os unilateralmente, pois o que eles precisam do Banco é muita consideração e respeito” afirmou Kátia Furtado.

"O Banpará tem que acabar com a prática de remediar o dano. Nós queremos a política de Prevenção!", completou Joventina Marques.

A AFBEPA acredita e tem como valor principal o da Família, ela é tudo na vida. Portanto, entendemos que para compreender a situação que os bancários passam atualmente, de violência por causa da ausência de Política de Segurança Preventiva do Banpará, é preciso que nos coloquemos no lugar do pai ou da mãe bancária, que tem o seu filho(a) nas mãos de criminosos.

O Banpará deve uma resposta para a sociedade e seu funcionalismo: que investimento de fato está fazendo para combater a Insegurança?

A AFBEPA acredita que é fundamental debater, avaliar e encaminhar junto com as Entidades de Classe, políticas que tratem, de forma efetiva, dos problemas detectados nas Unidades de Serviço e fora delas. 

Até agora, em 100% dos casos que divulgamos aqui em nosso blog, 90% envolveram os familiares dos funcionários do Banpará que foram vítimas desse tipo de crime. Esses criminosos são articulados. Fazem uma pesquisa detalhada sobre a vida e a rotina do bancário que será a próxima vítima.

Agora, é necessário estender o tratamento para todas as vítimas, garantir ao bancário o tempo para sua recuperação, emitir o Comunicado de Acidente de Trabalho, e, um ponto importante, não transferir o bancário da Unidade de Trabalho, em que ele se encontrava lotado, pois a violência (ameaças, cárcere, sequestro, dentre outros) não ocorre no local de trabalho, mas em sua casa. 



BANCÁRIO ESTAVA SOBRECARREGADO
Recebemos a denúncia, de fontes seguras, que o bancário, vítima do assalto no “sapatinho”, de hoje, estava com grande sobrecarga de trabalho. Ele já tinha solicitado à sua gerência, a adição de dois funcionários (operativo e estagiário), pois esses estavam de férias, mas a solicitação restou infrutífera.
  
Essa é uma realidade de muitas unidades bancárias do Banpará. Não é a primeira, e infelizmente, parece, que não será a última denúncia de agências e PABs que estão com déficit de funcionários, o que gera sobrecarga de trabalho, obrigando o bancário a deixar o seu local de trabalho mais tarde e totalmente esgotado.

A AFBEPA luta para que o Banpará ofereça uma estrutura digna (de pessoal, física e tecnológica), para os seus empregados. Espaços que proporcionem saúde, segurança e higiene para os bancários e bancárias desenvolverem os seus trabalhos. E o mais importante: um ambiente SEGURO, o que hoje se tornou uma clemência dos gerentes e coordenadores, as principais vítimas de assalto no “sapatinho”.   

UNIDOS SOMOS FORTES!

A Direção da AFBEPA.


INSEGURANÇA BANCÁRIA: Assalto no sapatinho

Acabamos de receber uma informação de que um Coordenador do Posto de Atendimento do Banpará do Centur, foi vítima de assalto na modalidade sapatinho. O bancário está neste momento na delegacia. O funcionário está muito abalado emocionalmente, inclusive deverá ser encaminhado para uma unidade médica, pois sua pressão está alta. 

Na delegacia soubemos que o empregado está prestando depoimento, sem qualquer acompanhamento de um advogado, conforme prevê norma do Acordo Coletivo de Trabalho. 

A INSEGURANÇA persiste! Esperamos que a Direção do Banpará, neste momento tão difícil para o bancário, não faça o mesmo que fez com outras vítimas de sapatinho, num passado recente: A TRANSFERÊNCIA UNILATERAL

A qualquer momento voltaremos com mais informações. 

terça-feira, 27 de maio de 2014

Não se deixe enganar. A AFBEPA busca em juízo o reconhecimento da jornada de seis horas diárias

Mais uma vez teremos de usar este espaço para esclarecer à categoria sobre os FATOS INVERÍDICOS que estão sendo expostos pelo Sindicato dos Bancários do Pará.

Já foi explicado aqui neste blog em 13/02/2014 (clique AQUI para ler) que a AFBEPA utilizou a estratégia de buscar o reconhecimento e cumprimento da jornada especial de 6h/dia, pelos comissionados, mas deixando que a realidade de trabalho de cada bancário sirva como parâmetro, para se optar por laborar a jornada de 6h/dia sem qualquer redução na sua gratificação ou laborar na jornada de 6h/dia e fazer 2 (duas) horas extras, consoante é expressamente facultado no art. 59 da CLT.

