sábado, 29 de junho de 2013

DEFESA DOS BANCÁRIOS - AFBEPA EM PARCERIA COM ESCRITÓRIO DO DR. TUMA

Com grande alegria, divulgamos aos nossos associados que a AFBEPA firmou mais um contrato de prestação de serviços na área jurídica, dessa vez com o Escritório Tuma&Moraes Advogados Associados, cujo condutor é o advogado Dr. Márcio Tuma, ex-bancário e com forte atuação em defesa dos direitos dos bancários nos estados do Pará, Amapá e Amazonas, tendo atuado em processos que resultaram na aprovação de 8 das 20 súmulas vigentes no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região.

A parceria se destina ao ajuizamento de ações trabalhistas de fundo individual e coletivo com condições comerciais mais vantajosas em relação às oferecidas aos demais bancários, bem como se destina à defesa dos nossos associados em procedimentos administrativo-disciplinares promovidos pelo banco.

O Escritório também atenderá, sem qualquer ônus e mediante agendamento prévio, os associados da AFBEPA para consulta e orientação na área trabalhista e nos demais campos do direito. Os agendamentos poderão ser realizados via AFBEPA, pelo telefone (91) 3222-5746 ou pelo e-mail atendimento@tumaemoraes.com.br.

O Escritório de Advocacia funciona na Trav. Alm. Wandenkolk nº. 811, Ed. Village Millenium, Salas 901/903/905, Nazaré, Belém-PA, entre Rua João Balbi e Av. Gov. José Malcher.


A Diretoria.





*

quinta-feira, 27 de junho de 2013

MAIS UMA INJUSTIÇA CONTRA UM FUNCIONÁRIO, PASSANDO POR CIMA DO COMITÊ DISCIPLINAR

Temos postado casos judiciais, sem citação de nomes e outros dados que possam comprometer ou expor colegas, quando esses casos servem como objeto de análise da forma injusta como as pessoas humanas são tratadas. São casos exemplares e não isolados, são situações que vão confirmando a adoção de uma regra por parte de quem tem o poder de mando, e que contraria, quase sempre, as instâncias dentro do Banco. Certamente, muitos colegas se enxergarão em mais esse lamentável caso de injustiça cometida contra um funcionário.

O CASO - o colega foi alçado à função de gerente de uma agência sem a devida qualificação, antes ou durante o exercício da função e, mesmo assim, seu procedimento foi correto diante de problemas que ele próprio denunciou aos superiores. Tanto que, quando submetido a PAD – Processo Administrativo Disciplinar, a decisão unânime foi pelo arquivamento do processo, até porque, ficou claríssimo que o Banco errou ao não qualificar, em momento algum, o funcionário para o exercício do cargo de alta responsabilidade que passou a exercer. Mesmo assim, o colega foi afastado e punido.

Em depoimento, o colega revelou a enorme decepção, diante da injustiça que está sendo cometida, e está firme para lutar por justiça, para que seja reformada a decisão superior que lhe impôs penalidade de advertência, e que seja considerada a decisão unânime do Comitê Disciplinar. Confiram alguns trechos.

“​Ao longo de minha carreira sempre procurei zelar os preceitos básicos desta instituição e seus princípios éticos e profissionais, sem jamais abrir mão da dedicação e esforço para com os objetivos traçados pela empresa e exigidos de mim. ​​Por justamente ter plena noção de que os desafios mais elevados dentro do banco exigiam conhecimento e preparo mais apurado, foi que em Maio de 2012 me inscrevi para a vaga de tesoureiro, função aspirada por mim naquela ocasião.

​Entretanto, para a minha surpresa, fui indicado ao exercício da função de gerente geral da agência, mesmo sem qualquer experiência ou treinamento específico ao desempenho da atividade. Nunca me fora oferecido curso ou qualquer outro tipo de preparação para exercer meu mister com a excelência que deveria. Todavia, ainda assim, mesmo sem o devido treinamento, fiz o máximo possível no exercício da gerência, sempre trabalhando de forma dedicada e honesta, tratando bem os clientes e estimulando a equipe no atingimento das metas.

​​Na função de Gerente Geral, detectei a ocorrência de irregularidades cometidas por outro Gerente da agência e realizei a imediata denúncia à Auditoria do banco, procedimento correto em tal situação. ​Entretanto, após alguns dias, recebi a notificação formal de meu afastamento relatando a minha responsabilidade por várias irregularidades, as quais, na realidade, foram objeto da denúncia por mim formalizada à Auditoria.


Para mim, a​ própria abertura do processo administrativo disciplinar por este banco consiste em penalidade à minha pessoa, visto que jamais, em minha vida profissional, me submeti a este tipo de procedimento. A abertura do procedimento administrativo expõe a minha imagem diante de meus pares, consiste em humilhação desproporcional e irrazoável, visto que jamais atuei em afronta aos preceitos e normas desta instituição. Se por acaso cometi um erro - além das circunstâncias delineadas pela falta de preparo adequado ao cargo - sustento que o próprio processo administrativo já possui o caráter pedagógico adequado a eventual penalidade, sendo, por isso, desnecessária a imposição da pena de advertência.”

Por isso lutamos! Por justiça, respeito, dignidade, humanização e valorização efetivas! Por isso temos que nos organizar e crescer nossa consciência e mobilização! Não esperemos leite de pedra! É com luta, coragem, firmeza e unidade verdadeira que conquistamos cada mínimo avanço em nossas vidas!

