quinta-feira, 18 de outubro de 2012

EM PROTESTO, AFBEPA NÃO ASSINOU O ACT

O ACT 2012/2013 do Banpará está assinado, mas a AFBEPA, que foi frontalmente atacada e prejudicada enquanto entidade de luta representativa dos bancários, não assinou o ACT, como testemunha, em um legítimo e necessário ato de protesto, em nome dos bancários, dos associados, da diretoria da Associação de Funcionários que merece RESPEITO!

Quanto ao ACT, a maior parte das pendências ficou resolvida e, principalmente, o Banco garantiu a aplicação e manutenção do percentual de 5% entre os níveis na tabela do PCS, o que havia sido perdido em 2011, quando apenas o piso inicial ganhou o reajuste de 12%, ficando os demais com o reajuste de 10%. Essa distorção, sempre denunciada e cobrada pela AFBEPA, agora está superada graças à força da nossa greve antecipada.

Nas demais questões, estão garantidas as reivindicações das entidades; no entanto, a AFBEPA, a entidade que mais lutou, apontou caminhos e estratégias, revelou elementos para fortalecer e dirigir nossa luta, sofreu uma clara retaliação, um ataque frontal e um grande prejuízo nesse momento.

A AFBEPA MOSTROU OS CAMINHOS E DEFENDEU E GARANTIU A ESTRATÉGIA DE LUTA PELAS CLÁUSULAS ECONÔMICAS
Fomos ao site do Banpará e mostramos a ata de reunião do Consad, na qual o Banpará disse que tinha provisionado 13% para reajuste das verbas salariais; mostramos, também, o expressivo crescimento do Banco no balanço do semestre

Nunca aceitamos esse pedido pífio de reajuste de 10,25% da Contraf e, enquanto o Sindicato aceitava as imposições do Banco e o índice rebaixado da mesa da Contraf/Fenaban, defendendo a negociação apenas das cláusulas sociais, a AFBEPA defendeu a antecipação da greve para que tivéssemos mais tempo de lutar pelas cláusulas econômicas e pela ratificação do nosso ACT, porque a greve rápida de apenas oito dias da Contraf, não nos daria o tempo que precisávamos para quebrar a intransigência do Banpará.

REAJUSTE E OUTROS GANHOS
A força da nossa greve trouxe ganhos importantes no REAJUSTE que é de 8,5% (para os níveis fundamental e médio), mais 2% recuperados na tabela do PCS, enquanto o reajuste da Fenaban é de apenas 7,5%. Portanto, somando os dois índices, nosso reajuste, na data base, é de 10,5% para os níveis fundamental e médio.

Além desse reajuste, todos os que aderiram ao PCS e foram reenquadrados em janeiro de 2010, farão jus à promoção por antiguidade em janeiro de 2013, o que representará mais 5% em todos os cargos em todos os níveis.

Ou seja, em janeiro de 2013, teremos atingido, para os níveis fundamental e médio, um reajuste de 15,5%, para a maioria dos funcionários. Conquista da nossa luta, da nossa greve antecipada!

Conquistamos, também, dois aumentos para os caixas: na quebra de caixa e na comissão, em janeiro de 2013; e também melhorias e possibilidade de conversão em pecúnia na licença prêmio, além de outros ganhos econômicos. 

Conquistamos a retirada das metas como critério de promoção por merecimento, do nosso PCS, via GT/PCS e também a negociação para estabelecimento de critérios contra descomissionamentos e demissões imotivadas, via CRT, dentre outros ganhos.

Isso foi fruto da força da nossa estratégia correta de antecipar a greve, porque se tivéssemos escolhido a estratégia defendida pelo Sindicato, não teríamos essas conquistas econômicas. Teríamos ficado apenas com a mesa recuada e rebaixada da Contraf/Fenaban e, provavelmente, alguns ganhos somente nas cláusulas sociais.

TÍQUETE EXTRA - A LUTA CONTINUA!
Perdemos nosso tíquete extra e não desistiremos de lutar pelo retorno desse direito garantido em tantos acordos anteriores e fundamental para fazer frente às necessidades reais de nossas vidas. A maioria de nós precisa do tíquete extra para saldar ou amortizar dívidas. A volta do tíquete extra é questão de honra para nós!

A RETALIAÇÃO É CONTRA A AFBEPA!
Por tudo isso, e apesar de termos sido grandes responsáveis pelas conquistas desse ACT 2012/2013, não podemos testemunhar um Acordo no qual a Associação está sendo absurdamente retaliada enquanto entidade de luta dos funcionários.


Vejam: além da falta de isonomia de tratamento, quando não garante a liberação para  a diretoria da AFBEPA, para participação em atividades sindicais que capacitem e qualifiquem ainda mais nossos diretores não liberados, como faz com os diretores sindicais, a direção do Banpará insiste em negar a continuidade da meia liberação apalavrada, de apenas um dia por semana, para a vice-presidente da Associação.