Em outras palavras, a intenção é de que o trabalhador comissionado POSSA OPTAR, uma vez que tem sido demonstrada em algumas funções, a necessidade de permanência do empregado além das 6 horas, no Local de Trabalho, a exemplo do tesoureiro. Por isso, solicitamos em nossas Ações Civis: 

a) reduzir sua jornada e trabalhar 6h/dia, percebendo a mesma gratificação que recebia quando trabalhava 8h/dia; OU

b) ter reconhecido o direito à jornada de 6h/dia, mas permanecer fazendo 2 horas extraordinárias/dia, hipótese em que trabalhará as mesmas 8h/dia que vem trabalhando, mas receberá, além da gratificação que já recebe, mais duas horas extras por dia, que hoje o Banpará não paga.

Para deixar mais claro ao leitor, o tesoureiro em uma Unidade de Serviço tem que chegar às 8h, abastecer cashs, repassar numerário para os caixas, atender a qualquer solicitação de falhas no cash, atender às solicitações do caixa, e no fim do dia receber e conferir os numerários entregues pelos caixas, fechar e tirar posição de todos os caixas e cashs, encaminhar diversas solicitações à Matriz, entre outros.

Desta forma, é humanamente impossível para o tesoureiro cumprir as suas atribuições, em apenas 6 horas, por isso a necessidade de Horas Extras.  

Ressalte-se que tendo sido declarada a jornada da comissão em seis horas diárias, a qualquer tempo o trabalhador que optou por permanecer laborando duas horas extras diárias poderá se retratar na sua opção, deixando de executar as horas extraordinárias, ou seja, voltar a trabalhar as 6 horas.

“Essa posição atende ao anseio que vem da base, onde existem  tanto bancários que não terão problema em cumprir a jornada de 6 horas, quanto bancários que em função da carga de atribuições vão precisar ficar além das 6 horas, por isso, para garantir o pagamento das horas extraordinárias, é que temos que na Justiça Trabalhista buscar fazer essa diferenciação”, alega a assessoria jurídica da AFBEPA.

Provavelmente o Sindicato não sabe dessa questão por estar longe da base e principalmente por não ter convocado Assembleia Geral para discutir essa questão com a categoria, desrespeitando o seu próprio estatuto (art. 24, “d”).

Mas fiquem atentos, porque os constantes ataques que estão sendo direcionados à AFBEPA têm uma única e simples razão: P-O-L-Í-T-I-C-A-G-E-M. O Sindicato tem receio que a AFBEPA ocupe o espaço que pertence à Entidade Sindical, justamente porque a AFBEPA é combativa e defensora intransigente dos Interesses, Direitos e Conquistas da categoria.

Ocorre que a AFBEPA tem seu próprio espaço conquistado com a categoria e não almeja retirar o espaço de ninguém. Entende, sim, que as ENTIDADES DE DEFESA DOS TRABALHADORES DEVERIAM ESTAR UNIDAS, o que infelizmente é inviável diante da postura do Sindicato que, ao se dedicar de corpo e alma para atacar a Associação por motivos políticos de grupo fortalece o inimigo comum, que é o grande beneficiado, o Banpará.

A AFBEPA tem certeza de que o dia em que o Sindicato realmente estiver mobilizado para defender os interesses da categoria nem tempo sobrará para fazer terrorismo político e ataques baratos à AFBEPA.

Enquanto isso, a AFBEPA continuará o seu trabalho sério junto à categoria, esperando não mais ter que vir neste espaço ocupar o leitor com esse tipo de picuinha.

A Direção da AFBEPA.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

O 6º Encontro Estadual de Bancárias e Bancários do Banpará ocorreu no último sábado

Joventina e Kátia representaram a AFBEPA no evento



No último sábado, 24 de maio, entidades sindicais reuniram-se na sede do SEEB-PA para participar do 6º Encontro Estadual de Bancárias e Bancários do Banpará. Entre as instituições, estiveram presentes representantes da AFBEPA, Sindicato dos bancários, Contraf, Fetec e delegados sindicais. O evento discutiu o resumo da Minuta de Reivindicações do Banpará 2014-2015, como também a elaboração de uma Carta-compromisso, de fortalecimento do Banco.