Por isso afirmamos, colegas:

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!






*

quarta-feira, 26 de junho de 2013

CONVITE - ALMOÇO DA AFBEPA DIA 29, SÁBADO, A PARTIR DAS 11h, NA ASBEP.

A AFBEPA promoverá uma festa de agradecimento aos colegas que estão saindo no PDV, e de boas vindas aos bancários e bancárias que estão chegando no Banpará; será no próximo Sábado, 29 de junho, a partir das 11h, na ASBEP.

É uma singela forma que a Associação encontrou de agradecer às pessoas que estão aderindo ao PDV e que, por mais de vinte anos, serviram à população paraense, acreditando que o Banpará se diferencia dos outros Bancos por ser do nosso Estado, e ter o dever de investir na melhoria da qualidade de vida da nossa gente. 

Foram muitos anos dedicados ao Banpará, quando vivenciamos a tentativa do BACEN, em 1987, de extinguir o Banco, e durante a reestruturação financeira na década de 90 onde também foram extintos muitos postos de trabalho;  em 1998, outro momento difícil, tivemos que abdicar de 20% dos nossos salários por onze meses para manter o Banpará forte e público. Enfim, foram muitas felicidades e sacrifícios em prol de uma crença maior! O mínimo que podemos dizer é: MUITO OBRIGADO, em nome de toda a família Banpará!

Também vamos abraçar os colegas que chegam; desejando sempre que venham somar em nosso esforço de construir  um Banpará humano, socialmente responsável e que valorize às vidas dos funcionários e clientes. A nossa festa será regada por uma gostosa churrascada, acompanhada de um delicioso feijão, e em homenagem a São Pedro será servido, também, um mingau de milho. Como não poderia deixar de ser, quem vai nos encantar  com seu canto maravilhoso será uma banda de forró. Haverá um sorteio de brindes para os PDVistas. Aguardamos a todos com alegria e amor!

TODOS CONVIDADOS
ALMOÇO. SÁBADO. 29 DE JUNHO. A PARTIR DAS 11H. NA ASBEP.       

LUTANDO COM UNIÃO, FORÇA E ALEGRIA!
Lutamos porque nada se conquista sem luta, dedicação, empenho e firmeza! É preciso muita coragem pra romper as barreiras e construir, passo a passo, um novo mundo onde haja mais justiça, respeito e dignidade para todos! Em toda a história da humanidade, os direitos só foram conquistados, porque houve aqueles e aquelas que se insubordinaram, manifestaram, não baixaram a cabeça e souberam lutar, organizados e unidos, por direitos que se tornaram leis. Por isso nós, da AFBEPA, lutamos, com lucidez, responsabilidade, firmeza e muita coragem! Não teríamos nosso PCS hoje, se não fosse nossa luta! Não teríamos sequer nosso ACT, que o Banco não queria ratificar ano passado, mantendo direitos como a Licença Prêmio, sonhada por bancários de outros Bancos, e conquistada no Banpará com a nossa luta! Vale a pena lutar, porque precisamos defender nosso direito de vida DIGNA!

Está se aproximando a hora de ficarmos mais juntos! Está chegando nossa Campanha Salarial e temos que nos manter unidos, coesos, porque as posturas da direção do Banpará nos levam a crer que, novamente, esse ano, haverá endurecimento e intransigência. O Banco não reúne com as entidades e, quando reúne, só debate a pauta que lhe interessa. Não avança em nada na pauta que nos interessa, nas questões que precisamos ter atendidas, que dizem respeito às nossas vidas, à nossa saúde, à nossa segurança. Por isso, mobilização!

CAMPANHA SALARIAL 2013/2014
No sábado, 22/06, ocorreu a Conferência dos Bancários do Pará, que contou com cerca de 80 participantes. Foram aprovados: a reivindicação de índice de reajuste salarial a taxa de inflação do período mais 10% de ganho real; Piso de ingresso do Dieese; Greve geral contra o Projeto de Lei 4330 da Terceirização; recuperação das perdas dos governos FHC, dentre outras reivindicações.

Houve bancários que defenderam, para o índice de reajuste, a inflação mais a média da taxa de rentabilidade dos cinco maiores bancos do País, o que significaria um aumento real maior, mais justo, porque somos uma categoria que vem perdendo renda e qualidade de vida nos últimos 25 anos, período em que também se diversificou o trabalho bancário, novos equipamentos e produtos foram adicionados à nossa rotina, como a venda de balcão, por exemplo. É fato: somos mais explorados a cada ano, mas nossa renda diminuiu, enquanto os lucros dos Bancos cresceram exorbitantemente! Trabalhamos mais e ganhamos menos do que os bancários ganhavam na década de 80.

Nós, do Banpará, temos o menor salário do Brasil, considerando os Bancos públicos. Por isso, sempre reivindicamos, e merecemos um percentual acima da Fenaban. Afinal, trabalhamos em um Banco que vem sendo referência em crescimento no país inteiro, que seja também em relação aos nossos salários.

RETORNO DO TÍQUETE É JUSTA APROPRIAÇÃO DA NOSSA PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS DO BANPARÁ!