Essa meia liberação, de apenas um dia por semana, foi negociada e conquistada na Campanha Salarial de 2011 e foi garantida sem nenhum problema para o Banpará. Trata-se de uma atitude raivosa e vingativa porque a AFBEPA ousou lutar e vencer nessa e em outras campanhas e momentos de luta dos funcionários. A AFBEPA é o "calo no pé", a "pedra no sapato" da direção do Banco, a AFBEPA é a legítima força da luta dos funcionários.


"A AFBEPA não é propriedade de uma gestão, mas de todos os associados e da história de luta dos bancários do Banpará. História que representa a garantia da defesa dos direitos, interesses e conquistas da categoria e da defesa do Banpará, enquanto Banco público estadual. Não seria digno e respeitoso assinar, enquanto Presidenta da AFBEPA, nesse momento, um acordo onde a Associação está sendo atacada e prejudicada. Com nossa luta e estratégia correta, conquistamos um bom acordo, mas não aceito essa retaliação diretamente estocada contra a AFBEPA! Dignidade não se negocia! " Ressalta Kátia Furtado, Presidenta da AFBEPA.

AGENDA
Ao início da próxima semana a diretoria da AFBEPA estará em reunião ampliada para debater sobre essa e outras pautas, principalmente a luta pelo tíquete extra, pelo devido pagamento de todas as horas extras e pela instalação imediata do ponto eletrônico nas agências, postos e caixas avançados do Banpará. 

Nesse momento está marcada uma reunião do GT/PCS e estamos aguardando relatório da representante eleita pelos funcionários, Kátia Furtado. Tão logo nos seja repassado, o publicaremos aqui no Blog, sempre mantendo a categoria bem informada.

Continuemos firmes na Luta!


UNIDOS SOMOS FORTES!


Atualização na sexta-feira, 19, sobre a REUNIÃO DO GT PCS
 
Às 10h do dia 18/10, quinta-feira, a representante dos funcionários Kátia Furtado esteve na sala de reunião no 5ª andar, edifício sede, matriz do Banpará, para reunião do GT/PCS, que estava marcada. Por problema de saúde da coordenadora titular do Grupo de Trabalho e, a falta de de alguém que coordenasse os trabalhos, a reunião foi transferida para dia 25/10, quinta-feira.
 
Na oportunidade, foram solicitadas por Kátia Furtado, a confecção de Ata e a tabela salarial do PCS. 




*

3 comentários:

Anônimo disse...

Kátia, todos nós funcionários da Agência Canaã sabemos da importância da sua luta que é a nossa luta também. Nós lutamos por melhores condições de trabalho, melhores salários, por mais dignidade e respeito. Ainda quero te agradecer amiga,mulher incansável, guerreira que luta pela coletividade e não pelo individualismo, por melhores dias futuros para nós, por todas essas conquistas desse ACT e por todas as conquistas dos ACT`s anteriores. Todos nós sabemos que por você hoje temos um PCS e que não foi fácil a luta. O PCS é uma conquista nossa e que devemos à sua coragem, firmeza e determinação de chamar um por um para assembleia que aprovou levar prá justiça. O ponto eletrônico é outra grande conquista, mesmo não funcionando ainda, mas estamos mais perto de registrarmos nossas horas extras trabalhadas que não são poucas. OBRIGADA AMIGA! Eu particularmente só tenho à agradecer a você e a sua equipe de luta, que enquanto eu ainda estou dormindo, todos já estão no batente lutando pelos nossos direitos.
Beijos de todos nós!!!!!!!!!!!!!!!!!

AFBEPA disse...

Para o colega que comentou sobre a comissão de caixa, esclarecemos que, de fato, o termo revisão não contempla o que foi acertado em mesa, que foi o reajuste mesmo da comissão de caixa. Forçamos além do limite para que a palavra fosse reajuste, mas o Banco alegou problemas externos para colocar a palavra reajuste, os mesmos problemas que você elencou em teu comentário e que, por isso, não o publicamos. Não queremos dar as deixas desfavoráveis a nós, correto?

De todo modo, na mesa de negociação o compromisso do presidente do Banpará ficou muito claro e foi de que a comissão dos caixas será reajustada em janeiro de 2013.

Agradecemos por tua participação aqui no blog.

AFBEPA disse...

Para o outro anônimo que comentou sobre sua visão bem particular de democracia aqui no blog, temos a esclarecer que nosso blog não se propõe a acolher leviandades, mentiras, termos de baixo calão, ofensas pessoais e outras coisas do gênero. Isso não é democracia, isso é irresponsabilidade e desrespeito, e aqui não tem espaço mesmo.

A todos que queiram comentar, sugerir, perguntar, elogiar, criticar, sempre com respeito e colocando verdades, o blog está super aberto e os comentários são publicados.
Obrigada.