Para a AFBEPA, o 6º Encontro Estadual de Bancárias e Bancários do Banpará deve cobrar do Banco principalmente o desenvolvimento socioeconômico e a valorização das pessoas envolvidas neste processo. “O Banpará deve promover uma política que prime pelo desenvolvimento do Pará. O Banco deve ter compromisso com o funcionalismo e com o crescimento do próprio Banco, já que é o único estadual”, ressalta Kátia Furtado, Presidenta da AFBEPA.

Lamentavelmente, o 6º Encontro Estadual de Bancárias e Bancários do Banpará contou com uma fraquíssima participação dos trabalhadores. Para a AFBEPA, o funcionalismo deve participar de um evento que aborda questões importantes para as nossas vidas, principalmente quando aborda a Minuta de Reivindicações dos Funcionários do Banpará.

Os bancários presentes questionaram e debateram artigos apresentados na Minuta, além de compartilhar com as entidades sindicais alguns dos problemas enfrentados no dia a dia da categoria.

UNIDOS SOMOS FORTES!


A DIREÇÃO DA AFBEPA. 





  

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Presidente do Banpará responde ofício 007/2014


A AFBEPA, no mesmo dia que protocolou na Presidência do Banpará o ofício 007/2014, solicitando explicações ao funcionalismo e à sociedade, acerca do suposto nepotismo favorecendo funcionária possuidora de vínculo afetivo com o Presidente do Banco, ao final da tarde recebeu a resposta abaixo:


Em sua resposta, o Presidente expressa que é de discricionariedade da empresa indicar empregados para assumirem Funções de Confiança, ocorre que a nosso ver, nenhuma das funções constantes da Portaria 051/2014, são as referidas pela Diretora Administrativa, em mesas de negociação, as quais o Presidente não abriria mão do Poder de Indicar, que são as funções de Assessor, Superintendente e Gerente Geral.

A política de indicação, para o modelo de empresa moderna, NÃO é uma política que estimula o funcionalismo, que é o que está constantemente ocorrendo dentro do Banpará. Por isso, a AFBEPA solicita que após quase 7 (sete) anos de Comitê Trabalhista e longas Mesas de Negociação, que tratam sobre o tema Comissionamento e Descomissionamento, que o Banpará invista 100%, na realização de Seleções Internas, pois além de ser justo e democrático, cumpre princípios considerados caros para a Direção da AFBEPA e para a Nação Brasileira: ética, transparência e isonomia.

Em relação à questão central, motivo do nosso ofício, a AFBEPA agradece a resposta ao funcionalismo, como também esclarece que por estarmos sem acesso à Internet, somente hoje pudemos publicar a resposta acima.

Nós, os funcionários e funcionárias do Banpará, queremos também que a empresa nos trate com Consideração e Respeito, promovendo as Seleções Internas; pagando as Ajudas de Custos nas transferências por interesse da empresa; estabelecendo critérios para comissionamentos e descomissionamentos; devolvendo o nosso Ticket Extra; progredindo os mais de 400 funcionários, por merecimento, em janeiro/2015, dentre outros.

UNIDOS SOMOS FORTES!!!

A DIREÇÃO DA AFBEPA.

                                    

quarta-feira, 21 de maio de 2014

AFBEPA cobra explicação, sobre suposto nepotismo, do presidente do Banpará

Ofício foi protocolado no Banpará na manhã desta quarta-feira

Hoje, 21 de maio, pela manhã, a AFBEPA encaminhou um ofício (imagem acima) ao Presidente do Banpará cobrando explicação, ao funcionalismo e a sociedade, acerca da suposta prática de nepotismo dentro do Banco, empresa pertencente à Administração Pública Indireta do Estado do Pará.


Inclusive, recentemente, foram feitas denúncias do prédio da Matriz-Banpará, de que além de aumentar a comissão de Chefia de Sub-Núcleo, da suposta companheira do Presidente do Banco, foram realizadas, durante um final de semana, obras no 5º andar, para receber a pessoa que supostamente foi beneficiada com a prática do nepotismo, que reduziu as estruturas da Superintendência de Contabilidade-SUCON e Superintendência de Planejamento, Orçamento e Custos-SUPLO, ou seja, garantindo uma estrutura para o Núcleo de Marketing, que antes não havia.