Na Convenção Nacional há limitadores para o pagamento da PLR que fazem com que os Bancos não paguem integralmente o índice acordado. No caso do Banpará, a partir de 2008, além de cumprir com a regra básica e a parcela adicional, o Banco vinha distribuindo o que sobrava da PLR em forma de abono ou tíquete extra. Ou seja, nunca se tratou de uma benesse, mas de justiça, da apropriação do valor do nosso trabalho! Ocorre que, ano passado, em uma postura de completa intransigência, a direção do Banpará nos sequestrou o tíquete extra, a nossa sobra da PLR. Jamais podemos esquecer e abrir mão desse direito! Por isso, por uma questão de justiça e de apropriação devida da nossa participação nos lucros e resultados, o retorno do nosso tíquete extra está na pauta, como uma das prioridades!

QUEREMOS: MANTER TODAS AS NOSSAS CONQUISTAS, O CUMPRIMENTO DO NOSSO ACT, E VAMOS LUTAR POR:

1) PCS - EFETIVAÇÃO IMEDIATA. Efetivação da Promoção por antiguidade, para todos, retroativa a janeiro/2013, e promoção por merecimento em janeiro/2014, a partir decritérios humanizados e que valorizem, de fato, os trabalhadores e trabalhadoras, construídos no âmbito do GT/PCS; contratação da empresa especializada; cumprimento, por parte do Banpará, das condições de funcionamento do GT/PCS;

2) PAGAMENTO DO TÍQUETE EXTRA. Garantia de direito à integralidade da participação nos lucros e resultados, um direito já adquirido pelo tempo em que foi pago;

3) PONTO ELETRÔNICO. IMPLANTAÇÃO IMEDIATA, DE ACORDO COM DECISÃO JUDICIAL E CUMPRIMENTO DO ACT. O Banpará já teve muitos anos, desde 2007, para implantar o Ponto Eletrônico e nunca o fez porque prefere que continuemos a realizar o trabalho gratuito, e as horas extras sem o devido pagamento;

4) FIM DA PRESSÃO POR METAS. Fim das metas abusivas, combate efetivo ao assédio moral, fim da sobrecarga e dos acúmulos e desvios de funções, respeito às vidas humanas, melhores e mais dignas condições de trabalho, de saúde e segurança;

5) REAJUSTES ACIMA DOS ÍNDICES DA FENABAN. Ano passado, o Banco escreveu, em uma ata do Consad, que havia provisionado 13% de reajuste para os funcionários em 2012, por isso aprovamos no Encontro do Banpará o pedido de 15% de reajuste. Porém, a Contraf e o Sindicato rebaixaram nosso pedido a nível nacional e aprovaram o pedido de apenas 10,2% de reajuste, e ainda queriam negociar apenas as cláusulas sociais. Precisamos e merecemos de mais valorização efetiva, de reajustes que nos coloquem, ao menos, no patamar dos salários dos Bancos públicos.

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!
UNIDOS SOMOS FORTES!








*

E HOJE TEM PASSEATA E ATO DE NOVO! VIVA AS VITÓRIAS DO POVO, E AINDA HÁ MUITO MAIS A VENCER!





Resultados das lutas populares nas ruas:

1) A PEC 37, que pretendia retirar poderes de investigação do Ministério Público foi amplamente rejeitada na votação de ontem,25, na Câmara dos Deputados;

2) Os deputados também aprovaram, ontem, 75% dos royalties do Petróleo pra educação e 25% pra saúde, cujos serviços são municipalizados e precisam de fiscalização do uso dessas verbas;

3) A Câmara também derrubou, no dia 24 de junho, o repasse que seria feito pelo governo federal, em torno de R$ 43 milhões do dinheiro público, para custear programas dirigidos à Copa em 2014;

4) Em muitas cidades do Brasil os prefeitos baixaram as tarifas dos transportes públicos e, em Belém, o prefeito anunciou que não haverá aumento das tarifas e que ainda podem baixar, dependendo do índice de desoneração dos preços dos combustíveis.

MAIS JUSTAS REIVINDICAÇÕES
Redução da Tarifa em Belém, Passe Livre para estudantes, Conclusão do BRT, melhorias na saúde e educação, Pare Belo Monte, Respeito aos direitos dos povos indígenas, Xingu Vivo e Tapajós Vivo, Fora Feliciano e Fora Renan Calheiros, dentre outros temas de importância local e nacional.

Para quem acha que não vale a pena lutar, está vendo, na prática, como se melhora um país a partir da legítima e decisiva pressão popular. Os poderes públicos, se não são incomodados, decidem apenas em função dos interesses privados. 

O que garante avanços sociais, e sempre foi assim, historicamente, é o povo nas ruas, reivindicando, exigindo direitos, justiça, qualidade de vida.

O movimento sindical precisa pautar a adesão do Brasil à Convenção 158 da OIT, agora! Assim como a redução de jornada, sem redução de salário

E nós, do Banpará, iremos, logo mais, enfrentar os poderes constituídos exigindo, também, nossos direitos, qualidade de vida e de trabalho, saúde, segurança, a efetivação do nosso PCS, o retorno do nosso Tíquete Extra, a imediata implantação do Ponto Eletrônico, o devido pagamento de todas as horas extras, o fim da pressão por metas, o fim das metas abusivas, o fim do assédio moral, da sobrejornada, dos desvios de funções e o fim desse processo de desregulamentação que assola o Banpará hoje.

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!







*

segunda-feira, 24 de junho de 2013

MOVIMENTO BELÉM LIVRE: HOJE TEM PASSEATA DE NOVO!


Hoje, os movimentos sociais, estudantes, trabalhadores, concursados, aposentados, todos se reúnem novamente em passeata para reivindicar uma cidade, um Estado e um país mais justo e igualitário, que inclua a todos, onde as políticas e o dinheiro públicos sejam usados em benefício de quem mais precisa, os pobres, e não de quem já possui tanto, os ricos.

Junte-se! Participe! Temos o direito de protestar e reivindicar! Logo mais chega a nossa vez, bancários e bancárias do Banpará! Estamos às vésperas de nossa Campanha Salarial e temos a obrigação moral de lutar, unidos e fortes, pelos nossos direitos, interesses e conquistas! Nada vem de graça! Tudo foi conquistado com muita luta e assim será, porque estamos falando de luta de classes!

LUTA BANCÁRIO E BANCÁRIA!
A propósito, estamos aguardando notícias sobre a Conferência Estadual dos Bancários realizada sábado, 22, no Hotel Regente. Qual o índice aprovado? Será que contemplaram nossas necessidades ou, mais uma vez, vão observar só a realidade do centro-sul do país e esquecer que existem mais de 1.400 bancários e suas famílias que tem, hoje, os salários abaixo da média, considerando os Banco públicos?

Relembrando: ano passado, o Banco afirmou, em ata do Consad, que havia provisionado 13% de reajuste salarial, e por isso aprovamos, no Encontro do Banpará e na Conferência Estadual, o pedido de reajuste de 15%. Mas lá em São Paulo, o maior grupo político-partidário propôs o pedido de apenas 10,2%, o que foi aprovado na plenária completamente dominada por esse grupo. Ao mesmo tempo, aqui no Pará, os acordos do Sindicato com o Banco já definiam que só iriam debater na mesa de negociação as cláusulas sociais, e quanto ao financeiro, seria o que viesse da mesa da Fenaban. Claro que o Banco ficou muito a vontade para ignorar nossa realidade e muito menos considerar seu compromisso estabelecido em ata de 13% de reajuste. Perdemos nisso e no tíquete. No mais, mantivemos nosso ACT e nossas conquistas, o que também estava sob risco, porque o Banco só ratificou o nosso Acordo após o primeiro dia de greve.

Vamos ver o que a Conferência decidiu e comentar, assim que o Sindicato postar o relatório do evento de sábado, 22.

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!











*

quinta-feira, 20 de junho de 2013

ACORDAMOS! E HOJE TEM PASSEATA, 13h, NO CAN! TODOS E TODAS LÁ!


Hoje, as 13h, no CAN, começa a concentração de mais uma bela e importante passeata do movimento "Belém Livre". A AFBEPA apoia inteiramente esse movimento por entender que as grandes mudanças sociais, inclusive para as classes trabalhadoras, só acontecem mediante pressão real de quem está sendo explorado, subjugado, injustiçado.

Não aguentamos mais perder direitos e continuar impulsionando o crescimento de um país para poucos, para que os capitalistas, o agronegócio, as madeireiras, as mineradoras, as empreiteiras, os banqueiros, os corruptos continuem sempre ganhando cada vez mais enquanto nossos bolsos são corroídos pelos salários cada vez mais apertados. Estamos todos endividados, enquanto uma pequena parcela da sociedade, de ricos, esbanja suas vidas abastadas. Não dá mais, Brasil! Chega de mentiras, de propagandas enganosas, de políticas ilusórias!

Tá pintando uma greve geral aí!

O texto abaixo, de autoria do jornalista Luiz Carlos Azenha, no site Viomundo, explicita claramente os profundos e reais motivos que tem levado pessoas de todas as idades e classes sociais às ruas, caminhando por um Brasil, um Pará e uma Belém mais justa, digna e humana. Leiam com a alma.

E vamos, todos e todas, caminhar de mãos dadas, por nossa vida, por nosso país, por nosso estado e nossa Belém!

"O tempo de explicações passou. Não há mais espaço para responder sobre os motivos dos protestos que se espalham pelo país. Não há mais tempo para tentar esclarecer que alguns centavos não são apenas alguns centavos, que o aumento de passagens é mais que o aumento de passagens, que árvores não são apenas árvores e que um tatu de plástico, embora seja apenas um tatu de plástico, é bem mais do que um tatu de plástico.

Passou a época em que fazia sentido dizer que um vidro quebrado não é obra de milhares ao mesmo tempo, e não cabe mais argumentar para explicar que a violência da Brigada, por vir diretamente do Estado, é sempre mais grave, mais preocupante e terrível do que milhares eventuais atos de vandalismo, baderna, desordem e outros chavões do tipo. Não é mais tempo dessas coisas. Simplesmente porque o tempo acabou.

Acredito que, a partir de agora, quem ainda não tinha entendido vai ter que dar um jeito de entender. Vai ter que olhar as fotos de jornalistas com olhos estourados por bala de borracha ou levando spray de pimenta no rosto em pleno exercício profissional e formar uma opinião sobre isso. Vai ter que olhar imagens de pessoas de joelhos, mãos para cima, levando bala de borracha e bomba de gás e pensar um pouco a respeito.

Vai ter que levar em conta o fato de que foram presas pessoas portando vinagre em SP, que invadiram um restaurante em Porto Alegre para prender quem estava fugindo da confusão criada pela própria polícia, que crianças e idosos foram agredidos em nome da suposta proteção de seus próprios interesses.

Vai ter que olhar mais para as redes sociais e menos para a televisão e para os jornais. Vai precisar olhar para as pessoas e enxergar nelas outras pessoas, ouvir o que elas dizem, entender o que elas sentem. Vai precisar compreender que é cada vez mais gente na rua, cada vez mais indignação, e que o discurso político está cada vez mais desligado do que as pessoas querem, necessitam, exigem. E vai ter que entender tudo isso por si só, a essa altura. Sozinho.