O funcionalismo muito se indigna, justamente, com a ausência de Seleção Interna, para suprir as vagas criadas. Vale recordar, e esse é outro questionamento dos bancários, que em todos os Acordos e Compromissos feitos em Mesas de Negociação, foi informado pelo Banpará que as únicas funções que não se faria Concorrência Interna seriam as seguintes: Assessor, Superintendente e Gerente Geral

Portanto, não entendemos, não queremos e nem aceitamos indicações para funções que deveriam estar sendo supridas, por Seleção Interna: É JUSTO, É ÉTICO e É IGUALITÁRIO. Lembramos também que este fato não é um caso isolado. Já aconteceu há pouco tempo e está se repetindo.

Ressaltamos que o nosso blog está, como sempre esteve, a inteira disposição do Presidente do Banpará, para sua manifestação. Portanto, aguardamos essa explicação, de quem tem a competência para dá-la.

Clique AQUI para ler o ofício.

UNIDOS SOMOS FORTES! 

A DIREÇÃO DA AFBEPA.

Participe do 6º Encontro Estadual do Banpará



Vamos todos participar do 6º Encontro Estadual do Banpará que será no próximo sábado, 24 de maio, às 8H30, na sede do Sindicato dos Bancários. A AFBEPA estará presente e convoca todos os bancários e bancárias a comparecerem neste evento que é muito importante para a nossa categoria.
Sua presença é fundamental!


SERVIÇO:

6º Encontro Estadual do Banpará 
Dia: 24 de maio (sábado)
Hora: às 8H30
Local: Sede do Sindicato dos Bancários: Rua 28 de setembro, 1210 – Reduto (entre Doca e Quintino).

Unidos Somos Fortes!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

INSEGURANÇA BANCÁRIA: Unidade precisa, com URGÊNCIA, de uma PGDM

Fonte: Reprodução / Internet
Há mais de um ano uma unidade bancária do Banpará, na capital, pede a aquisição de uma Porta Giratória Detectora de Metal - PGDM. Já foi registrada, inclusive, uma ocorrência de assalto dentro do referido Posto de serviço que, por questões de segurança não será identificado nesta postagem.

Esta AFBEPA não cansará de pedir ao Banpará uma POLÍTICA DE SEGURANÇA EFETIVA. Será que o Banco está esperando mais uma ocorrência de assalto nesta unidade bancária para poder atender aos anseios de funcionários e clientes pela instalação da PGDM??? 

Já estamos fatigados de questionar onde estão investidos os 5 milhões que o Banpará diz injetar em segurança bancária. Enquanto não existir SEGURANÇA DE FATO, os bancários, os familiares destes e clientes estarão sujeitos as ações de criminosos. E vale lembrar: este não é um caso isolado. Há outras unidades, sobretudo no interior, com sérios problemas no quesito segurança. 

A Direção da AFBEPA.

   
    

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Vitória da AFBEPA na Ação Coletiva de Diferenças de Horas Extras

No dia 09/05/2014, foi publicada a sentença de embargos de declaração, que manteve integralmente a SENTENÇA FAVORÁVEL À AFBEPA condenando o Banpará ao pagamento de DIFERENÇAS DE HORAS EXTRAS, em razão da utilização do divisor errado. 

A decisão beneficia TODOS OS EMPREGADOS ASSOCIADOS DA AFBEPA, que tenham recebidos horas extras em contracheque desde 20/11/2008 e que poderão se habilitar na Ação com a AFBEPA, para receber as diferenças das horas extras que foram pagas a menor.

Curiosamente, nesse processo, o Sindicato, que volta e meia questiona qual seria o “papel da AFBEPA” na defesa dos interesses da categoria, além de ajuizar idêntica Ação SOMENTE APÓS  a ação da AFBEPA ter sido ajuizada (o que não é novidade!), ainda FALTOU NA DATA DA AUDIÊNCIA designada  pelo Juiz da 4ª Vara do Trabalho, o que gerou o arquivamento da ação do Sindicato.

Não fosse a AFBEPA ESTAR FIRME NA DEFESA DOS DIREITOS DA CATEGORIA, mais uma vez os direitos da categoria ficariam prejudicados.


Essa foi uma das muitas vitórias que ainda virão!

E agora, será o que o Sindicato já sabe qual é o papel da AFBEPA?