Porque não dá mais tempo de explicar. A onda está chegando, ganhando volume, e não vai fazer uma pausa para que algumas pessoas tenham tempo de entendê-la. Ela vai fazer exatamente o que ondas costumam fazer – levar tudo e todos de arrasto.

É um vagalhão que encontrou no aumento de passagens uma materialização mais evidente, mas que diz respeito a inúmeras outras coisas – desde índios sendo mortos em nome de latifúndios até jovens apanhando numa área pública em nome de um totem de borracha.

Dá testemunho de um desencanto profundo, genuíno e potencialmente violento de boa parte da população com o discurso do Estado, completamente desconectado da realidade que as pessoas vivem diariamente, de seus anseios e necessidades.

Porque o Estado é cada vez mais um serviçal do poder financeiro, e cada vez esmaga mais as pessoas para atender interesses cada vez mais irreais e desumanos. E cada vez menos gente consegue suportar.
É uma crise de modelo e de representação, e ela não vai tomar conta do Brasil: ela já tomou.

Do mundo todo, na verdade. E nada adiantará gritar contra os vândalos, ridicularizar suas demandas ou diminuir sua relevância. Porque a onda ganhou corpo, e o discurso foi além das próprias limitações: agora, a indignação alimenta a si mesma.

E é por isso que o Estado é cada vez mais brutal e que a reação é cada vez mais barulhenta, volumosa e não raro violenta: porque não há, nessa conjuntura, quem possa recuar. A coisa vai crescer até onde puder, e então explodirá. E a nós não cabe senão assistir ou tomar, de alguma forma, parte nisso.

Não é mais tempo de explicar nada.

É o melhor dos tempos, é o pior dos tempos, e são todos de uma vez só."

Fonte: Viomundo. Movimento Belém Livre.


NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!








*

QUE TAL DIRECIONAR PARTE DOS DIVIDENDOS DO ACIONISTA MAJORITÁRIO PARA O BANPARÁ?

Comentário na caixa de mensagens, bastante instigador, que trouxemos à ribalta do Blog. Confiram:


"Anonimo disse:
Na verdade as agência todas estão sem manutenção. Suas dependências estão sujas e as pinturas em péssimo estado. As sinalizações necessitam de uma urgente atenção.Onde está essa diretoria que não enxerga? O mercado é altamente competitivo e nossas lojas necessitam estar à altura de nossos concorrentes e em condições de conforto para os funcionários e principalmente nossos clientes. Que tal direcionar uma parte dos dividendos do acionista majoritário para custear as despesas?"

O colega está coberto de razão. Precisamos de ambientes mais humanizados e humanizantes, para que o atendimento, em geral, dentro das unidades do Banco, seja mais eficiente e eficaz. Todos defendemos o Banpará, todos queremos o fortalecimento do Banco, mas isso requer investimentos e quem pode e deve fazê-los é o acionista majoritário, sim! E o maior investimento é em respeito às pessoas: funcionários e clientes. As pessoas precisam ser tratadas de forma HUMANA.

Os ambientes precisam estar confortáveis. Os sistemas precisam estar funcionando. Os funcionários precisam ser respeitados e valorizados.

Aproxima-se a campanha salarial e não vamos cobrar, em nossas reivindicações, questões de interesses do Banco, mas temos que lembrar à direção, como bem fez o colega que comentou, que não adianta nos cobrar metas abusivas, como tem ocorrido no Banpará, sem que as unidades estejam aptas ao atendimento adequado e humanizado dos clientes, principalmente considerando que o atendimento sempre foi um diferencial positivo para o Banpará.

Queremos e precisamos de ambientes e condições melhores de trabalho, respeito, valorização, melhores salários, fim das metas abusivas, fim da pressão por metas, fim da sobrejornada como é feita hoje no Banco, de forma rotineira. Queremos o pagamento de todas as horas extras trabalhadas! Queremos nosso PCS ativo! Queremos as nossas promoções por antiguidade, para todos, retroativa a janeiro de 2013 e a promoção por merecimento em janeiro de 2014. Queremos de volta o nosso tíquete extra e a urgente implantação do Ponto Eletrônico, principalmente nas agências, postos e caixas avançados!

Acatando e assumindo a boa provocação feita no comentário, com a palavra, o acionista majoritário que, nos últimos anos, levou todos os seus dividendos do Banco, sem retorno algum.


NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!







*

segunda-feira, 17 de junho de 2013

APROVADAS AS PRINCIPAIS REIVINDICAÇÕES DOS BANCÁRIOS E BANCÁRIAS DO BANPARÁ

"O Brasil está acordando, o Pará e Belém, também. As cidadãs e os cidadãos estão se mobilizando, lutando por direitos, por justiça, por dignidade! Nós, do Banpará, temos história de luta e agora, na Campanha Salarial, vamos mostrar, mais uma vez, nossa coragem, ousadia e lucidez, na defesa de nossas vidas!" Assim abriu sua fala, a presidenta da AFBEPA, Kátia Furtado, durante o Encontro dos bancários e bancárias do Banpará, ocorrido no último dia 15 de junho, sábado, pela manhã. Cerca de 30 bancários compareceram.

Kátia Furtado falando aos colegas.
Soraya, Macildson, Seu Genildo, Márcio, Monique, que veio de Altamira,
com os demais colegas, construindo a luta por direitos para todos e todas.

Pilar e Zé Maria. Tom de amor e alegria no Encontro.
Toninho, Joventina e Soraya,
já tem história na luta dos bancários e bancárias do Banpará.

Foram aprovados os temas principais que comporão a Minuta de Reivindicações, além da manutenção da Minuta anterior e das conquistas do ACT vigente, e as lutas fundamentais para esse momento: 

1) PCS - efetivação imediata. Efetivação da Promoção por antiguidade para todos, retroativa a janeiro 2013, e garantia da promoção por merecimento em janeiro de 2014, a partir de  critérios humanizados e que valorizem, de fato, os trabalhadores e trabalhadoras, construídos no âmbito do GT/PCS; contratação da empresa especializada; cumprimento, por parte do Banpará, das condições de funcionamento do GT/PCS;

2) Pagamento do Tíquete Extra. Garantia de  direito à integralidade da participação nos lucros e resultados, um direito já adquirido pelo tempo em que foi pago;

3) Ponto Eletrônico. Implantação imediata, de acordo com decisão judicial e cumprimento do ACT. O Banpará já teve muitos anos para implantar o Ponto Eletrônico e nunca o fez porque prefere que continuemos a realizar o trabalho gratuito, e horas extras sem o devido pagamento;

4) Fim da pressão por metas. Fim das metas abusivas, combate efetivo ao assédio moral, fim da sobrecarga e do acúmulo de funções, respeito às vidas humanas, melhores e mais dignas condições de trabalho, de saúde e segurança;

5) Reajustes. Acima dos índices da Fenaban. Foi muito bem lembrado que ano passado, o Banco disse, em uma ata do Consad, que havia provisionado 13% de reajuste para os funcionários em 2012, por isso aprovamos no Encontro do Banpará, o pedido de 15% de reajuste. Porém, a Contraf e o Sindicato rebaixaram nosso pedido a nível nacional e aprovaram o pedido de apenas 10,2% de reajuste. Logo, o Banpará ficou muito à vontade para sequer assumir que havia provisionado os 13% de reajuste para nós.

A AFBEPA continuará realizando as reuniões por setores do Banco, irá ao interior para conversar com os bancários e bancárias em todas unidades de trabalho, e também realizará uma grande reunião em agosto, para ajustar e afinar nossas reivindicações e nossa agenda de mobilizações.

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!








*

TRABALHO SEGURO, QUALIDADE DE VIDA PARA O FUTURO

A bela frase que dá título ao post foi a frase vencedora da SIPAT deste ano, que findou na última sexta-feira, 14, e que teve como tema "Qualidade de Vida e Segurança no Trabalho".

A frase vencedora e plena de conteúdo, "TRABALHO SEGURO, QUALIDADE DE VIDA PARA O FUTURO" é de autoria do nosso querido Antônio Bechara, recentemente transferido para a Sulog, diretor da AFBEPA e delegado sindical da Ag. Nazaré.

Toninho, como é carinhosamente conhecido, acertou em cheio, quando vinculou a qualidade de vida, inclusive após a aposentadoria, à segurança no trabalho, segurança essa que engloba cuidados com a saúde: respeito aos limites orgânicos físicos, emocionais e mentais, tempo para respirar, comer, descansar, pausas para alongar músculos e nervos super utilizados na rotina de trabalho, ambiente saudável, dentre outros aspectos. Realmente, podemos perceber que por falta dessa segurança relacionada à saúde, durante décadas e décadas de trabalho, hoje, vários colegas estão adoecendo, bem próximo da aposentadoria, quando não mais poderão contar com plano de saúde e outros benefícios que o Banco oferece aos que estão na ativa.

"É melhor prevenir do que remediar", afirma um ditado bem conhecido, ou seja, vamos lutar sempre contra as metas, contra o assédio, contra a sobrejornada e os desvios de função, contra a sobrecarga, por mais contratações, por respeito e dignidade, por direitos, por um trabalho seguro, saudável, para que tenhamos hoje e amanhã, a qualidade de vida necessária para vivermos e não para sobrevivermos.

Parabéns, Toninho Bechara! E parabéns a todos os colegas da CIPA que estão empenhados em defender nossa saúde, segurança e condições de trabalho!

QUALIDADE DE VIDA
Qualidade de Vida é o programa que o Banpará está oferecendo aos seus funcionários e funcionárias, desde  o dia 02 de maio, e que disponibiliza, para a capital e o interior, atendimento médico e psicológico. São 100 atendimentos mensais, que podem ser agendados na própria intranet do Banco, ou pelo telefone, com os colegas do SESMT. O objetivo, conforme explicitou José Maria, do SESMT e também diretor da AFBEPA, é a prevenção de doenças físicas e mentais, visando proporcionar a melhoria da qualidade de vida dos bancários e bancárias.

Vamos cuidar da saúde, denunciar os abusos e receber a ajuda necessária às nossas vidas hoje, para que tenhamos um amanhã melhor!

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!







*

quinta-feira, 13 de junho de 2013

TODOS E TODAS AO ENCONTRO DOS BANCÁRIOS, SÁBADO, 15 DE JUNHO, A PARTIR DAS 8h, NO SINDICATO.

Reforçando o convite, precisamos estar todos e todas no Encontro dos Bancários e Bancárias do Banpará, sábado, 15 de junho, as 8h. Vamos decidir os rumos da nossa luta, organizar nossa pauta de reivindicações e nossa mobilização na Campanha Salarial 2013.