UNIDOS SOMOS FORTES!



Clique AQUI pra ler a Ata de Audiência.
** Grifos na Ata de Audiência são da AFBEPA

A DIREÇÃO DA AFBEPA.



terça-feira, 13 de maio de 2014

AFBEPA participa de Integração de Novos Bancários

Zenaide e Antônio participaram da Integração dos novos bancários

Nesta terça-feira, 13 de maio, a AFBEPA, representada pelos diretores Zenaide Oliveira e Antônio Bechara, se fez presente na Integração e Capacitação de Novos Bancários, que aconteceu no Centro de Treinamento do Banpará, situado no 2º andar do prédio da Agência Nazaré. 

"Quem está na linha de frente da luta da AFBEPA pelos direitos trabalhistas dos bancários é a nossa Presidente Kátia Furtado", ressaltou a Tesoureira Zenaide Oliveira que também explicou os passos de como se associar na entidade. 

"A AFBEPA é comprometida com o funcionalismo, não levantamos nenhuma bandeira partidária. A nossa associação possui um papel fundamental nas mesas de negociação no período da campanha salarial", lembrou Antônio Bechara, um dos diretores da entidade.

Antônio Bechara também falou aos novos bancários sobre as vantagens de se associar, destacando os serviços prestados pelas assessorias jurídicas, o plano odontológico e os demais convênios oferecidos pela associação. Cada bancário e bancária recebeu um envelope contendo um kit com informativos dos nossos convênios e a ficha afiliação junto à AFBEPA.  

segunda-feira, 12 de maio de 2014

TRT reconhece ilegalidade do Banpará e decide em favor de funcionários

Três bancários do Banpará passaram por uma situação comum: sofreram perdas salariais, em função de Transferência Eletrônica-TED fraudada e danos morais, injustamente. Mas o setor jurídico da AFBEPA reverteu o quadro: os funcionários tiveram os descontos salariais devolvidos, foram indenizados por dano moral; como também foram anuladas as advertências trabalhistas indevidas. Por decisão judicial, em segunda instância, do Tribunal Regional do Trabalho de Belém.

A Justiça foi feita!

Os próprios magistrados, em suas fundamentações jurídicas, observaram o acúmulo de função e também a postura IMORAL do Banco no Pacto Laboral ao culpar os funcionários por falhas do próprio Banco, como diz a fala de um dos magistrados abaixo: 

"ASSIM, TENDO EM VISTA QUE NÃO VISLUMBRO QUALQUER CULPABILIDADE NA AÇÃO DA RECLAMANTE, POIS, NÃO PODEMOS CULPÁ-LA PELA OMISSÃO DO BANCO RECLAMADO EM PROPORCIONAR MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO A SEUS FUNCIONÁRIOS, NEM, MUITO MENOS, MÁ-FÉ OU DOLO, DOU PROVIMENTO AO APELO DA RECLAMANTE PARA ANULAR O DESPACHO DO PAD QUE APLICOU A RECLAMANTE A PENA DE CENSURA E RESSARCIMENTO AO RECLAMADO DE 50% DO VALOR DE R$ XXX, ISENTANDO A RECLAMANTE DE QUALQUER RESPONSABILIDADE DE COBRIR O TED Nº XXXX. (...)".

"A sentença de 1º grau julgou totalmente improcedente os pedidos dos funcionários. Sendo assim, foi interposto Recurso Ordinário para o Tribunal pleiteando a reforma da sentença e o deferimento de todos os pedidos. Na data de julgamento do recurso, sustentamos oralmente as razões do recurso perante a 3ª Turma do TRT da 8ª Região e conseguimos a reforma total da sentença e consequentemente o deferimento de todos os pedido formulados, tendo o Tribunal decidido nos seguintes termos:

'NO MÉRITO, DOU-LHE PARCIAL PROVIMENTO PARA I) ANULAR A PENALIDADE ADMINISTRATIVA INFLIGIDA AO RECLAMANTE, ISENTANDO-O DA RESPONSABILIDADE DE RESSARCIR O BANCO PELOS VALORES PERDIDOS NA FRAUDE II) DETERMINAR A DEVOLUÇÃO DOS VALORES JÁ DESCONTADOS OU QUE VIEREM A SER DESCONTADOS A TÍTULO DE “AMORTIZAÇÃO PROC. COMITÊ DISCIPLINAR” E, III) CONDENAR A RECLAMADA AO PAGAMENTO DE INDENIZAÇÃO COMPENSATÓRIA POR DANOS MORAIS NO VALOR DE R$ XXXX (...)' . 