Segue o convite que está sendo entregue em todas as unidades do Banpará pela Presidenta da AFBEPA, Kátia Furtado. Abaixo, o convite do Sindicato para que a AFBEPA componha a mesa de abertura do evento.

Todos e todas lá!



ENCONTRO DOS BANCÁRIOS E BANCÁRIAS DO BANPARÁ
DIA 15 DE JUNHO, SÁBADO, ÀS 8h, NO SINDICATO.

Vamos todos comparecer a esse Encontro que definirá a nossa pauta de reivindicações na Campanha Salarial 2013! Lembremos que o Banco e o Sindicato, ano passado, já tinham o jogo combinado: iriam debater apenas as cláusulas sociais e aceitar, estritamente, o que viesse da mesa da Fenaban nas cláusulas econômicas. Aliás, lembremos ainda que o Banco sequer ratificou o nosso Acordo antes do fim de sua vigência, 31/08/2012. O nosso ACT só foi ratificado após o início da greve, em uma rodada de negociação, no dia 04 de setembro de 2012.

Sabemos que nosso ACT é muito melhor para nós do que a Convenção da Fenaban, que tem como parâmetro a expropriação dos grandes Bancos Privados. Todos os Bancos Públicos, além de assinarem a Convenção Nacional, debatem em mesas específicas as melhorias de condições de vida e de trabalho para seus funcionários. Jamais poderíamos abrir mão do nosso ACT e de avanços nas cláusulas financeiras, e foi isso o que nos empurrou para a greve, ano passado.

Este ano, se aproxima novamente a data-base e temos que nos mobilizar, marcar presença e decidir conjuntamente os nossos principais interesses, importantes para nossas vidas, porque não sabemos o que já pode estar sendo negociado em nosso nome, sem que tenhamos dado a devida permissão! Nós temos que decidir juntos! Trata-se de nossas vidas! Não podemos aceitar o confisco de nossos direitos e conquistas, colegas!

A AFBEPA tem reunido os trabalhadores do Banpará, por grupos de funções, e também em suas visitas diárias às Unidades, tem verificado os principais pontos de reivindicação. No PCS, a garantia das promoções; retorno do Tíquete Extra e implantação imediata do Ponto Eletrônico são os pontos mais citados, além do pagamento de todas as horas extras, o fim da pressão pelas metas abusivas, e das questões específicas por setor.

Todos e todas ao Encontro do Banpará, no próximo sábado, dia 15, às 8h, no Sindicato dos Bancários!

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!


UNIDOS SOMOS FORTES!
_____________







*

PAUTAS DOS CAIXAS E COORDENADORES DE POSTOS, VIA OFÍCIO DA AFBEPA. SOLICITAMOS REUNIÃO.

Em ofício protocolado ontem, 12/06, na Dirad, a AFBEPA encaminha as pautas da reunião com Caixas e Coordenadores de Postos de Atendimento, solicitando reunião para tratar das questões citadas pelos bancários, de conhecimento da diretoria da AFBEPA que está, constantemente, nos locais de trabalho.

Confira o ofício. Aguardamos breve retorno da Diretoria do Banpará, agendando a reunião solicitada.

----------------------






"Ofício nº 11/2013


Senhora Diretora Administrativa,

Desde há algum tempo, temos pautado temas de relevância e necessidade à vida do funcionalismo do Banpará, e essa é nossa missão: defender os direitos, conquistas e interesses dos bancários e bancárias do Banpará, assim como lutar pela permanência do Banpará como Banco Público Estadual.

Recentemente ocorreu uma representativa e produtiva reunião nesta AFBEPA com a participação de Caixas e Coordenadores de Postos de Atendimento e, dentre as questões levantadas, alguns pontos de reivindicações foram citados, e serão apresentados em momento oportuno, quando da entrega da Minuta de Reivindicações, assim como outros pontos foram trazidos à tona, e que, por sua urgência e especificidade maiores, precisam de imediato tratamento por parte dessa DIRAD.

Atendendo ao justo pedido dos funcionários, encaminhamos esta solicitação de reunião para que possamos apresentar as demandas levantadas, e que refletem problemas da realidade dos Caixas e Coordenadores de Postos do Banpará, quais sejam:

1) DIVULGAÇÃO DA PAUSA OBRIGATÓRIA, PARA O PÚBLICO EM GERAL – os Caixas e Coordenadores de Postos tem sido instados a assinar uma folha de ponto onde consta a realização da pausa obrigatória, sendo que tal direito não está sendo garantido nas Unidades. O Banco precisa reforçar o encaminhamento para que se cumpra a Lei e tornar a instalar as placas de divulgação ao público, que avisam da determinação legal da pausa obrigatória, insculpida na NR 17, da Portaria do MTE nº3.751;

2) QUE O SETOR DE SAÚDE, RETOME O EXAME PERIÓDICO, EM TODAS AS UNIDADES DO BANCO – A situação de saúde e adoecimento na categoria bancária é gravíssima! Há um grande número de bancários e bancárias, principalmente os que estão na ponta, atuando sob a pressão das metas nas Agências, PABS e CAVS, adoecidos, especialmente de problemas relacionados ao estresse advindo da sobrecarga de trabalho. Esta AFBEPA tem solicitado, desde sempre, um quadro demonstrativo da real situação de saúde/adoecimento da categoria, no entanto, não tem sido atendida. Infelizmente, o Banco tem atuado, preponderantemente, através de políticas emergenciais, que não resolvem totalmente a questão, quando se trata da saúde dos seus empregados. O pedido para que se retome os exames periódicos em todas as unidades é um grito de socorro, e o mínimo que o Banco pode fazer é acatá-lo, nesse momento.

3) CONTRATAÇÃO URGENTE E GARANTIA DE HORA EXTRA OU FOLGAS PARA O COMPENSADOR – é rotina diária nas agências, a convocação de um funcionário (a) Caixa Executivo (a), para realizar a compensação. Esse trabalhador se desloca bem cedo de sua residência, para estar no Banpará às 8h da manhã.

Ocorre que após o término de sua jornada de trabalho, às 14h, essa pessoa ainda tem que permanecer na agência, para continuar atendendo os clientes em seu caixa, lhe sendo subtraído o direito as horas extras ou folgas.

Esta AFBEPA já solicitou ao Banco que pague todas as horas extras efetivadas, ou que folgas sejam concedidas.
Ademais, é ato legal e urgente, que a SUDEP busque elaborar um quadro das  necessidades reais das Unidades, e encaminhá-las, sem que seja necessário a solicitação de ajuda dos gestores.

4) ASSEGURAR MELHOR QUALIDADE DAS CÂMERAS FILMADORAS, QUE ATUALMENTE TÊM BAIXA RESOLUÇÃO – As atuais câmeras filmadoras das unidades possuem baixa resolução e não captam detalhes à certa distância que, muitas vezes, tem colocado a segurança dos bancários sob risco, especialmente quando se trata de operações fraudulentas, nas quais o empregado fica sem comprovação de sua inocência, porque o principal recurso de provas não detectou detalhes importantes para o processo. Os Caixas e Coordenadores de Postos solicitam que as câmeras sejam trocadas por outras com maior resolução, capazes de captar, inclusive detalhes como assinaturas e passagens de mãos sob a guicheria.

Aguardo breve e positivo retorno.

Belém (PA), 12 de junho de 2013.



KÁTIA FURTADO
PRESIDENTA DA AFBEPA


Sra. Márcia Regina Maués da Costa Miranda
M.D. Diretora Administrativa do Banpará
NESTA


C/CÓPIA PARA SUDEP/ SESMT"

_______________________________________

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!







*

quarta-feira, 12 de junho de 2013

ATENDIMENTO E RETAGUARDA, REUNIÃO NESTA QUINTA, 13, AS 17h, NA AFBEPA!

Atenção colegas trabalhadores e trabalhadoras do Atendimento e da Retaguarda, nesta quinta-feira, 13/06, as 17h, haverá reunião na AFBEPA, para tratarmos das reivindicações e mobilizações específicas dos setores.

Já realizamos reuniões muito participativas, representativas e produtivas com os Tesoureiros, com os Caixas e Coordenadores de Pab's, e nesta quinta estaremos com o Atendimento e Retaguarda.

Não faltem, colegas! Vamos decidir nossas vidas porque senão decidem por nós e apenas amargamos os prejuízos!

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!







*

TODOS E TODAS AO NOSSO ENCONTRO, SÁBADO, 15/06, AS 8h, NO SINDICATO. NÃO FALTE!

O Sindicato confirmou nosso Encontro dos Bancários do Banpará para o dia 15 de junho, sábado, a partir das 8h, no Sindicato. (É uma escolha lamentável, pois é também o dia da abertura da Copa das Confederações e do primeiro jogo do Brasil contra o Japão, a tarde. Claro que a maioria dos colegas estará focado no evento, em um país como o nosso, onde o futebol mobiliza tantos corações e mentes.) De todo modo, devemos estar presentes, colegas! Não podemos faltar a esse Encontro que definirá as nossas pautas de reivindicações na Campanha Salarial 2013!

Lembremos que o Banco e o Sindicato, ano passado, já tinham o jogo combinado: iriam debater apenas as cláusulas sociais e aceitar, estritamente, o que viesse da mesa da Fenaban nas cláusulas econômicas. Aliás, lembremos ainda que o Banco sequer ratificou o nosso Acordo antes do fim de sua vigência. O nosso ACT só foi ratificado após o início da greve, em 4 de setembro de 2012.

Sabemos que nosso ACT é muito melhor para nós do que a Convenção da Fenaban, que tem como parâmetro a exploração no setor privado. Todos os Bancos Públicos, além de assinarem a Convenção Nacional, debatem em mesas específicas as melhorias de condições de vida e de trabalho para seus funcionários. Jamais poderíamos abrir mão do nosso ACT e de avanços nas cláusulas financeiras, e foi isso o que nos empurrou para a greve, ano passado.

Este ano, se aproxima novamente a data-base e temos que nos mobilizar, marcar presença e decidir nossas vidas, porque não sabemos o que já pode estar sendo negociado em nosso nome, sem que tenhamos dado a devida permissão! Nós temos que decidir juntos!

A AFBEPA tem reunido os setores do Banco, e também em suas visitas diárias às Unidades, tem verificado os principais pontos de reivindicação. PCS, retorno do tíquete extra e implantação imediata do Ponto Eletrônico são os pontos mais citados, sempre, além do pagamento de todas as horas extras, o fim da pressão pelas metas abusivas, e das questões específicas por setor.

Todos e todas ao Encontro do Banpará, no próximo sábado, dia 15, as 8h.

NA LUTA É QUE SE AVANÇA!

UNIDOS SOMOS FORTES!






*