"Inconformado, o Banpará interpôs recurso de revista para o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e nós apresentaremos contrarrazões, daí em diante devemos aguardar o julgamento do referido recurso", afirma a advogada que está responsável pelo caso dos funcionários.

Tudo indica que o Banpará não conseguirá reverter o quadro em seu favor, tendo em vista que os próprios juízes reconhecem que os bancários são vítimas e não podem ser culpados e penalizados por normas que não são seguidas pelo próprio Banco, como empregador,assim como a carga de trabalho que os bancários são submetidos pela falta de mais funcionários.

A Direção da AFBEPA.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

A AFBEPA deseja à todas as bancárias um Feliz Dia das Mães

Imagem: reprodução da internet

Gerar uma vida é um presente de Deus. E não basta gerar, tem que criar, educar, acompanhar o crescimento dos filhos, dar exemplo. Mãe ensina os filhos para a vida. Ser Mãe é doar-se. 

Ser mãe é dedicar boa parte da sua vida para outro. Ser mãe é querer estar presente na vida dos filhos, mesmo quando eles, em tese, não precisem mais. 

Ser mãe é torcer pela felicidade dos filhos e ser mais incisiva quando necessário. É escutar e dar a palavra certa, no momento certo.  

Ser mãe é uma dádiva. A AFBEPA espera que essas mulheres não sejam lembradas e valorizadas apenas uma vez por ano, mas sim TODOS OS DIAS. Porque Mãe é mãe durante a vida toda e não apenas no segundo domingo de maio.


A AFBEPA deseja à todos os bancários um Feliz Dia das Mães!

A DIREÇÃO DA AFBEPA.   

quinta-feira, 8 de maio de 2014

AVISO: Expediente da AFBEPA encerrará mais cedo hoje


A AFBEPA informa que por causa dos transtornos gerados pela greve dos Rodoviários, deflagrada na manhã desta quinta-feira,8 de maio, o expediente de hoje será até as 17H00. 

A DIREÇÃO DA AFBEPA.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

AFBEPA dá boas vindas à novos bancários

Imagem inline 3
Diretora Zenaide Oliveira representou a AFBEPA na Integração dos novos bancários

No início da tarde desta terça-feira, 6 de maio, a AFBEPA participou da Integração e Capacitação de Novos Bancários, que aconteceu no Centro de Treinamento do Banpará, situado no 2º andar do prédio da Agência Nazaré. A bancária Zenaide Oliveira, integrante da diretoria da associação, representou a AFBEPA e falou sobre o trabalho da entidade. 

"A AFBEPA é uma associação que luta pelos direitos trabalhistas dos bancários. Temos uma equipe pronta para atender vocês. Nosso setor jurídico também está à disposição. Então, qualquer problema, podem nos acionar", salientou a diretora aos novos bancários.

Alguns bancários demonstraram interesse em se filiar e tiraram as suas dúvidas sobre a forma de se associar na AFBEPA. Cada um recebeu um envelope contendo um kit com informativos dos nossos convênios e a ficha afiliação junto à AFBEPA.  




terça-feira, 6 de maio de 2014

Brindes dos Dias das Mães já estão sendo distribuídos

                      

Obrigado Senhor, pela mãe que o senhor me deu, por todas as Mães do mundo, pelas mães-titias, pelas mães-vovós, pelas madrastas-mães, pelas professoras-mães, pelos pais-mães, pela mãe que embala ao colo o filho que não é seu, pela saudade querida da mãe que já partiu, pelo amor latente que desperta em todas as mulheres, ao sentir desabrochar em si uma nova vida, pelo amor, maravilhoso amor, que une mães e filhos lhe agradecemos Senhor!

No mês em que comemoramos o Dia das Mães, a AFBEPA vem carinhosamente homenagear todas as bancárias associadas com um singelo mimo.
Os brindes foram enviados para o interior na semana passada, dia 30 de abril, aqui na capital iniciamos a entrega nesta terça-feira, 6 de maio.

A AFBEPA deseja a todas as Mães do mundo Um FELIZ dia das MÃES!

segunda-feira, 5 de maio de 2014

INSEGURANÇA BANCÁRIA: E se fosse mesmo tentativa de assalto?

Imagem/Reprodução da internet 

Funcionários e clientes de uma agência do Banpará passaram por um grande susto na última sexta-feira de abril. Um policial à paisana que estava armado, e também é cliente do Banco, sacou uma arma contra o segurança da unidade bancária que na ocasião estava lotada, o que causou um alvoroço. 

O PM se estressou com a demora no atendimento e começou a gritar e chutar tudo o que estava em sua frente. "Quero receber o meu dinheiro! Já estou há mais de uma hora na fila", esbravejava o militar. O segurança da agência se aproximou do homem que sacou a arma e gritou: "não se aproxima se não eu atiro". A confusão se instalou. Clientes e bancários se jogaram no chão acreditando ser uma tentativa de assalto.

A situação foi contornada. Outros policiais, também à paisana, estavam presentes na agência e conseguiram falar com o PM exaltado. A polícia foi acionada. Alguns funcionários e o próprio militar foram para a delegacia. O que chama a nossa atenção em toda essa confusão são dois pontos: Primeiro: o medo da INSEGURANÇA que se instalou entre bancários e clientes do Banco. Segundo: as formas de prevenção contra assaltos em agências do Banpará. 

Fontes revelaram que o botão do pânico da referida agência foi acionado, mas a empresa que presta serviço de segurança particular não deu retorno imediato. Fica o questionamento: e se fosse mesmo tentativa de assalto? 

"Durante a confusão, que pensei ser uma tentativa de assalto, procurei o meu celular para chamar a polícia. Não consegui encontrar. Eu e mais dois colegas acionamos o botão do pânico, mas não funcionaram. Já informamos ao Banpará sobre esse problema. Já fizemos testes e o botão do pânico não está dando resposta. Se fosse assalto mesmo como nós iríamos ficar? Esquecidos? Estamos trabalhando num clima de medo", revelou uma das fontes à AFBEPA.

Esta AFBEPA vem cobrando insistentemente do Banpará mais SEGURANÇA. Estamos sendo alarmados com ocorrências de assaltos, um após o outro, nas unidades bancárias e, sobretudo, dentro das casas dos próprios funcionários do Banco. Chega de viver e trabalhar com medo. Precisamos de uma nova política de segurança. A situação já está fora do controle.


DIREÇÃO DO BANPARÁ, CADÊ OS 5 MILHÕES INVESTIDOS EM SEGURANÇA?!

A VIDA DO BANCÁRIO VALE MAIS!!!

A DIREÇÃO DA AFBEPA.
  

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Unidades bancárias do Banpará do Sul do Pará precisam de mais funcionários urgente!

Foto: Reprodução da internet

Stress, acúmulo de trabalho, sobrejornada, clientes insatisfeitos, agências lotadas, essas e outras são as graves consequências de quando uma unidade bancária está com déficit de funcionários. Infelizmente essa é a realidade de muitas agências do Banpará no interior do Estado. Na capital a situação também não é diferente. 

A AFBEPA espera que o Banpará atenda com celeridade as solicitações de reestruturação de pessoal das unidades bancárias do Sul do Pará. Além disso, também ficamos sabendo que existem agências com solicitações, ainda não atendidas pelo Banpará, de melhores condições de equipamentos como a troca do sistema interno de TV de segurança por exemplo e a instalação de portas de segurança na entrada das unidades bancárias.

Mesmo com as dificuldades, bancários fazem o possível e o impossível para atender os clientes do Banpará com qualidade e presteza. "Nós temos metas a serem alcançadas e fazemos o possível para atingi-las, mas precisamos de estrutura adequada, de mais funcionários", lembra uma bancária que precisa de mais um caixa para atender a demanda de uma agência localizada no interior do Pará.

Ainda falta a Direção do Banpará fazer a sua parte.


UNIDOS SOMOS FORTES!

A DIREÇÃO DA AFBEPA. 


quinta-feira, 1 de maio de 2014

A AFBEPA não funcionará neste feriado


Neste feriado do Dia do Trabalhador, 1º de maio, a AFBEPA não funcionará. Reabriremos amanhã, sexta-feira, dia 2 de maio, às 9 horas. A AFBEPA deseja um excelente feriado a todos os funcionários do Banpará.